SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 issue3Estudos preliminares com bromoacetamida, um novo moluscicidaResistência "in vivo" do Plasmodium falciparum às 4-amino - quinoleínas e à associação sulfadoxina-pirimetamina: I - estudo de Porto Velho, Rondônia, 1983 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • Portuguese (pdf)
  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

Print version ISSN 0037-8682

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.18 no.3 Uberaba July/Sept. 1985

http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821985000300008 

ARTIGOS

 

Esquistossomose mansoni autóctone e outras parasitoses intestinais em escolares do bairro alto da Boa Vista, da Cidade do Rio de Janeiro

 

 

Virginia T. Schall; Pedro JurbergIII; Henry P. F. WillcoxII; Fátima G. CavalcanteIII; Silvana BagnoIII

IDepartamento de Biologia1 e Departamento de Medicina Tropical
IIInstituto Oswaldo Cruz - Caixa Postal 926 - 20000 Rio de Janeiro
IIIInstituto de Psicologia - Laboratório de Comportamento Humano e Animal UERJ

 

 


RESUMO

Procedeu-se a um levantamento coproscópico em alunos de 8 a 15 anos, pertencentes a 3 escolas do Alto da Boa Vista. De 155 alunos examinados, encontraram-se 4 casos positivos (2,6%) de esquistossomose. Entre 25 familiares destes, encontraram-se outros 4 casos positivos (16%). Havia na área uma população de Biomphalaria tenagophila (Orbigny, 1835), amplamente distribuída nas valas de irrigação de hortas de agrião, ligadas ao rio das Fumas. A taxa de infecção dos moluscos foi de 7 (0,29%) em 2.400 examinados. Comparando-se estes resultados com dados anteriores, observa-se que a prevalência da esquistossomose se mantém no Alto da Boa Vista há pelo menos 15 anos.

Palavras-chave: Esquistossomose mansoní. Parasitos intestinais. Exame coproscópico. Inquérito malacológico.


ABSTRACT

The present situation regarding schistosomiasis mansoni prevalence among primary school children was evaluated in the periphery of Rio de Janeiro city (Alto da Boa Vista). A coproscopic survey was carried out with students of 8 to 15 years oldfrom 3 schools of the area. Among 15 5 examined, 4 positive cases (2,6%) of schistosomiasis were found. On examining 25 relatives of the positive students, 4 other positives cases (16%) were found, all from the same region. The malacological survey carried out revealed a Biomphalaria tenagophila population largely distributed in the irrigation ditches of water-cress gardens surrounding the Fumas River. Seven (7) out of2400 snails collected were positive for Schistosoma mansoni (0,29%). Comparing these results with previous data, it can be observed that schistosomiasis prevalence has been maintained in this area for as long as 15 years. Stool examinations revealed a high prevalence of A. lumbricoides (48,4%). E. nana (23,5%) and T. trichiura (38%).

Keywords: Schistosomiasis mansoni. Intestinal parasites. Coproscopic survey. Malacological survey.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Andrade RM, Martins RS. Contribuição para o conhecimento dos criadouros de planorbídeos no Distrito Federal. II. Resultado geral das pesquisas efetuadas para a localização de focos de transmissão de esquistossomose mansoni. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 8: 379-385, 1956.         [ Links ]

2. Coura JR, Camillo-Coura L, Kalache A, Argento CA Esquistossomose aguda autóctone de foco na cidade do Rio de Janeiro. Estudo de 22 casos. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 4: 387-397, 1970.         [ Links ]

3. Deane LM, Martins RS, Lalo MB. Um foco ativo de esquistossomose mansônica em Jacarepaguá, Distrito Federal Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais 5: 249-252, 1953.         [ Links ]

4. Dunker W. Die Familie der Limnaeiden, etc. In: Martini & Chemnitz: Systematische Conchylien-Cabinet V. 17, Bauer & Nümberg, 1856.         [ Links ]

5. Katz N, Chaves A, Pellegrino J. A simple device for quantitative stool thick-smear technique in S. mansoni. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, 14: 397-400, 1972.         [ Links ]

6. Lucena DT. Resenha sistemática dos planorbídeos brasileiros 104 pp. Gráfica Editora Recife S.A., Recife, 1956.         [ Links ]

7. Lutz A. Caramujos de água doce de gênero Planorbis, observados no Brasil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz, 10: 65-82, 1918.         [ Links ]

8. Lutz A. O Schistosomum e a schistosomatose segundo observações feitas no Brasil. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz 11: 121-150, 1919.         [ Links ]

9. Magalhães LA. Moluscos planorbídeos do Estado da Guanabara. Revista Brasileira de Biologia 24: 277-288, 1964.         [ Links ]

10. Paes R, Menezes ZB, Camargo S. Um novo foco de esquistossomose na Guanabara, Alto da Boa Vista. Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais, 22: 203-229, 1970.         [ Links ]

11. Paraense WL. Observações adicionais sobre o sexo do Schistosoma mansoni nas infestações por cercárias de um único molusco. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz 47: 535-546, 1949.         [ Links ]

12. Paraense WL, Deslandes N. The renal ridge as a reliable character for separating Taphius glabratus from Taphius tenagophilus. The American Journal of Tropical Medicine and Hygiene 8: 456-472, 1959.         [ Links ]

13. Pinto DS, Deslandes N. Contribuição ao estudo da sistemática de planorbídeos brasileiros. Revista de Serviço Especial de Saúde Pública 6: 135-167, 1953.         [ Links ]

14. Suassuna A, Coura JR. Esquistossomose mansoni no Estado da Guanabara. Aspectos epidemiológicos relacionados às migrações internas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 3: 59-71, 1969.         [ Links ]

15. SUCAM. Algumas considerações sobre o comportamento das endemias controladas pela SUCAM no Rio de Janeiro. Relatório Anual. Diretoria Regional do Rio de Janeiro. 3pp datilografada, 1982.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 30/07/1984.

 

 

Financiado pelo CNPq e FINEP.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License