SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.43 issue1Mineral nutrition of vegetable crops LXX: accumulation of dry matter and nutrients absorption of macronutrients by Muskmelon (Cucumis Melo L. Valenciano Amarelo CAC) cultivated in yellow red latosol in presidente Venceslau-SP, Brazil.Induced toxicities of aluminum and Manganese in Sweet Sorghum: I. Relations between P, Ca and Al author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Anais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Print version ISSN 0071-1276

An. Esc. Super. Agric. Luiz de Queiroz vol.43 no.1 Piracicaba  1986

http://dx.doi.org/10.1590/S0071-12761986000100011 

Nutrição mineral de seringueira IV. Toxicidade de Boro em Hevea brasiliensis*

 

Boron Toxicity in Hevea brasiliensis

 

 

H.P. HaagI; N. BuenoII; I.J.M. ViegasII; J.P. PereiraII

IE.S.A. "Luiz de Queiroz", USP, Piracicaba, SP
IICentro Nacional de Pesquisa da Seringueira e Dendê. Manaus, AM

 

 


RESUMO

Com freqüência observa-se no Brasil nas áreas de seringueira sintomas visuais de deficiência de boro, quer na fase de formação das mudas em crescimento em viveiro, quer no jardim clonal e mesmo nos primeiros anos de desenvolvimento das plantas definitivas. Foi também constatado que estas deficiências estão associadas com adubação de N, P, K, Mg.
Este fato levou os autores a determinar a resposta a plantulas de seringueira a níveis crescentes de boro no substrato (0,5; 1,0; 1,5; 2,0 e 2,5 ppm de B). Plantulas do clone Tjir 1 foram cultivadas em vasos contendo como substrato silica moida, acrescida de solução completa com os níveis de boro acima indicadas. Nove dias após o ensaio dos tratamentos o efeito do boro se fez notar. As plantas cresceram com menor intensidade e apareceram sintomas nas folhas, lembrando a carência de potássio. Houve queda acentuada de folhas. As concentrações de boro eram muito altas nas folhas variando entre 316 e 1300 ppm. No caule e nas raizes as concentrações eram menores de 21 a 85 ppm. Os autores concluem que a seringueira é muito sensível a toxicidade de boro, devendo ser dada uma atenção especial com este micronutriente nas plantações.


SUMMARY

It is quite common in brazilian rubber plantations the occurence of boron deficiency symptoms on the leaves associated with N, P, K, Mg fertilizer programs. A simple experiment involving the daily aplication of five levels of boron (0.5, 1.0, 1.5, 2.0, 2.5 ppm) to established rubber seedlings was carried out in a greenhouse with washed sand to determine the effects of excess boron associated with toxicity symptoms. The symptoms were observed nine days after commecement of treatments. The concentration of boron in the leaves were from 316 to 1300 ppm. In the stem and roots the concentrations of boron were lower from 21 to 81 ppm of boron on dry matter. Tip and marginal necrosis of the leaf occured when the boron concentration in the substract were 1.0 to 2.5 ppm of boron. The rubber plants exhibet early defoliation. The authors concluded that a very carefull atention should be taken when the application of boron under field condition in rubber plantations .


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

LITERATURA CITADA

BERGMANN, W., 1984. The significance of the micronutrient boro in agriculture. Simpósio apresentado pelo Borax Group. Berlim, 26 p.         [ Links ]

BERNIZ, J.M.J.; VIEGAS, I.J.M.; BUENO, N., 1980. Deficiência de zinco, boro e cobre em seringueira. Centro Nacional de Pesquisa de Seringueira e Dendê. Manaus, AM. Circular Técnica nº 1.         [ Links ]

BOLLE-JONES, E.W., 1957. Cooper: Its effects on the growth and composition of the rubber plant (Hevea brasiliensis). Plant and Soil. IX:160-178.         [ Links ]

BUENO, N.; GASPAROTTO, ; RODRIGUES, F.M., ROSSETTI , A. G., 1984. Comparação da eficiência técnica - econômica de níveis de adubação com controle de doenças foliares na produção de mudas de seringueira. Centro Nacional de Pesquisa de Seringueira e Dendê. Manaus, AM. Comunicado Técnico nº 33, 7 p.         [ Links ]

GEUS, J.G., 1973. Fertilizer guide for the tropics and sub tropics - Centre d'Etude de l'Azote. Zerich. Suiça. 774 p.         [ Links ] 

SARRUGE, J.R., HAAG, H.P., 1974. Análise química  em plantas. E.S.A. "Luiz de Queiroz", USP. Piracicaba, SP. 56 p.         [ Links ]

SHORROCKS, V.M., 1964. Boron toxicity in Hevea brasiliensis. Nature 204: 599-600.         [ Links ]

 

 

Realizado com a participação financeira do convênio SUDHEVEA/EMBRAPA/FEALQ.
* Entregue para publicação em 18/04/86.