SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número2Produção de frutos de laranjeira pêra e teores de nutrientes nas folhas e no solo, em Latossolo Vermelho-Escuro do Noroeste do ParanáCaracterísticas ambientais determinantes da capacidade produtiva de sítios cultivados com eucalipto índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciência do Solo

versão On-line ISSN 1806-9657

Rev. Bras. Ciênc. Solo vol.23 no.2 Viçosa abr./jun. 1999

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-06831999000200012 

SEÇÃO IV - FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS

 

Avaliação do crescimento de plantas de milho em função de doses de potássio e estresse hídrico(1)

 

Evaluation of maize growth as a function of potassium rates and water stress

 

 

E. F. VilelaI; L. T. BüllII

IProfessor Adjunto do Departamento de Engenharia, Universidade Federal de Lavras. Caixa Postal 37, CEP 37200-000 Lavras (MG)
IIProfessor Titular do Departamento de Ciência do Solo, FCA/ UNESP. Caixa Postal 237, CEP 18603-970 Botucatu (SP). Bolsista do CNPq

 

 


RESUMO

Este trabalho teve por objetivo estudar o efeito de variações nas doses de potássio e nos níveis de estresse hídrico sobre o ajustamento osmótico e crescimento de plantas de milho (Zea mays L.). Para tanto, instalou-se um experimento em vasos que continham 40 dm3 de Terra Roxa Estruturada Latossólica textura média argilosa, em casa de vegetação telada do Departamento de Ciência do Solo, Campus de Botucatu, UNESP/SP, de dezembro de 1994 a fevereiro de 1995. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso em esquema fatorial (2 x 3 x 3). Os tratamentos consistiram da aplicação de duas doses (35 e 130 mg dm-3) de potássio na forma de KCl e três condições de estresse hídrico, sendo plantas sem estresse (S0) e plantas que sofreram estresse hídrico moderado (S1) ou intenso (S2), 44 dias após a emergência. O crescimento das plantas foi avaliado em três épocas, aos 55, 69 e 83 dias da emergência. Da análise geral dos resultados pôde-se inferir que as folhas das plantas de milho se ajustaram osmoticamente com relação as doses de potássio, em condições de estresse hídrico moderado. Não houve efeito dos estresses hídricos na acumulação de K, Ca e Mg nas folhas; no entanto, a maior dose de K aplicado ao solo proporcionou, em todas as épocas, maior teor deste nutriente e menores de Ca e de Mg nas folhas. Os níveis de estresse utilizados não influíram na área foliar, mas o maior teor de água no solo aumentou a produção de matéria seca das partes e, principalmente, da planta toda, mostrando ser esta última a melhor característica para avaliação do déficit de água na planta. A maior dose de K proporcionou maior área foliar e produção de matéria seca às partes e à planta toda; no entanto, não influenciou o comportamento de nenhum índice fisiológico estudado. O maior teor de água no solo mostrou menores valores de área foliar específica (AFE), razão de área foliar (RAF) e razão de massa foliar (RMF). A adição de potássio não melhorou o crescimento da cultura, quando o fornecimento de água foi limitado. No entanto, as plantas mais bem nutridas em potássio produziram mais massa, independentemente dos níveis de água utilizados, indicando melhor produção de matéria seca destas plantas.

Termos de indexação: ajustamento osmótico, análise de crescimento, matéria seca, índices fisiológicos.


SUMMARY

The objective of this research was to evaluate the effects of potassium rates and water stress levels on the growth of maize (Zea mays, L.) plants. A pot (40 dm3) experiment was carried out using a "Terra Roxa Estruturada Latossólica", an Alfisol intergrade to Oxisol, clayey loam soil, in Botucatu - São Paulo, Brazil, from December 1994 to February 1995. The experimental design was a randomized block with a (2 x 3 x 5) factorial distribution of the treatments. Two potassium rates (35 and 130 mg dm-3, as KCl) and three water stress levels were studied: no water stress (S0), moderate (S1) and intense (S2) levels, from the 44th day after emergence. All pots were irrigated to maximum soil water potentials (-0,0106 MPa) when the soil water potentials reached -0,0232, -0,0484 and -1,5 MPa for the S0, S1 and S2 treatments, respectively. Plant growth was evaluated during five periods, being the first at 27 days after emergence and each 14 days thereafter. The osmotic adjustment in leaves was measured using the volume-pressure technique. The leaves exhibited osmotic adjustment to potassium levels under moderated water stress. There were no effects of applied water stress levels on the contents of K, Ca and Mg in the leaves; however, the highest rate of potassium promoted the highest concentration of this nutrient and the lowest of Ca and Mg for all periods. The water stress levels did not affect the leaf area; however, the highest water level in soil increased the dry matter of all the components and mainly of the whole plant, the latter being the best parameter to evaluate water deficits. Potassium increased the leaf area, but did not affect any of the studied physiological indices. Water stress increase led to a decrease of the specific leaf area, leaf area rate and leaf matter rate. Potassium did not improve plant growth with limited water supply. However, those plants best supplied with potassium showed the highest mass production, regardless of the applied water levels, suggesting improved crop production.

Index terms: osmotic adjustment, growth analysis, dry matter, physiological indices.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

LITERATURA CITADA

ANDERSEN, M.N. JENSEN, C.R. & LÖSCH, R. The interaction effects of potassium and drought in field-grown barley. I. yield, water-use efficiency and growth. Soil Plant Sci., 42:34-44, 1992.         [ Links ]

ANDRADE, A.G.; HAAG, H.P.; OLIVEIRA, G.D. & SARRUGE, J.R. Acumulação diferencial de nutrientes por cinco cultivares de milho (Zea mays L.). I- Acumulação de macronutrientes. An. ESALQ, 23:115-149, 1975.         [ Links ]

ASSAD, E.D.; SANO, E.E.; MASUTOMO, R.; CASTRO, L.H.R. & SILVA, F.A.M. Veranicos na região dos cerrados brasileiros freqüência e probabilidade de ocorrência. Pesq. Agropec. Bras., 28:993-1003, 1993.         [ Links ]

BATAGLIA, O.C.; FURLANI, A.M.C.; TEIXEIRA, J.P.F.; FURLANI, P.R. & GALO, J.R. Métodos de análise química de plantas. Campinas, Instituto Agronômico, 1983. 48p. (Boletim Técnico, 68)        [ Links ]

BAR-TAL, A.; FEIGENBAUM, S. & SPARKS, D.L. Potassium-salinity interactions in irrigated corn. Irrig. Sci., 12:27-35, 1991.         [ Links ]

BENINCASA, M.M.P. Análise de crescimento de plantas, Jaboticabal, FUNEP, 1988. 42p.         [ Links ]

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação do Solo. Critérios para distinção de classes de solos e de fases de unidades de mapeamento - Normas em uso pelo SNCLS. Rio de Janeiro, 1988. 67p.         [ Links ]

ESPINOZA, W. Resposta de doze cultivares de milho ao déficit hídrico num Latossolo Vermelho-Escuro (typic haplus tox) de cerrados do Distrito Federal. Pesq. Agropec. Bras., 17:905-915, 1982.         [ Links ]

FERREIRA, E. Características fisiológicas, absorção de nutrientes e desenvolvimento de plantas de milho (Zea mays L.) em função do nível de potássio e estresse hídrico. Botucatu, UNESP, Faculdade de Ciências Agronômicas, 1993. 130p. (Tese de Mestrado)        [ Links ]

KLAR, A.E. A água no sistema solo-planta-atmosfera. São Paulo, Nobel, 1984. 408p.         [ Links ]

MACHADO, E.C.; PEREIRA, A.R.; FAHL, J.I.; ARRUDA, H.V.; SILVA, W.J. & TEIXEIRA, J.P.F. Análise quantitativa de crescimento de quatro variedades de milho em três densidades de plantio, através de funções matemáticas ajustadas. Pesq. Agropec. Bras., 17:825-833, 1982.         [ Links ]

NeSMITH, D.S. & RITCHIE, J.T. Short-and. Long Term Responses of corn to a Pre-Anthesis Soil water Deficit. Agron. J., 84:107-113, 1992.         [ Links ]

NETTO, A.O.A. Comportamento fisiológico e produtivo da ervilha (Pisium sativum L.), submetida à diferentes potenciais água no solo. Botucatu, Universidade Estadual Paulista, 1993. 151p. (Tese de Mestrado)        [ Links ]

PEASLEE, D.E. & MOSS, D.N. Photosynthesis in K and Mg - deficient maize (Zea mays L.) leaves. Soil Sci. Soc. Am. Proc., 30:220-223, 1966.         [ Links ]

PINHO, J.L.N.; LAFFRAY, D. & LOUGUT, P. Evolução do ajustamento osmótico em cultivares de sorgo e milheto submetidas ao estresse hídrico. R. Bras. Fisiol. Veg., 5:58, 1993.         [ Links ]

PREMACHANDRA, G.; SANEOKA, H. & OGATA, S. Cell membrane stability and leaf water relations as affected by potassium nutrition of water-stressed maize. J. Exp. Bot., 42:739-745, 1991.         [ Links ]

PREMACHANDRA, G.S.; SANEOKA, H.; FUJITA, K. & OGATA, S. Osmotic adjustment and stomatal response to water deficits in maize. J. Exp. Bot, 43:1451-1456, 1992.         [ Links ]

RAIJ, B. van & QUAGGIO, J.A. Métodos de análise de solos para fins de fertilidade. Campinas, Instituto Agronômico, 1983. 31p. (Boletim Técnico, 81)        [ Links ]

SHARP, R.E.; HSIAO, T.C. & SILK, W.K. Growth of the maize primary root at low water potencials. Plant Physiol., 93:1337-1346, 1990.         [ Links ]

STROMBERGER, J.A., TSAI, C.Y. & HUBER, D.M. Interations of potassium with nitrogen and their influence on growth and yield potential in maize. J. Plant Nutr., 17:19-37, 1994.         [ Links ]

TYREE, M.T. & HAMMEL, H.T. The measurement of the turgor pressure and the water relations of plants by the pressure-bomb techinique. J. Exp. Bot., 23:267-262, 1972.         [ Links ]

URCHEI, M.A. Efeitos de déficits hídricos, em três estádios fenológicos, da cultura da cevada (Hordeum vulgare L.). Botucatu, Universidade Estadual Paulista, 1992. 165p. (Tese de Mestrado)        [ Links ]

VIEIRA, S.R. & CASTRO, O.M. Determinação, em laboratório, de curvas de retenção de água com tensiômetros. R. Bras. Ci. Solo, 11:87-90, 1987.         [ Links ]

WARNCKE, D.D. & BARBER, S.A. Root development and nutrient uptake by corn grown in solution culture. Agron. J., 66:514-516, 1974.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em setembro de 1997
Aprovado em janeiro de 1999

 

 

(1) Parte da Tese de Doutorado apresentada pelo primeiro autor, para obtenção do título em Agronomia, a Faculdade de Ciências Agronômicas, FCA/UNESP, Botucatu (SP).

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons