SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue3Carotenoids composition of canistel (Pouteria campechiana (Kunth) Baehni)Effect of prestorage curing on storage life, internal and external qualities of sweet orange (Citrus sinensis) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • Have no similar articlesSimilars in SciELO

Share


Revista Brasileira de Fruticultura

Print version ISSN 0100-2945

Rev. Bras. Frutic. vol.32 no.3 Jaboticabal Sept. 2010 Epub Sep 08, 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452010005000088 

ARTIGOS
BIOTECNOLOGIA

 

Constituintes voláteis do fruto do pajeuzeiro (Triplaris sp.)1

 

 

Volatile constituents of pajeuzeiro fruit (Triplaris sp.)

 

 

Júlia Geracila de Mello e CarneiroI; Antonia Maria das Graças Lopes CitoII; Eliana de Freitas PessoaIII

IProfª. Doutora do Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias da UFPI, Teresina – Piauí, email: jgmello@ufpi.edu.br
IIProfª. Doutora do Departamento de Química do Centro de Ciências da Natureza da UFPI, Teresina – Piauí, email: Antonia.cito@pq.cnpq.br
IIIEngenheira Agrônoma, Teresina – Piauí, email: lilyfreitas@yahoo.com.br

 

 


RESUMO

O estudo dos constituintes voláteis dos frutos contribui para a indicação destes para diferentes aplicações, como nas indústrias alimentícia, farmacêutica e de cosméticos. A importância da pesquisa de componentes voláteis em frutos silvestres reveste-se no fato de que esses resultados apontem para o seu aproveitamento, assim como para despertar o interesse de produtores para o seu cultivo comercial. O trabalho teve como objetivo a identificação dos constituintes voláteis do óleo essencial dos frutos de pajeuzeiro (Triplaris sp.). As atividades foram conduzidas no Núcleo de Estudos, Pesquisas e Processamento de Alimentos do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Piauí, em Teresina-PI. Os frutos foram colhidos no município de Beneditinos-PI. Na extração do óleo essencial, utilizou-se a técnica de hidrodestilação, e a identificação dos constituintes foi realizada por cromatografia gasosa / espectrometria de massas – CG/EM. Identificaram-se 8 (oito) das 12 (doze) substâncias extraídas, tendo como constituintes majoritários: palmitato de metila (21,67%) e 10-octadecenoato de metila (21,72%).

Termos para indexação: pajeú (Triplaris sp.); óleo essencial; palmitato.


ABSTRACT

The study of volatile constituents of the fruit contributes to the indication for different applications such as in food, pharmaceutical and cosmetics. The importance of research volatile compounds in berries is of the fact that these results point to their use, and to arouse the interest of producers for its commercial cultivation. The objective of this work was to the identification of volatile constituents of essential oil of fruits of the pajeuzeiro (Triplaris sp.). The activities were conducted in the Centro de Ciências Agrárias – CCA of the Universidade Federal do Piauí, Teresina, PI city. The fruits were collected in the of Beneditinos, PI city. In the extraction of essential oil it was used the technique of hydrodistillation and the identification of constituents was performed by gas chromatography / mass spectrometry - GC/MS. It was observed 8 (eight) of 12 (twelve) substances extracted with the major constituents: the methyl palmitate (21.67%) and 10-octadecenoate of methyl (21.72%).

Keywords: "pajeú" (Triplaris sp.); essential oil; palmitate.


 

 

O pajeuzeiro (Triplaris sp.) pertence à família Polygonaceae, que inclui cerca de 1.100 espécies, e está distribuído em áreas temperadas e tropicais de ambos os hemisférios.

Em algumas localidades do Estado do Piauí, os frutos são utilizados como comestíveis. Com o interesse de agregar valor a esses frutos, Pessoa (2007) avaliou o potencial industrial dos frutos do pajeuzeiro (Triplaris sp.), realizando a caracterização química e físico-química da polpa dos frutos e concluiu que seu aproveitamento é viável, pois apresenta potencial industrial para a elaboração de licores e geleias, necessitando, entretanto, de estudos botânicos, agronômicos e socioeconômicos. Na literatura consultada, não se encontrou relato tratando da composição química em voláteis da espécie em estudo.

Os óleos essenciais são substâncias voláteis odoríferas encontradas em várias partes das plantas. Recebem a denominação de "óleos" porque são misturas complexas de substâncias lipofílicas de aparência oleosa à temperatura ambiente (ROBBERS et al., 1997 apud COSTA, 2004). Diferem dos óleos fixos pela sua volatilidade, pois seus constituintes não são de natureza lipídica, como os triglicerídios, que ocorrem em algumas oleaginosas, como, por exemplo, a soja. O termo "essencial" diz respeito ao aroma das substâncias voláteis que, em geral, é agradável e intenso. Devido a sua solubilidade em solventes apolares, como o éter, os óleos essenciais recebem a denominação de óleos etéreos. Em água, têm baixa solubilidade, no entanto, aromatizam suas soluções aquosas conhecidas como hidrolatos (SIMÕES et al., 2002 apud COSTA, 2004).

O objetivo do trabalho foi identificar os constituintes voláteis do óleo essencial de frutos do pajeuzeiro (Triplaris sp.).

Foi utilizada a técnica de hidrodestilação para a extração e a cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas (CG/EM) como técnica de identificação. Foi coletado 1 kg dos frutos do pajeuzeiro no Município de Beneditinos-PI, entre os meses de novembro de 2006 e janeiro de 2007, armazenados em freezer, na temperatura de – 10 ºC e analisados no Laboratório de Produtos Naturais do Departamento de Química, do Centro de Ciências da Natureza da Universidade Federal do Piauí - UFPI, em Teresina-PI.

A extração do material vegetal (frutos do pajeuzeiro) foi realizada em aparelhagem tipo Clevenger modificada. Adicionaram-se cerca de 20 mL de água destilada, em 44 g de polpa do fruto. Em seguida, colocou-se em um balão de fundo redondo de junta esmerilhada acoplado a um extrator de óleo essencial. O hidrolato foi obtido pelo processo de hidrodestilação por 2 h.

Os óleos essenciais presentes no hidrolato foram separados por partição com 15 mL de diclorometano. Esse processo foi repetido 3 vezes. Em seguida, a fase orgânica foi seca com sulfato de sódio anidro (cerca de 5 g) e após filtração, o solvente foi eliminado em evaporador rotativo. O resíduo foi metilado com diazometano e injetado num cromatógrafo. O rendimento do óleo essencial foi de 0,91%.

O equipamento utilizado foi o cromatógrafo gasoso SHIMADZU GC-17ª, acoplado a um espectrômetro de massas GCMS-QP5050A, equipado com uma coluna capilar de sílica fundida DB-5 (95% polidimetilsiloxano e 5% difenil, 30 m de comprimento, 0,25 mm de diâmetro interno e 0,25 µm de espessura do filme de fase fixa). A programação utilizada para injeção e corrida da amostra foi a seguinte: injetor = 220 ºC, detetor = 240 ºC, coluna = 60ºC a 240ºC, 3ºC.min-1. O gás de arraste utilizado foi o hélio, com vazão de 1 mL/min. Injetou-se também, nas mesmas condições, uma mistura de padrões de hidrocarbonetos do C-8 ao C-23. A aquisição dos espectros de massa foi feita na faixa de 50 a 500 Daltons, pelo método de ionização por elétrons, com energia de ionização de 70 eV, corrente de 0,3mA, fonte de íons a 200°C e pressão de 10-5torr na câmara de ionização, em modo scan, otimizado com o softwere, calibrado com perfluoro tributilamina (PFTBA).

A identificação dos constituintes foi realizada por comparação dos espectros de massas com as entrada da biblioteca eletrônica Wiley 229, acoplada ao espectrômetro de massas e conferidos visualmente com espectros de massas disponíveis na literatura (ADAMS, 1995). Também foram calculados os índices de retenção relativos com base na injeção de padrões de hidrocarbonetos (C-8 a C-23), nas mesmas condições usadas para injeção dos constituintes voláteis.

A análise do óleo essencial dos frutos do pajeuzeiro, através de GC/EM, permitiu identificar 8 substâncias e detectar 4, para as quais não foi possível a identificação devido à ausência de padrões e de espectros de alta similaridade na biblioteca computacional consultada.

