SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.96 issue3Body mass index in adult and elderly individualsGRACE risk score vs TIMI risk score author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivos Brasileiros de Cardiologia

Print version ISSN 0066-782X

Arq. Bras. Cardiol. vol.96 no.3 São Paulo Mar. 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2011000300014 

CARTA AO EDITOR

 

Antropometria e fatores de risco cardiovascular

 

 

Mariana Lerch Belomé da SilvaI; Karine ZortéaII
IFundação Universitária de Cardiologia, Instituto de Cardiologia
IIDepartamento de Psiquiatria, Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS - Brasil

Correspondência

 

 


Palavras-chave: Antropometria, fatores de risco, doenças cardiovasculares.


 

 

Caro editor,

Oliveira e cols. 1 relatam que o índice de massa corporal (IMC) e a relação cintura quadril (RCQ) podem ser considerados fatores de risco para doenças cardiovasculares (DCV).

Estudos sugerem que a circunferência da cintura (CC) e IMC aumentados são indicadores de desenvolvimento da HAS, e a CC apresenta maior acurácia do que a RCQ na detecção da hipertrigliceridemia, do colesterol elevado e da composição corporal, embora ainda não seja o melhor preditor de dislipidemia2-5.

É importante ressaltar que a avaliação da CC é um procedimento simples, de baixo custo, e sua incorporação na rotina de avaliação dos pacientes poderá trazer grandes benefícios na investigação e no controle do estado nutricional.

Oliveira e cols. 1 não encontraram associação entre o percentual de gordura corporal (% GC) e os indicadores de DCV. Sabe-se que existem diferentes métodos para avaliar o % GC, como a bioimpedância e pregas cutâneas, porém ainda não estão esclarecidos quais métodos estimam melhor a gordura subcutânea ou visceral para poder estimar a associação do % GC com o perfil lipídico.

Portanto, mais estudos são necessários para complementar esta lacuna e evidenciar se há confiabilidade no uso clínico dos indicadores antropométricos para estimar com maior precisão o risco cardiovascular.

 

Referências

1. Oliveira MAM, Fagundes RLM, Moreira EAM, Trindade EBSM, Carvalho T. Relação de indicadores antropométricos com fatores de risco para doença cardiovascular. Arq Bras Cardiol. 2010;94(4):478-85.         [ Links ]

2. Picon PX, Leitão CB, Gerchman F, Azevedo MJ de, Silveiro SP, Gross JL, et al. Medida da cintura e razão cintura/quadril e identificação de situações de risco cardiovascular: estudo multicêntrico em pacientes com diabetes melito tipo 2. Arq Bras Endocrinol Metab. 2007;51(3):443-9.         [ Links ]

3. Nascente FMN, Jardim PCBV, Peixoto MRG, Monego ET, Barroso WKS, Moreira HG, et al. Hipertensão arterial e sua associação com índices antropométricos em adultos de uma cidade de pequeno porte do interior do Brasil. Rev Assoc Med Bras. 2009;55(6):716-22.         [ Links ]

4. Bozza R, Neto AS, Ulbrich AZ, Vasconcelos IQA de, Mascarenhas LPG, Brito LMS, et al. Circunferência da cintura, índice de massa corporal e fatores de risco cardiovascular na adolescência. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. 2009;11(3):286-91.         [ Links ]

5. Faria ER de, Franceschini SCC, Peluzio MCG, Sant'Ana LFR, Priore SE. Correlação entre variáveis de composição corporal e metabólica em adolescentes do sexo feminino. Arq Bras Cardiol. 2009;93(2):119-27.         [ Links ]

 

 

Correspondência:
Karine Zortéa
Avenida Protásio Alves, 7157/ 203A - Petrópolis
91310-003 - Porto Alegre, RS - Brasil
E-mail: karine.personaldiet@gmail.com

Artigo recebido em 15/06/10; revisado recebido em 08/07/10; aceito em 06/08/10.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License