SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue1ESTUDO CARIOTÍPICO EM DUAS ESPÉCIES DE CUCULIFORMES AMERICANOS (Aves) ()ESTUDO SOBRE O ESTADO NUTRICIONAL EM RELAÇÃO AO ZINCO NA AMAZÔNIA. I. Níveis de Zinco no Sôro e Ingestão de Zinco em Operários de Manaus, 1978 () author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Acta Amazonica

Print version ISSN 0044-5967On-line version ISSN 1809-4392

Acta Amaz. vol.13 no.1 Manaus Feb. 1983

http://dx.doi.org/10.1590/1809-43921983131051 

GEOLOGIA

MINERAIS PESADOS PROVENIENTES DO LEITO DO RIO AMAZONAS

Paulo M. B. Landim* 

Nivaldo J. Bósio*  **

Fu T. Wu* 

Paulo R. M. Castro*** 

*UNESP, Rio Claro - SP

***UNICAMP, Limeira, SP

Resumo

Com a intenção de verificar a origem do material transportado pelo Rio Amazonas, amostras de calha foram coletadas em 60 locais entre Belém (Brasil) até Iquitos (Peru). Tendo sido escolhidos 28 amostras, as mesmas foram submetidas a um estudo mineralógico, o qual revelou os seguintes minerais pesados presentes: turmalina, zircão, granada, estaurolita, hiperstênio, piroxênio (augita), anfibólio (hornblenda), tremolita, magnetita ou ilmenita e leucoxênio. Em quase todas as amostras ocorre uma grande quantidade de minerais instáveis idiomórficos, como hiperstênio, augita e anfibólio, indicando uma área fonte constituída pelas rochas básicas e ultrabásicas, diminuindo para jusatite. Minerais estáveis, como zircão e turmalina, apresentam-se tanto angulosos como arredondados, indicando mais de uma área fonte, mas de qualquer modo sempre a partir de rochas ácidas. Aplicando aos dados o método classificatório multivariante da análise de agrupamentcs (cluster analysis), dois maiores grupos de amostras foram ressaltados: um constituído por amostras localizadas no alto Rio Amazonas e com maior teor em minerais instáveis, provavelmente com origem andina; o outro formado principalmente por amostras que se localizam, a partir da confluência com o Rio Juruá, até Belém e contendo uma alta porcentagem em zircão e turmalina, indicando além de uma contribuição andina, fontes nos escudos precambrianos a norte e sul do Rio Amazonas.

ABSTRACT

Bed samples of the Amazon River were collected from Iquitos (Peru) to Belém (Brazil). 28 selected samples were analysed and 12 types of heavy minerals were found: tourmaline, zircon, garnet, staurolite, hypersthene, pyroxene (augite), amphibole (hornblende), tremolite, magnetite or ilmenite and leucoxene. Most of the samples presented large amount of idiomorphic unstable minerals such as hypersthene, augite and amphibole pointing towards basic and ultra-basic rocks source. These unstable minerals diminish toward the lower portion of the river. Stable minerals such as zircon and tourmaline have showed both angular and round shapes, which indicate more than one source but in any case originating from acid rocks. A cluster analysis method was applied to the data and two main clusters were determined. The first group, located at the upper Amazon River, is rich in unstable minerals, probably from an Andean source. The second group, which includes samples located below the confluence of the Juruá River, presents a high zircon and tourmaline percentage which indicates a contribution from the Precambrian Shields in adition to the Andean source.

Texto disponível apenas em PDF

**

Endereço atual IPT, São Paulo, SP

Creative Commons License  This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution License, which permits unrestricted use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.