SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.70 issue2Atrofia do timo em animais com tumores malignosPoliomyelitis: epidemiological aspects in Rio de Janeiro (Guanabara State) and adjacent areas in the period from 1961 to 1970 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Memórias do Instituto Oswaldo Cruz

Print version ISSN 0074-0276On-line version ISSN 1678-8060

Mem. Inst. Oswaldo Cruz vol.70 no.2 Rio de Janeiro  1972

http://dx.doi.org/10.1590/S0074-02761972000200005 

Desenvolvimento larvário de Balanídeos em laboratório - Balanus amphitrite (Var. amphitrite)

Dyrce Lacombe

Wanda Monteiro


RESUMO

É descrita a técnicade criação de balanus amphitrite var. amphitrite em laboratório, sob condições controladas, que permitem observações das mudas, do número de estágios e, ainda são apresentadas as características de cada estágio. Balanus amphitrite amphitrite é criado pela primeira vez em laboratório com sucesso. Dos 200 Nauplii obtidos da eclosão dos ovos das lamelas dos adultos, conseguiu-se a fixação de 120 cypris e o crescimento de 78 Balanus pelo período de três meses. A alimentação usada foi Cyclotella nana, proveniente do New York Aquarium. A fase larvária de Balanus amphitrite amphitrite consiste de seis estágios de Nauplii e um estágio de Cypris. A disposição, forma, tamanho, número de setas, sétulas e espinhos diferem entre os 6 estágios. São apresentados todos os detalhes de microanatomia de cada estágio. A setação é critério valioso para a identificação dos Nauplii e pode ser usada para separar certos estágios especiais. A duração dos seis estágios é a seguinte: o primeiro estágio leva, aproximadamente, de 15 a 20 minutos; 2º estágio de 2 até 4 dias a partir do nascimento dos Nauplii; 3º estágio vai até ao 6º dia; 4º estágio é encontrado a partir do 7º dia de eclosão; 5º estágio varia entre o 9º ao 11º dia e, finalmente, o 6º estágio até o aparecimento do Cypris que se faz no 12º dia de criação. O tempo necessário para o completo desenvolvimento larvários em laboratório estende-se de 12 até 14 dias, aproximadamente. O estudo da metamorfose do Cypris, e o crescimento dos Balanídeos foi realizado por um período de tres meses no frasco de criação.

ABSTRACT

We described the technique for the creation of the Nauplii of Balanus amphitrite amphitrite under controlled laboratory condictions, which permits observations of the moltings, the number of stages, and the characteristics of each stages. It was for the firt time that Balanus amphitrite amphitrite was reared in laboratory. From the 200 Nauplii that we obtained from the lamellae we get 120 Cypris stages, and the growth of 78 young balanids. Cyclotella nana from the New York Aquarium culture was used for alimentation. The larval phase of Balanus amphitrite amphitrite consiste of six naupliar stages and one Cypris stage. Form and size of the body, the number and structure of the appendage settation and spines, are given for all the larval stages. There are described all details of the microanatomy of each stage. The setation is, however, a valuable criterion for the identification of the Nauplii and may be used to separate stages and species. The duration of the six stages are the followings; first stage: 15 to 20 minutes; second stage: from the 2th to 4th day; third stage; from the 4th day to 6th; fourth stage: up to 8th day; fifth stage: from the 9th to 11th day and the sixth stage: up to the 12th day. The necessary time for the complete larval development in laboratory of Balanus amphitrite amphitrite ranges from 12 to 14 days. We continued to observe and study the Cypris stages metamorphose in young balanids and their growth for more than 3 months in the glass criation.

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License