SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número2A cultura de camu-camu no BrasilConcentração e época de aplicação de aminoetoxivinilglicine (AVG) na maturação de macieiras 'Fuji Suprema' índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945

Rev. Bras. Frutic. vol.33 no.2 Jaboticabal jun. 2011

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452011000200002 

Editorial

 

 

Procuraremos, neste Editorial, mostrar a nossa RBF, em números, apresentando considerações em cada grupo analisado.

 

1- Número de trabalhos recebidos para apreciação.

No período de 2000 a 2011, até maio de 2011 recebemos 2.821 trabalhos, com uma média de 23 trabalhos mensais, quando em 2000 recebíamos 22,8, mostrando a confiança dos pesquisadores brasileiros na área da fruticultura, em nos confiarem como meio de divulgação de suas valiosas contribuições (Figura 1).

 

 

2- Número de trabalhos Denegados:

Nossos indexadores estão sempre a exigir qualidade, procurando ter um corpo de assessores perfeitamente sintonizados com este propósito. Temos convidado, em cada edição publicada na RBF, aqueles autores com titulação mínima de doutor, e convidando-os a fazerem parte do nosso corpo de assessores, o que resultou num expressivo crescimento do seu número, quando passamos de 46 assessores em 1998, para 1.000 em 2011.

O que demonstra maior rigor na apreciação destes trabalhos, quando passamos de 30% de trabalhos reprovados em 2000, para 37% em 2010. Vale realçar que cada trabalho é apreciado por 3 assessores (Figura 2).

 

 

3- Fator de impacto junto ao ISI

Na primeira avaliação do fator de Impacto junto ao ISI, em 2009, referente aos anos precedentes de 2007 e 2008, obtivemos o valor de 0,265. Estamos ansiosamente aguardando a nova classificação, neste ano de 2011.

 

4 - Classificação junto à CAPES-QUALIS

A RBF, está indexada em várias categorias, com os seguintes conceitos (Tabela 01), em que, na categoria mais diretamente relacionada ao escopo dos nossos trabalhos em CIÊNCIAS AGRÁRIAS I, EVOLUÍMOS DO CONCEITO B2, PARA B1.

 

 

No entanto, estamos empenhados em melhorar o nosso conceito em outras áreas, como Biotecnologia e Ciência de Alimentos.

 

5- Informações técnicas sobre a fruta da capa

A partir do volume 23, número 1, Março 2001 passamos a dar informações sobre a fruta que ilustra a capa, convidando os autores que publicaram artigo relacionado na referida edição, a prestar estas informações, enviando-nos fotos para compor as referidas capas, o que tem contribuído no aspecto científico pelas importantes informações, bem como no lado estético da Revista (Figura 3).

 

 

6 - Indexações obtidas

Estamos indexados nas seguintes bases de dados:

• AGRIS - Internacional Information System for the Agricultural Science and Technology (FAO)

• AGROBASE - Base de Dados da Agricultura Brasileira

• CAB - Centre For Agriculture and Bioscience Internacional

• SciELO BRAZIL - Scientific Eletronic Library On line, onde a RBF, está indexada desde 2001

• Science Citation Index Expanded (also know as SciSearch®)(desde 2007)

• Journal Citation Reports/Science Edition

• The Gale Group (desde 2008)

Estamos avaliando as indexações obtidas para decidirmos sobre os procedimentos a serem adotados quanto a novos indexadores.

 

7 - Participação de outros Países

Uma avaliação do número de países que têm enviado trabalhos para serem publicados na RBF, no período de janeiro de 2000 a maio de 2011, mostra que a RBF está consolidando-se também em nível internacional (Figura 4).

 

 

8 –Agradecimentos

Queremos deixar consignado que estes números somente foram possíveis, mediante a confiança dos autores, do nosso maravilhoso corpo de assessores, do conselho editorial, da comissão editorial, do nosso corpo de funcionários, da diretoria da SBF, da FAPESP, CNPq, mostrando a importância do trabalho em equipe.

A todos o nosso MUITO OBRIGADO.

Vamos juntos lutar pelo nosso A.

PROF. Carlos Ruggiero

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons