SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.6 issue2Erythroxylum campinense (Erythroxylaceae), espécie nova da AmazôniaAspectos climatológicos de Manaus () author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.6 no.2 Manaus June 1976

http://dx.doi.org/10.1590/1809-43921976062215 

CIÊNCIAS DO AMBIENTE

Estimativa da evapotranspiração na Bacia Amazônica (*)

N. A. Villa Nova1 

E. Salati1  2 

E. Matsui2  3 

1— Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (ESALQ), Piracicaba, SP.

2— Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA)

3Centro Nacional de Energia Nuclear

Resumo

O balanço hídrico da Bacia Amazônica é um problema de difícil solução, não somente pelas dimensões e características da região, como também pela escassez de dados meteorológicos e hidrológicos. Procurando estimar a grandeza dos principais componentes do balanço hídrico, foi realizado um estudo com dados da Região Amazônica brasileira e de algumas estações de outros países. Fez-se o balanço de energia e, com base no mesmo, fez-se o balanço hídrico da região, adaptando-se o método de Penman para as condições de florestas. Os dados obtidos indicam que 90% da evapotranspiração deve-se ao balanço de energia. A evapotranspiração real, deve, nesta região, ser aproximadamente igual à potencial e a média encontrada foi da ordem de 4mm/dia, ou seja, 1460mm/ano. Em uma primeira aproximação, a Bacia Amazônica funciona como. um sistema que recebe, através da precipitação, 12x1012m3 de água por ano, sendo este total balanceado por uma descarga superficial de 5,5 x 1012m3/ano e uma evapotranspiração de 6,48x1012m3/ano. Desde que a transpiração pelas plantas representa 54% da precipitação, tudo indica que um desmatamento intensivo deverá trazer alterações no ciclo hidrológico.

Summary

The establishment of a water balance for the Amazon Basin constitutes a problem of difficult solution, not only on the account of its extension and characteristics, but also for lack of sufficient meteorological and hydrological data. In an attempt to estimate the magnitude of the main components of the water balance, a study was made with data from the Brazilian Amazon Region and from some observation stations in other countries. An energy balance was made and based on this balance the water balance of the region was established, having the Penman method been adapted to forest conditions. The data obtained indicate that 90% of the evapotranspiration is due to the energy balance. The evapotranspiration in this area should be very close to the potential evapotranspiration, and the average found was of the order of 4mm/day, i.e., 1460mm/year. As a first approximation it was found that the Amazon Basin system receives 12 x 1012m3 water/year through precipitation, this total being balanced by a surface discharge of 5,5 x 1012m3/year and an evapotranspiration of 6,48 x 1012m3/year. Since transpiration by plants represents 54% of the precipitacao, all seems to indicate that intensive deforestation shall bring about alterations of the hydrologic cycle.

Texto disponível apenas em PDF

*— Trabalho realizado com o auxílio da CNEN e da FAPESP (Processo-Física 73/479) e coordenado pelo DPCT da CNEN.

Creative Commons License  This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.