SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número3Variações induzidas de atributos químicos e sua influência na reflectância espectral de três solos do estado do ParanáVariabilidade espacial de algumas propriedades químicas e físicas de um solo submetido a diferentes sucessões de cultivo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciência do Solo

versão On-line ISSN 1806-9657

Rev. Bras. Ciênc. Solo vol.22 no.3 Viçosa jul./set. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06831998000300015 

SEÇÃO VI - MANEJO E CONSERVAÇÃO DO SOLO E DA ÁGUA

 

Comparação entre os métodos da transeção linear e fotográfico na avaliação de cobertura vegetal morta, sob dois métodos de preparo, após a colheita da soja(1)

 

Comparing the line-transect and photographic methods of soil cover measurement, under two tillage methods, after the harvest of a soybean crop

 

 

A. G. C. AlvesI; N. P. CogoII, III; R. LevienIII

IProfessor do Departamento de Biologia, Universidade Federal Rural de Pernambuco. Rua D. Manoel de Medeiros, S/N, Dois Irmãos. CEP 52171-900 Recife (PE). E-mail: ouricuri@elogica.com.br
IIProfessor do Departamento de Solos, FA/UFRGS. Caixa Postal 776, CEP 90001-970 Porto Alegre (RS)
IIIBolsista do CNPq

 

 


RESUMO

A eficácia da cobertura vegetal morta no controle da erosão pode ser avaliada através de dois indicadores principais: a porcentagem de cobertura do solo pelos resíduos culturais e sua persistência sobre a superfície ao longo do tempo. O preparo do solo, por sua vez, pode exercer influência significativa sobre esses indicadores. O trabalho foi realizado no campo, no município de Eldorado do Sul, Depressão Central do Rio Grande do Sul. Avaliou-se a persistência da cobertura vegetal morta durante um período de pousio, que foi de maio de 1989 a abril de 1990, em sucessão à cultura da soja. Os resíduos dessa cultura foram manejados sem preparo, por escarificação e por gradagem. A porcentagem de cobertura do solo pelos resíduos culturais foi quantificada pelo método fotográfico e pelo da transeção linear. A cultura da soja produziu cobertura vegetal morta em pequena quantidade e de baixa durabilidade. A distribuição dos resíduos na superfície, sem preparo do solo, foi o tratamento que possibilitou melhor correlação (R2) entre os índices de cobertura obtidos pelos dois métodos testados. Nas áreas sob gradagem ou escarificação do solo, os índices de cobertura obtidos pelo método fotográfico foram superiores aos da transeção linear, enquanto, na área sem preparo do solo, houve similaridade entre os resultados dos dois métodos.

Termos de indexação: resíduos culturais, cobertura do solo, métodos de avaliação, preparo do solo.


SUMMARY

The best measures of crop residue quality for soil protection against erosion are the percentage of soil cover and its persistence on the soil surface. These two variables, in turn, may be strongly affected by soil tillage. This study was carried out in Rio Grande do Sul State, Southern Brazil (30°06'S; 51°39'W). Crop residue mulch persistence was evaluated over a fallow period, following the harvest of a soybean crop. Three conservation tillage methods (chiseling, disking, and no-till) were used as treatments for soybean residue management. Crop residue cover was measured using both the photographic and the line-transect methods. Soybean crop residues provided little protection to the soil, with very limited persistence. The degree of correlation among the data obtained with the two methods of cover measurement was greater when mulch was uniformly spread over the surface (no-tillage), as compared to the tilled surfaces. After chiseling and disking, the photographic method produced higher counts than the line transect. Results from the two methods of measurement were similar when the soil was not tilled after harvest.

Index terms: crop residues, soil cover, methods of measurement, soil tillage.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem a Carlos Alberto Rockenbach, do IPRNR-SAA/RS, e Leonir Terezinha Uhde, da Universidade de Ijuí (RS), pela colaboração na execução do trabalho.

 

LITERATURA CITADA

ALVES, A.G.C.; COGO, N.P. & LEVIEN, R. relações da erosão do solo com a persistência da cobertura vegetal morta. R. Bras. Ci. Solo, 19:127-132, 1995.         [ Links ]

BRASIL. Recomendações gerais do primeiro encontro sobre uso do simulador de chuva em pesquisa de conservação de solo no Brasil. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE PESQUISA DE EROSÃO COM SIMULADORES DE CHUVA, 1., Londrina, 1975. Anais. Londrina, IAPAR/EMBRAPA, 1975. p.107-120.         [ Links ]

HARTWIG, R.O. & LAFLEN, J.M. A meterstick method for measuring crop residue cover. J. Soil Water. Conserv., 33:90-91, 1978.         [ Links ]

LAFLEN, J.M.; AMEMIYA, M. & HINTZ, E.A. Measuring crop residue cover. J. Soil Water. Conserv., 36:341-343, 1981.         [ Links ]

LAFLEN, J.M. & COLVIN, T.S. Effect of crop residue on soil loss from continuous row cropping. Trans. Am. Sci. Agric. Eng., 24:605-609, 1981.         [ Links ]

LITTLE, T.M. & HILLS, F.J. Agricultural experimentation: design and analysis. New York, John Wiley, 1978. 350p.         [ Links ]

LOPES, P.R.C. Relações da erosão do solo com tipos e quantidades de resíduos culturais espalhados uniformemente sobre o solo. Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1984. 116p. (Tese de Mestrado)        [ Links ]

SLONEKER, L.L. & MOLDENHAUER, W.C. Measuring the amounts of crop residue remaining after tillage. J. Soil Water. Conserv., 32:231-236, 1977.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em maio de 1996
Aprovado em maio de 1998

 

 

(1) Trabalho realizado na Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do R io Grande do Sul (FA/UFRGS), em cooperação com o Instituto de Pesquisas de Recursos Naturais Renováveis da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Rio Grande (IPRNR-SAA/RS), com recursos da FINEP e do CNPq. Apresentado na 46ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, 9 a 14 de julho de 1995, São Luís (MA).

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons