SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.2 issue2Sobre uma nova espécie do Gênero Scipopus Enderlein, 1922. (Diptera - Micropezidae) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.2 no.2 Manaus Aug. 1972

http://dx.doi.org/10.1590/1809-43921972022127 

ZOOLOGIA

Studies of Ant-Following Birds North of the Eastern Amazon

Yoshika Oniki1 

Edwin O. Willis1 

1Department of Biology, Princeton University

Abstract

Birds that prey on arthropods flushed by army ants north of the eastern Amazon were studied at Serra do Navio and Reserva Ducke (Brazil) and at Nappi Creek and Bartica (Guyana). Regular ant-followers are two medium-sized antbirds (Percnostola rufifrons and Gymnopithys rufigula) and two smaller ones (Pithys albifrons and Hylophylax poecilonota), plus five woodcreepers of differing sizes (from very large Hylexetastes perrotti through Dendrocolaptes picumnus, D. certhia, and Dendrocincla merula to medium-sized Dendrocincla fuliginosa). Four other regular ant-followers occur in the region but were not found at the study areas. Forty-five species of casual or nonprofessional ant-followers, including 16 antbirds, 5 woodcreepers, and 5 manakins, also were recorded. Percnostola rufifrons tends to be at the forest edge or in second growth. Pithys albifrons works around Gymnopithys rufigula, Hylophylax poecilonota peripheral to both, in the forest interior. The large Dendrocolaptes picumnus and medium-large Dendrocincla merula often capture prey near the ground, like antbirds. Unlike antbirds, which use vertical or horizontal slender perches, the woodcreepers use thick vertical perches. Dendrocolaptes certhia and Dendrocincla fuliginosa also tend to capture prey high over the ground-foraging antbirds. The woodcreepers tend to forage lower at midday. Hylexetastes perrotti is rare, and overlaps strongly with D. picumnus. There is fairly large overlap among the 9 professional ant-followers, and large ones chase away smaller ones. Nonprofessional birds tend to forage briefly or peripherally when or slightly after the professional species are active. They also forage above the antbirds and below or above the woodcreepers, and concentrate at forest edges or in second growth. The guild of ant-following birds in this region differs fairly widely from guilds in Panamá and at Belém, Brazil; the absence of large antbirds and the predominance of large woodcreepers north of the Amazon are the major differences.

Sumário

Nas florestas tropicais ao norte do rio Amazonas e ao este do Rio Negro, o grupo de aves que regularmente seguem as correições das formigas taócas (principalmente Eciton burchelli) a fim de capturar artrópodos que tentam escapar das formigas inclui pelo menos 9 espécies profissionais: dois formicaríideos de tamanho médio (Gymnopithys rufigula e Percnostola rufrifrons) e dois menores (Pithys albifrons e Hylophylax poecilonota); e 5 dendrocolaptídeos, o muito grande Hylexetastes perrotti, o grande Dendrocolaptes picumnus, o levemente menor Dendrocolaptes certhia, e os de tamanho médio Dendrocincla merula e Dendrocincla fuliginosa. Na Serra do Navio e Reserva Ducke no Brasil e em Nappi e Bartica na Guiana, foram encontradas 6-9 espécies de aves seguidoras de correição Quatro espécies adicionais, dois formicariídeos grandes, um cuculídeo grande e um tanagrídeo médio, provavelmente profissionais não foram observadas, embora relatadas localmente ou periferalmente na região. Percnostola rufifrons ocorre em vegetação secundária ou às margens das florestas. Junto às formigas, ela tende a obter alimentos saltando rapidamente ao chão. Hylophylax poecilonota, que ocorre nas matas, espera pacientemente em ramos mais altos e periòdicamente salta rapidamente ao chão para obter o seu alimento. Pithys albifrons tende a aparecer junto às correições mais tarde e move-se mais rapidamente entre ramos mais altos e menores que os usados por Gymnopithys rufigula, que é a espécie dominante sobre todas as demais. Gymnopithys rufigula geralmente se põe centralmente, e próximo ao chão, isto é, nas melhores horas e lugares para obter alimentos Entretanto, os formicariídeos superpõem em seus nichos, e as aves de tamanho médio regularmente suplantam as aves menores. Entre os dendrocolaptídeos, Dendrocolaptes pirumnus vai para perto do chão para obter seus alimentos. Dendrocincla fuliginosa permanece um pouco mais acima e Dendrocolaptes certhia permanece mais alto ainda. Estas aves de olhos pequenos capturam alimentos em níveis mais baixos no meio do dia, sugerindo que elas esperam até que os níveis baixos tenham mais luz antes de se aventurarem nestes níveis. Hylexestastes perrotti são raras em todas as áreas estudadas; Dendrocincla merula parece ser regional, pois elas ocorrem só na Reserva Ducke e se aumentam próximo ao chão em direta competição com os formicariídeos. Dendrocincla fuliginosa locomovem-se para o alto quando competindo com os formicariídeos profissionais e com Dendrocolaptes picumnus. Entretanto, Dendrocincla merula permanece em níveis baixos e talvez encontre alimentos movendo-se rapidamente para áreas localmente produtivas. Todos os dendrocolaptídeos pousam em grandes troncos verticalmente enquanto que os formicariídeos usam ramos menores tanto verticais como horizontais. Em média, os dendrocolaptídeos capturam a maioria das presas em níveis médios da mata e os formicariideos capturam a maioria das prêsas próximas ao chão. Quarenta e cinco espécies de aves não profissionas ou amadoras em seguir as formigas de correição foram observadas na região Dezesseis espécies eram formicariídeos, cinco eram dendrocolaptídeos e cinco eram piprídeos. Entretanto, as aves amadoras mais persistentes pertenciam às famílias Cotingidae (Attila spadiceus), Troglodytidae (Henicorhina leucosticta) e Parulidae (Basileuterus rivularis). A maioria das aves seguidoras amadoras de correições saltam ou caminham nas bordas das correições, infilltram-se entre as folhagens de 0.5 a 2 m do altura entre as zonas utilizadas pelos formicariídeos e dendrocolaptídeos profissionais ou permanecem no alto e nas zonas menos produtivas (acima da zona utilizada pelos dendrocolaptídeos). Os formicarídeos amadores são menos ativos no meio da manhã quando os formicariideos profissionais são mais ativos. O número de aves amadoras em seguir as correições diminui quando se passa de vegetação secundária e borda de mata para densa floresta. Os dendrocolaptídeos profissionais são mais comuns na mata ou nas bordas enquanto que os formicariídeos profissionais predominam em extensivas matas altas.

Texto disponível apenas em PDF

Creative Commons License  This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.