SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número2ApresentaçãoMorbidade hospitalar por doença de Chagas no Brasil índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical

versão impressa ISSN 0037-8682

Rev. Soc. Bras. Med. Trop. vol.29 no.2 Uberaba mar./abr. 1996

http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86821996000200002 

ARTIGO

 

Perfil clínico-epidemiológico de chagásicos atendidos em ambulatório de referência e proposição de modelo de atenção ao chagásico na perspectiva do SUS

 

 

Eliane Dias Gontijo; Manoel Otávio C. Rocha; Ulrika Torquato de Oliveira

Ambulatório de Doença de Chagas, FacuJdade de Medicina, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG. Apoio: CENEPI/FNS/MS.

Endereço para correspondência

 

 


RESUMO

Estudo caso-controle, para análise de características clínicas e epidemiológicas foi conduzido em 842 indivíduos atendidos em Ambulatório de Referência de Doença de Chagas, em Belo Horizonte, no período de 1985/92. Verificou-se que os chagásicos apresentaram média de idade mais elevada (37,78 anos); menor escolaridade, independente da cor, e desempenhavam atividades de maior esforço (p<0,05). A via vetorial mostrou ser o principal mecanismo de transmissão. As queixas específicas predominaram nos chagásicos (p<0,05). A ausculta cardíaca (OR:2,29 IC95%: 1,29-4,09) e presença de extra-sístoles (OR:7,16 IC95%:1,59- 45,07) foram as alterações mais importantes ao exame clínico. A IF1 apresentou maior sensibilidade (94%), especificidade (96%); VPP(99%) e VPN(83%). A reação de Elisa realizada em 43 indivíduos não mostrou falsos resultados. Houve predomínio da FCI(56%) ou formas clínicas iniciais. A importância de realizar propedêutica mais complexa em situações específicas foi reforçada pelo encontro de ECGs normais e alteração em 30% dos Holter, 41 % dos TE e 33% dos ECOs, além de 48% de Rx de tórax normal e ECO alterado. Propõe-se modelo de atenção ao chagásico integrado no SUS valorizando a confirmação sorológica, a preparação de recursos humanos capacitados e comprometidos com o desenvolvimento de ações integrais de saúde e a organização do sistema de referência e contra-referência, garantindo o acesso do chagásico aos vários níveis de atenção.

Palavras-chaves: Doença de Chagas. Atenção ao chagásico.


SUMMARY

A case-control study to analyse clinical and epidemiological data of 842 patientes seen in an out­patient ward reference center for chagas disease in Belo Horizonte, Brazil,from 1985 to 1992. It was verified that these patients were in a average age of 37.78 years; lower literacy regardless of race, and, performed activities that demanded greater muscle effort (p <0.05). The main mechanism for disease transmission proved to be the vectorial route. Disease-especific complaints prevailed in the above mentioned patients (p<0.05). The most important abnormalities found in clinical examination were with cardiac sounds (OR:2.96 95%CI:1.29-4.09) and the presence of extrasystole (OR:7.16 95%Cl:1. 59-45.07). lmunofluorescence Test was more sensitive (94 %) and specific (96 %). It also had a PPV of 99% and e NPV of 83%. ELISA lest carried out in 43 patientes did not yield false results. Indeterminate chronic phase (56 %) or early stages of the disease prevailed. The findings of normal EKGs and abnormalities in 30%, of the Hotter tests, 41% of the exercise tests, 33% of the ECO tests and, 48% of normal chestx-ray with abnormal ECO, high lights the importance of caring out more detailed exams in specific situations. We hereby propose a care model for the Chagas disease patient, integrated to our State Health Plan stressing serologic tests, and training capable human resources committed to the development of integrated health care and the optimization of our referral and counter-referral system, thus issuing total care to the Chagas disease patient.

Key-words: Chagas' disease. Chagas' disease care.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Campos GWS, Merhy EE, Nunes ED. Planejamento sem normas. Hucitee, São Paulo, p.134. 1989.         [ Links ]

2. Dias JCP. Estratégias e Perspectivas atuais da consolidação do controle de vetores na etapa de vigilância epidemiológica. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 26:63-65, 1994.         [ Links ]

3. Gontijo ED. Atenção ao chagásico no SUS. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 26:83-85, 1983.         [ Links ]

4. Gontijo ED, Dias, JCP. Mortalidade por doença de Chagas em Minas Gerais: análise preliminar do período de 1978-1989. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 27:119-120, 1994.         [ Links ]

5. Macedo V. Inquérito eletrocardiográfico nacional para doença de Chagas. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 26:12-13, 1993.         [ Links ]

6. Mota C. Significado diagnóstico e conduta na doença de Chagas congênita. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical 26:76-78, 1993.         [ Links ]

7. Paim J. A reorganização da prática de saúde em Distritos Sanitários, In: Mendes E, (ed) Distrito Sanitário. HUCITEC. São Paulo, p.187-220, 1993.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Profa. Eliane Dias Gontijo.
DMPS/FM/UFMG. Av. Alfredo Balena
190, 30130-100 Belo Horizonte, MG.
Fax: (031) 222-0300.

Recebido para publicação em 16/12/95.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons