SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue2A microsatellite library for Carica papaya L. cv. Sunrise soloRAPDs on genetic-molecular characterization and genetic variabiliti study of plums author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Fruticultura

Print version ISSN 0100-2945On-line version ISSN 1806-9967

Rev. Bras. Frutic. vol.25 no.2 Jaboticabal Aug. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452003000200021 

'Maravilha': uma nova seleção de tangerina 'Sunki'1

 

'Maravilha': a new selection of 'Sunki' mandarin

 

 

Walter dos Santos Soares FilhoI; Almir Pinto da Cunha SobrinhoII; Orlando Sampaio PassosIII; Emerson Dourado Barreto MoitinhoIV

IEngº Agrº, Dr., Pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura, Bolsista do CNPq, C.P. 007, CEP 44380-000, Cruz das Almas – BA, e-mail: wsoares@cnpmf.embrapa.br
IIEngº Agrº, M.Sc., Rua Manoel Caetano Passos, 174, CEP 44380-000, Cruz das Almas – BA
IIIEngº Agrº, Pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura, C.P. 007, CEP 44380-000, Cruz das Almas – BA, e-mail: orlando@cnpmf.embrapa.br
IVBolsista PIBIC – CNPq, aluno da Escola de Agronomia da UFBA - AGRUFBA, CEP 44380-000, Cruz das Almas – BA

 

 


RESUMO

Apesar das variações somáticas identificadas em pomares comerciais e em coleções de variedades serem, geralmente, desfavoráveis, apresentando baixa produtividade de frutos, morfologia foliar atípica ou frutos anormais, inúmeras mutações espontâneas de inquestionável valor têm sido identificadas, haja vista que a grande maioria das variedades cítricas comerciais, copas e porta-enxertos surgiu como decorrência de algum tipo de mutação natural. O presente trabalho diz respeito à exploração dessa importante via de obtenção de novos clones e variedades, fazendo parte de ações do Programa de Melhoramento Genético de Citros da Embrapa Mandioca e Fruticultura. Refere-se a uma nova seleção de tangerina 'Sunki', denominada 'Maravilha', identificada dentro de um grupo de seedlings nucelares da seleção 'da Flórida'. Foram realizadas comparações da 'Sunki Maravilha' com outras três seleções dessa tangerina, 'Comum', 'da Flórida' e 'Tropical', compreendendo os caracteres: número médio de sementes por fruto, número médio de embriões por semente, intervalo de variação do número de embriões por semente, porcentagem de poliembrionia e tamanho de embrião. Comparações foram efetuadas, também, com outros importantes porta-enxertos comerciais, limões 'Cravo' e 'Volkameriano' e tangerina 'Cleópatra', relativas a caracteres relacionados à germinação de sementes e ao vigor de seedlings (altura e número de folhas verdadeiras). Os resultados obtidos permitem indicar a seleção 'Sunki Maravilha' como alternativa de uso em programas de diversificação de porta-enxertos, nas condições em que esta tangerina apresenta boa adaptação, principalmente em função de seu relativamente elevado número médio de sementes por fruto (7,7), previsível uniformidade de seedlings, esta decorrente da elevada porcentagem de poliembrionia (100%), boa germinação de sementes e vigor de seedlings, além de provável resistência à gomose de Phytophthora spp.

Termos para indexação: Melhoramento genético, Citrus sunki, número médio de sementes por fruto, poliembrionia, tamanho de embrião, vigor de seedling, gomose de Phytophthora, diversificação de porta-enxertos.


ABSTRACT

In spite of identified somatic variations, in commercial orchards and in collections of varieties, usually presenting undesirable charateristics such as low fruit productivity, atypical foliar morphology, or abnormal fruits, countless spontaneous mutations of unquestionable value have been identified, since the great majority of the commercial citrus varieties (scions and rootstocks) appeared as a consequence of some type of natural mutation. The present work is concerned about the use of this important way of obtention of new clones and varieties, as a part of the Citrus Breeding Program of Embrapa Cassava & Fruits. It refers to a new selection of 'Sunki' mandarin, named as 'Maravilha', identified inside a group of nucellar seedlings of 'da Flórida' selection. Comparisons were accomplished among 'Sunki Maravilha' and other three selections of this mandarin ('Common', 'da Flórida' and 'Tropical'), comprising the following characters: seed average number per fruit and embryos per seed, variation in the range of embryo number per seed, polyembryony percentage and embryo size. Comparisons were also carried out with other important commercial rootstocks, 'Rangpur' lime, 'Volkamer' lemon and 'Cleopatra' mandarin, related to seed germination and seedling vigor (height and number of true leaves). The obtained results allow to indicate the selection 'Sunki Maravilha' as an alternative in programs of rootstock diversification under the conditions where this mandarin presents good adaptation, mainly in function of its relatively high average number of seeds per fruit (7.7), predictable uniformity of seedlings as a result of its high percentage of polyembryony (100%), good seed germination and seedling vigor, and also a probable resistance to Phytophthora foot rot.

Index terms: Citrus breeding, Citrus sunki, seeds per fruit, polyembryony, embryo size, seedling vigor, Phytophthora foot rot, rootstock diversification.


 

 

INTRODUÇÃO

Apesar das variações somáticas identificadas em pomares comerciais e em coleções de variedades serem geralmente desfavoráveis, apresentando baixa produtividade de frutos, morfologia foliar atípica ou frutos anormais, inúmeras mutações espontâneas de inquestionável valor têm sido identificadas (Soost & Cameron, 1975; Soost & Roose, 1996), haja vista que a grande maioria das variedades cítricas comerciais surgiu como decorrência de algum tipo de mutação natural.

Diversas laranjas doces [Citrus sinensis (L.) Osb.] originaram-se dessa forma em regiões da China, Mediterrâneo e Américas (Nishiura, 1965; Soost & Cameron, 1975; Soost & Roose, 1996), o mesmo verifica-se com muitos tipos de tangerina. No Japão, a maioria dos clones comerciais de tangerina 'Satsuma' (C. unshiu Marc.) proveio de mutações somáticas espontâneas (Nishiura, 1965; Soost & Cameron, 1975; Kukimura et al., 1976; Iwamasa & Nishiura, 1982; Soost & Roose, 1996). Na Região Mediterrânea, são conhecidas várias mutações naturais do grupo da tangerina 'Clementina' (C. clementina Hort. ex Tan.), distinguindo-se, na Espanha, as seleções 'Oroval', 'De Nules', 'Tomatera', 'Esbal', 'Hernandina', 'Guillermina' e 'Clementard', todas originadas a partir da 'Clementina Fina', cabendo mencionar, também, as seleções 'Marisol' e 'Arrufatina', mutações naturais das clementinas 'Oroval' e 'De Nules', respectivamente (Bono et al., 1982; Bono Ubeda et al., 1985). Outros exemplos incluem diversos tipos de limões verdadeiros [C. limon (L.) Burm. f.], como as variedades Eureka e Lisboa, e inúmeros pomelos (C. paradisi Macf.).

Quanto a variedades-porta-enxerto, a identificação de mutações espontâneas também é freqüente, sendo conhecidos exemplos relacionados a praticamente todas as principais variedades comerciais, incluindo, entre outros grupos, o dos limões 'Cravo' (C. limonia Osb.), 'Rugoso' (C. jambhiri Lush.) e 'Volkameriano' (C. volkameriana Ten. et Pasq.), das laranjas 'Azeda' (C. aurantium L.) e 'Caipira' (C. sinensis) e da tangerina 'Sunki' (C. sunki Hort. ex Tan.), além de diversas ocorrências em Poncirus trifoliata (L.) Raf.

O presente trabalho diz respeito à identificação, pelo Programa de Melhoramento Genético de Citros da Embrapa Mandioca e Fruticultura, de uma nova seleção de tangerina 'Sunki', de origem nucelar, passível de ser introduzida em sistemas comerciais de produção, cujas características distinguem-na de outros clones dessa tangerina.

 

MATERIAL E MÉTODOS

O trabalho foi conduzido na Embrapa Mandioca e Fruticultura, município de Cruz das Almas, Recôncavo Baiano, nas coordenadas geográficas 12º 40' 39" de latitude sul e 39º 06' 23" de longitude oeste, com altitude de 226 m. O clima da região, segundo a classificação de Köppen, é do tipo BSa, ou seja, apresenta evapotranspiração potencial média anual maior do que a precipitação média anual, estação seca de verão e temperatura média superior a 22º C no mês mais quente do ano (D'Angiolella et al., 1998), estando a umidade relativa média anual em torno de 80% (Embrapa, 1993).

Uma das etapas de avaliações compreendeu quatro seleções de tangerina 'Sunki': 'Comum', 'da Flórida', 'Tropical' e 'Maravilha'; as duas primeiras possuem características típicas dessa tangerina e a terceira distingue-se, particularmente, pelo relativamente elevado número médio de sementes por fruto que apresenta (Soares Filho et al., 2002a), sendo a última o foco principal da presente pesquisa. Trinta frutos de cada seleção, obtidos a partir de polinização livre ou aberta, sob condições ambientais semelhantes, foram colhidos e, no Laboratório de Cultura de Tecidos, sofreram lavagem em água corrente e tiveram suas sementes removidas, tomando-se o cuidado de garantir a integridade das mesmas. A seguir, as sementes viáveis foram quantificadas, em nível de cada fruto, e lavadas com solução de água e detergente, secadas e despojadas do integumento externo (testa). Mediante corte longitudinal, respeitando certa distância da região micropilar da semente para evitar injúrias aos embriões, procedeu-se a remoção do integumento interno (tégmen). A quantificação da poliembrionia baseou-se na excisão e contagem do número de embriões de cada semente, sendo estes procedimentos realizados sob estereomicroscópio equipado com uma fonte luminosa, empregando-se bisturi, pinça e estilete. A contagem e a classificação dos embriões com relação ao tamanho ocorreram simultaneamente às excisões dos embriões das sementes, valendo-se do auxílio de papel milimetrado esterilizado. Com base nos dados obtidos, os seguintes caracteres foram avaliados, relativamente às diferentes seleções de tangerina 'Sunki' estudadas: número médio de sementes por fruto, número médio de embriões por semente, intervalo de variação do número de embriões por semente (números mínimo e máximo de embriões encontrados nas sementes amostradas), porcentagem de poliembrionia (porcentagem de sementes com dois ou mais embriões em relação ao total de sementes obtidas) e tamanho de embrião. Os embriões foram separados em quatro classes de tamanho, referindo-se à dimensão do embrião propriamente dito, incluindo os cotilédones: classe 1 - embriões grandes (³5,0 mm); classe 2 - embriões médios (3,0 mm - 4,9 mm); classe 3 - embriões pequenos (1,0 mm - 2,9 mm); classe 4 - embriões muito pequenos (<1,0 mm).

Outra etapa de estudo disse respeito a avaliações relativas à porcentagem e à velocidade de germinação de sementes, esta última medida com base em observações, ao longo do tempo, da emissão de seedlings em canteiros de isopor, bem como ao vigor de seedlings, quantificado com base em medições da altura e do número de folhas verdadeiras, realizadas mensalmente, estando os seedlings com cerca de sete meses de idade no início dessas mensurações. Nesta etapa, a seleção 'Maravilha' de tangerina 'Sunki' foi comparada com porta-enxertos tradicionais: limões 'Cravo' e 'Volkameriano' e tangerina 'Cleópatra' (C. reshni Hort. x Tan.). Cabe mencionar que as sementes dessas variedades tiveram o integumento externo removido, de modo a facilitar a germinação, à exceção da 'Sunki Maravilha', cujas sementes apresentam uma ruptura natural do integumento externo, dispensando, portanto, essa prática.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

A Tabela 1 mostra, claramente, que as seleções 'Maravilha' e 'Tropical' destacaram-se das demais no tocante ao número médio de sementes por fruto (NMSF), com valores de 7,7 e 18,7, respectivamente. Essas seleções distinguiram-se, também, quanto aos caracteres número médio de embriões por semente (NMES), intervalo de variação do número de embriões por semente (IVNES) e porcentagem de poliembrionia (Tabela 1). Pode-se afirmar que, em decorrência da elevada porcentagem de poliembrionia manifestada por esses genótipos, a acentuada expressão dos caracteres NMES e IVNES já era esperada, conforme resultados obtidos por Vásquez Araujo (1991), Soares Filho et al. (1994, 2000 e 2002b), Moreira (1996) e Medrado (1998) em estudos sobre poliembrionia em citros. 'Maravilha' e 'Tropical' fogem ao padrão verificado na maioria dos clones conhecidos de tangerina 'Sunki', a exemplo das seleções 'Comum' e 'da Flórida', que via de regra apresentam baixa porcentagem de poliembrionia e reduzido NMES (Tabela 1) (Soares Filho et al., 1995, 2000 e 2002b; Moreira, 1996; Medrado, 1998).

 

 

Existe uma nítida associação positiva entre o grau de poliembrionia verificado em sementes de diferentes variedades de citros e a freqüência de seedlings de origem nucelar. Cruzamentos controlados utilizando diferentes parentais femininos, desde monoembriônicos a altamente poliembriônicos, comprovam essa afirmação (Vásquez Araujo, 1991; Soares Filho et al., 1994, 2000 e 2002b; Moreira, 1996; Medrado, 1998). Com base nisso, em função da elevada porcentagem de poliembrionia que possuem, pode-se inferir que sementes das seleções 'Maravilha' e 'Tropical' darão origem a seedlings bastante uniformes, uma vez que sua grande maioria será de origem nucelar, portanto geneticamente idênticos à planta-mãe, o que é extremamente importante sob o ponto de vista de seu emprego como porta-enxertos comerciais. Este é outro aspecto de distinção dessas seleções em relação aos clones conhecidos de tangerina 'Sunki', cujas freqüências de seedlings de natureza apogâmica (nucelares) são relativamente baixas, em razão do grau de poliembrionia relativamente baixo que apresentam.

Comparando os resultados relativos à classificação de tamanho de embriões (Tabela 2) com aqueles concernentes às porcentagens de poliembrionia das seleções estudadas (Tabela 1), constata-se uma associação negativa entre as porcentagens de poliembrionia e de embriões de maior tamanho, o que está de acordo com pesquisas realizadas por Vásquez Araujo (1991), Soares Filho et al. (1994, 2000 e 2002b), Moreira (1996) e Medrado (1998). Aqui, novamente, observa-se uma clara distinção das seleções 'Maravilha' e 'Tropical' em relação às demais, podendo-se caracterizá-las por uma predominância de embriões de menor tamanho, visto que mais de 74% de seus embriões ficaram compreendidos nas classes de tamanho pequeno (1,0 mm – 2,9 mm) e, principalmente, muito pequeno (< 1,0 mm) (Tabela 2).

 

 

No que concerne à porcentagem e à velocidade de germinação, resultados obtidos a partir de amostras de sementes, de tamanhos variados, dos limões 'Cravo' e 'Volkameriano' e das tangerinas 'Cleópatra' e 'Sunki Maravilha' indicaram que esta última, a exemplo do limão 'Cravo', apresentou porcentagem de germinação superior a 80% e relativamente alta velocidade de germinação, conforme se observa na Tabela 3. As baixas porcentagens de germinação de sementes apresentadas pelo limão 'Volkameriano' e pela tangerina 'Cleópatra' não são concludentes, uma vez que essas variedades são amplamente empregadas como porta-enxertos comerciais. Quanto ao comportamento da tangerina 'Sunki Maravilha' no tocante à sua velocidade de germinação, este pode ser atribuído ao fato de muitas de suas sementes caracterizarem-se por apresentar uma ruptura natural de seus integumentos externo e interno, facilitando sua germinação.

 

 

Considerando caracteres relacionados ao vigor, avaliações realizadas em seedlings nucelares dos limões 'Cravo' e 'Volkameriano' e das tangerinas 'Cleópatra' e 'Sunki Maravilha' indicaram um comportamento destacado para esta última, conforme se depreende pelos resultados expostos nas Tabelas 4 e 5. O vigor de planta relativamente elevado apresentado por seedlings nucelares da tangerina 'Sunki Maravilha' confirma o comportamento, em nível de campo, da planta matriz dessa seleção, sob a condição de pé-franco, cujo vigor, aos cerca de 13 anos de idade, é digno de nota. Esse seedling nucelar resultou de uma mutação espontânea da tangerina 'Sunki da Flórida', identificado dentro de um conjunto de nove seedlings dessa variedade, plantados em campo em espaçamento de 7,0 m x 4,0 m.

 

 

 

 

Além das características já mencionadas, outra qualidade de inquestionável importância da 'Sunki Maravilha', que destaca essa seleção das demais conhecidas dessa tangerina, refere-se à resistência de sua planta matriz à gomose de Phytophthora, observada em nível de campo. Enquanto todos os referidos seedlings nucelares de 'Sunki da Flórida' vieram a perecer em decorrência dessa doença fúngica, o seedling que originou a 'Sunki Maravilha' permanece vivo e muito vigoroso, conforme já mencionado. Avaliações visando confirmar essa importante característica encontram-se em curso, baseadas em inoculações artificiais, sob condições controladas, de espécies desse fungo, particularmente P. citrophthora e P. parasitica.

Com base no conjunto de informações obtidas, a seleção 'Sunki Maravilha', a exemplo do que se deu para a 'Sunki Tropical' (Soares Filho et al., 2002a), pode ser indicada como alternativa viável em um programa de diversificação de porta-enxertos, considerando-se condições ambientais e combinações com variedades-copa em relação às quais a tangerina 'Sunki' apresenta bom comportamento agronômico. Espera-se que essa seleção, à semelhança do que vem sendo observado em clones tradicionais de tangerina 'Sunki', seja tolerante à Morte Súbita dos Citros, problema de origem ainda desconhecida que tem causado sensíveis prejuízos em pomares assentados sobre limão 'Cravo', particularmente no Sudeste do Brasil.

 

CONCLUSÕES

1) A seleção 'Maravilha' pode ser indicada como alternativa de uso em programas de diversificação de porta-enxertos nas condições em que a tangerina 'Sunki' apresenta bom comportamento agronômico, principalmente em função de seu relativamente elevado número médio de sementes por fruto (7,7) e de sua previsível uniformidade de seedlings, esta decorrente da elevada porcentagem de poliembrionia que manifesta (100%), além de sua provável resistência à gomose de Phytophthora.

2) Com o aumento do grau de poliembrionia verifica-se, em sementes poliembriônicas de tangerina 'Sunki', uma maior concentração de embriões nas classes de menor tamanho (< 3,0 mm).

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BONO, R.; FERNÁNDEZ de CÓRDOVA, L.; SOLER, J. 'Arrufatina', 'Esbal' and 'Guillermina', three Clementine mandarin mutations recently discovered in Spain. In: INTERNATIONAL CITRUS CONGRESS, 5., 1981, Tokyo. Proceedings... Tokyo: International Society of Citriculture, 1982. v.1, p.94-96.

BONO UBEDA, R.; SOLER AZNAR, J.; O'CONNOR, F. de C. Variedades de agrios cultivadas en España. Moncada, Valencia: Instituto Valenciano de Investigaciones Agrarias (I.V.I.A.), 1985. 70p.

D'ANGIOLELLA, G.L.B., CASTRO NETO, M.T.; COELHO, E.F. Tendências climáticas para os tabuleiros costeiros da região de Cruz das Almas, BA. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA, 27., 1998, Poços de Caldas, MG. Anais... Lavras, MG: Sociedade Brasileira de Engenharia Agrícola, 1998. v.1, p.43-45.

EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos (Rio de Janeiro, RJ). Levantamento detalhado dos solos do Centro Nacional de Pesquisa de Mandioca e Fruticultura. Cruz das Almas, BA: Embrapa Mandioca e Fruticultura, 1993. 125p. (Boletim de Pesquisa).

IWAMASA, M.; NISHIURA, M. Recent citrus mutant selections in Japan. In: INTERNATIONAL CITRUS CONGRESS, 5., 1981, Tokyo. Proceedings... Tokyo: International Citrus Society, 1982. v.1, p.96-99.

KUKIMURA, H.; IKEDA, F.; FUJITA, H.; MAETA, T.; NAKAJIMA, K.; KATAGIRI, K.; NAKAHIRA, K.; SOMEGON, M. Genetical, cytological and physiological studies on the induced mutants with special regard to effective methods for obtaining useful mutants in perennial wood plants. In: FAO; IAEA Division of Atomic Energy in Food and Agriculture. Improvement of vegetatively propagated plants and tree crops through induced mutations. Viena: IAEA, 1976. p.93-137.

MEDRADO, A.C. de M. Cultivo de sementes versus cultivo in vitro de embriões de citros Citrus spp.: implicações na sobrevivência de híbridos. 1998. 46f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Agronomia, Universidade Federal da Bahia, Cruz das Almas.

MOREIRA, C. dos S. Freqüência de híbridos de citros Citrus spp. em relação ao grau de poliembrionia. 1996. 78f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Agronomia, Universidade Federal da Bahia, Cruz das Almas.

NISHIURA, M. Natural mutation and its utilization in the selection of citrus fruits. Gamma Field Symposia, Tokyo, n.4, p.27-38, 1965.

SOARES FILHO, W. dos S.; DIAMANTINO, M.S.A.S.; MOITINHO, E.D.B.; CUNHA SOBRINHO, A.P. da; PASSOS, O.S. 'Tropical': uma nova seleção de tangerina 'Sunki'. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.24, n.1, p.127-132, 2002a.

SOARES FILHO, W. dos S.; LEE, L.M.; CUNHA SOBRINHO, A.P. da. Influence of pollinators on polyembryony in citrus. Acta Horticulturae, Wageningen, Holanda, n.403, p.256-261, 1995.

SOARES FILHO, W. dos S.; MEDRADO, A.C. de M.; CUNHA, M.A.P. da; CUNHA SOBRINHO, A.P. da; PASSOS, O.S. Freqüência de híbridos em cruzamentos controlados de citros: cultivo de sementes versus cultivo in vitro de embriões. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.36, n., p., 2002b.

SOARES FILHO, W. dos S.; MOREIRA, C. dos S.; CUNHA, M.A.P. da; CUNHA SOBRINHO, A.P. da; PASSOS, O.S. Poliembrionia e freqüência de híbridos em Citrus spp. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, DF, v.35, n.4, p.857-864, 2000.

SOARES FILHO, W. dos S.; VÁSQUEZ ARAUJO, J.E.; CUNHA, M.A.P. da; CUNHA SOBRINHO, A.P. da; PASSOS, O.S. Degree of polyembryony, size and survival of the zygotic embryo in citrus. In: INTERNATIONAL CITRUS CONGRESS, 7., 1992, Acireale, Italy. Proceedings... Catania, Italy: International Society of Citriculture, 1994. v.1, p.135-138.

SOOST, R.K.; CAMERON, J.W. Citrus. In: JANICK, J.; MOORE, J.N. (Ed.) Advances in fruit breeding. West Lafayette, Indiana: Purdue University Press, 1975. p.507-540.

SOOST, R.K.; ROOSE, M.L. Citrus. In: JANICK, J.; MOORE, J.N. (Ed.) Fruit breeding; tree and tropical fruits. New York: John Wiley, 1996. v. 1, cap. 6, p. 257-323.

VÁSQUEZ ARAUJO, J.E. Identificação de embriões zigóticos em sementes poliembriônicas de citros Citrus spp. mediante características morfológicas. 1991. 74f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Agronomia, Universidade Federal da Bahia, Cruz das Almas.

 

 

Recebido: 28/10/2002
Aceito para publicação: 30/05/2003

 

 

1 (Trabalho 009/2003). Trabalho apresentado no XVII Congresso Brasileiro de Fruticultura, Belém - PA, novembro de 2002.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License