SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
Responsabilidades familiares ainda são desproporcionalmente assumidas pelas mães author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Cadernos de Pesquisa

Print version ISSN 0100-1574

Cad. Pesqui. vol.43 no.149 São Paulo May/Aug. 2013

 

Pesquisas sobre trabalho doméstico nas últimas décadas ressaltam desigualdades persistentes na categoria

 

 

Em recente revisão das pesquisas sobre o trabalho doméstico no Brasil, América Latina e contextos migratórios realizada por Jurema Brites, pesquisadora da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), observam-se transformações e continuidades relacionadas ao trabalho da categoria nas últimas décadas. O artigo indica a complexa configuração das atuais questões de investigação acadêmica, assim como as tensões políticas geradas nesse campo de debates e lutas. Como pano de fundo da realidade do trabalho doméstico, a autora aponta para questões de ordem demográfica, reestruturação produtiva, políticas de bem-estar social e modificações de sensibilidades das relações íntimas, atravessadas por recortes de gênero, etnia e nação transnacionais.

Dentre as principais transformações constatadas na realidade da ocupação, o levantamento aponta para "o deslocamento das mulheres de classes médias e altas de suas ocupações nos lares para postos de trabalho remunerados", o que, por sua vez, acentuou a demanda pelo trabalho doméstico remunerado, "mediante parco pagamento dispensado a mulheres oriundas de estratos de classe subalternos e/ou etnias desprestigiadas". Já no que se refere ao perfil da categoria, nota que "a população de trabalhadoras mensalistas-residentes tem diminuído significativamente, ao passo que cresce o número das que trabalham como diaristas". Referências importante são feitas ao envelhecimento da categoria, assim como a mudança no perfil de escolaridade das trabalhadoras.

Sobre as continuidades na realidade do trabalho doméstico a pesquisa ressalta sua desproteção legal, sendo que os recentes avanços da legislação brasileira no sentido de reverter esse quadro ainda possuem muitos entraves quanto a sua fiscalização. A relação entre trabalho doméstico e migração é outra constante. Segundo o estudo, "muitas trabalhadoras domésticas estabeleceram a ponte entre suas comunidades locais e os centros urbanos", assim como "a migração para a Europa e os Estados Unidos começa a se tornar feminilizada com forte inserção no mercado de trabalho doméstico e de cuidados". Por fim, no que se refere ao campo de pesquisas sobre trabalho doméstico, a revisão observa que sua produção é de autoria majoritariamente feminina (76,7% de 133 autores) e que sua problemática é intimamente associada à tradição feminista e aos estudos de gênero.

"Trabalho doméstico: questões, leituras e políticas" foi publicado em Cadernos de Pesquisa, da Fundação Carlos Chagas, v. 43, n. 149, p. 422-451, maio/ago. 2013. O artigo condensa estudos desenvolvidos pela autora desde 1995, quando foi contemplada pelo Programa de Dotações de Pesquisa sobre Mulheres e Relações de Gênero, em homenagem a Cristina Bruschini, organizado em maio de 2013 pela mesma fundação, e conta com o auxílio de alunos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) participantes do Tebas (Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Subalternidades) para o levantamento de publicações nos indexadores SciELO e Redalyc, com o intuito de identificar estudos sobre trabalho doméstico já divulgados.

 

 

Contato:
Jurema Brites
Professora do Programa de Mestrado em Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria
E-mail: juremagbrites@gmail.com

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License