SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.93 issue6  suppl.310. Doenças da aorta, artéria pulmonar e veias12. Ecocardiografia em procedimentos intervencionistas author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Print version ISSN 0066-782X

Arq. Bras. Cardiol. vol.93 no.6 supl.3 São Paulo Dec. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2009001500012 

ECOCARDIOGRAMA INTRAOPERATÓRIO EM CIRURGIAS CARDÍACAS E NÃO CARDÍACAS

 

11. Ecocardiograma intraoperatório em cirurgias cardíacas e não cardíacas

 

 

Essa técnica de monitoramento das cirurgias cardíacas permite ao cirurgião avaliar em tempo real detalhes anatômicos e funcionais, proporcionando informações imediatas sobre os resultados cirúrgicos e auxiliando nas manobras para retirada de ar das cavidades.

A forma atual de se utilizar o ecocardiograma nas cirurgias cardíacas é por via transesofágica, pois esta apresenta grandes vantagens sobre a via epicárdica. Na grande maioria dos casos, a ETE é o método utilizado, pois apresenta a vantagem de não interromper o procedimento cirúrgico e de não entrar em campo estéril. A sonda pediátrica deve ser utilizada, em geral, em crianças com peso entre 6,0-20 Kg. A técnica epicárdica, em que o transdutor transtorácico é aplicado diretamente sobre o coração, fica reservada para os casos de impossibilidade absoluta ou relativa do uso do esôfago devido a patologias (câncer de esôfago, divertículo, estenose etc) ou em casos de discrasia sanguínea. Nesses casos, a consulta a um endoscopista pode ser necessária. Para consulta mais detalhada, a Sociedade Americana de Ecocardiografia disponibiliza um guia da técnica epicárdica intraoperatória1.

O eco epiaórtico pode ser ferramenta importantíssima nos pacientes com doença ateromatosa avançada. Pode-se utilizar o transdutor próprio para esse fim (miniaturizado e existente no mercado) ou um transdutor linear. A imagem ultrassonográfica da aorta permite a escolha de um local adequado para canulação e pinçamento na aorta, reduzindo a incidência de acidentes vasculares cerebrais e outras complicações da aorta1.

Idealmente, o serviço de ecocardiografia deve disponibilizar um aparelho para a realização do ecocardiograma intraoperatório. As complicações da passagem e permanência da sonda no esôfago são raras e mais frequentemente a queixa principal é de dor à deglutição.

Alguns serviços utilizam o eco intraoperatório em todas as cirurgias cardíacas com e sem a utilização de circulação extracorpórea. Nas cirurgias não cardíacas, tal método também pode ser empregado. Por ser capaz de fornecer dados hemodinâmicos e estruturais de imediato, os pacientes cardiopatas em cirurgias não cardíacas podem vir a ser candidatos. Nas cirurgias de grande porte, como as cirurgias vasculares e transplantes hepáticos, o eco intraoperatório pode ser de grande valor, permitindo a detecção precoce da isquemia, a partir da detecção de alterações da contratilidade segmentar que antecedem as alterações do ECG na cascata isquêmica. Na atualidade, com o advento das técnicas cirúrgicas por meio de acesso cirúrgico minimamente invasivo para implante de próteses valvares, a ETE tem tido papel relevante na seleção e monitoramento do procedimento.

 


Tabela 34 - clique para ampliar

 

Referências

1. Glas KE, Swaminathan M, Reeves ST, Shanewise JS, Rubenson D, Smith PK, et al. Guidelines for the performance of a comprehensive intraoperative epiaortic ultrasonographic examination: recommendations of the America Society of Echocardiography and the Society of Cardiovascular Anesthesiologists; endorsed by Society of Thoracic Surgeons. J Am Soc Echocardiogr. 2007; 20: 427-37.         [ Links ]

2. Shanewise JS, Cheung AT, Aronson S, Stewart WJ, Weiss RL, Mark JB, et al. ASE/SCA guidelines for performing a comprehensive intraoperative multiplane echocardiography examination: recommendations of the American Society of Echocardiography Council for Intraoperative Echocardiography and the Society of Echocardiography and the Society of Cardiovascular Anesthesiologists Task Force for Cetification in Perioperative Transesophageal Echocardiography. J Am Soc Echocardiogr. 1999; 12: 884-900.         [ Links ]