As substâncias identificadas no óleo essencial dos frutos do pajeuzeiro apresentaram predominância de ésteres (65,93%) como constituintes voláteis, destacando-se 21,67% de palmitato de metila e 21,72% de 10-octadecenoato de metila (Tabela 1).

 

 

Vários ésteres destacam-se como constituintes majoritários de voláteis de frutos tropicais. Em cultivares de mamão (Carica papaya L.), o linalol representa 93% dos compostos voláteis (FRANCO, 2003). Os compostos majoritários para murici (Byrsonima crassifolia L. Rich), fruta típica das regiões Norte e Nordeste do Brasil, são ésteres, dentre eles: hexanoato de etila e hexanoato de metila (ALVES, 2004). Segundo, Narain et al. (2004), a maior classe de compostos orgânicos identificados na polpa de maracujá (Passiflora edulis) pertence a ésteres, dentre os quais se destacam: butanoato de etila e butanoato de metila.

O fruto apresenta-se quase inodoro, uma vez que os ésteres identificados são de cadeia longa, laurato de metila e palmitato de metila. Os ésteres voláteis, ou seja, os de baixo peso molecular, que têm aromas característicos de frutas (ALLINGER, 1978), não foram identificados entre os constituintes voláteis dos frutos do pajeuzeiro. Vale ressaltar que, entre os constituintes voláteis, destacam-se ainda o 1-docosanol e o linalol, constituintes estes que apresentam atividades farmacológicas comprovadas, o primeiro como antiviral (KATZ et al. 1991) e o segundo, linalol, apresenta diversas atividades, destacando-se a anticonvulsivante (ANDRADE et al. 1998). Este último também é muito utilizado na indústria de cosméticos, como fixador de fragrâncias.

 

REFERÊNCIAS

ADAMS, R. P. Identification of essential oil components by gas chromatography: mass spectroscopy. Allured: Carol Stream, 1995.         [ Links ]

ALVES, G. L. Compostos voláteis importantes para o aroma de jenipapo (Genipa americana L.) e murici (Byrsonima crassifolia L. Rich). 2004. Tese (Doutorado em Ciência de Alimentos) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.         [ Links ]

ALLINGER, L. N. Química orgânica. 2.ed. São Paulo: Guanabara Dois, 1978.         [ Links ]

ANDRADE, L.; MICHELIN, K.; MOURA, A. C.; ELISABETSKY, E.; FRIGHETTO, N.; SIANI, A. C. Atividade anticonvulsivante e toxicidade de diferentes formas óticas de linalol. In: SIMPÓSIO DE PLANTAS MEDICINAIS DO BRASIL, 15., 1988, Águas de Lindóia. Resumos... p. 85.         [ Links ]

COSTA, F. B. da. Óleos essenciais de plantas do pasto apícola de Teresina – PI. 2004. 72 f. Dissertação (Mestrado em Química) - Universidade Federal do Piauí, Teresina,         [ Links ] 2004.

FRANCO, M. R. B. Aroma e sabor de alimentos: temas atuais. São Paulo: Livraria Varela, 2003.         [ Links ]

KATZ, D. H.; MARCELLETTI, J. F.; KHALIL, M. H.; POPE, L. E.; KATZ, L. R. Antiviral activity of 1-docosanol, an inhibitor of lipid-enveloped viruses including herpes simplex(viral inhibition/long-chain alcohols). Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, Washington, v.88, p.10825-10829, 1991.         [ Links ]

NARAIN, N.; ALMEIDA, J. N. das; GALVÃO, M. S. de; MADRUGA, M. S.; BRITO, E. S. de. Compostos voláteis dos frutos de maracujá (Passiflora edulis forma Flavicarpa) e de cajá (Spondias mombin L.) obtidos pela técnica de headspace dinâmico. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas, v. 24, n. 2, p.212-216, 2004.         [ Links ]

PESSOA, E. F. Potencial industrial dos frutos do pajeuzeiro. 2007. 32 f. (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2007.         [ Links ]

 

 

Recebido em: 16-06-2009
Aceito para publicação em: 14-04-2010

 

 

1 (Trabalho 151-09). Parte do trabalho de conclusão de curso de graduação.