SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número2Atividade antioxidante de frutos de quatro cultivares de pessegueiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fruticultura

versão impressa ISSN 0100-2945

Rev. Bras. Frutic. vol.35 no.2 Jaboticabal jun. 2013

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-29452013000200001 

EDITORIAL

 

Pós-colheita de frutas

 

 

O uso de tecnologia na pós-colheita de produtos hortícolas é a aplicação do conhecimento em química, física, bioquímica, fisiologia, microbiologia, refrigeração, logística e outros mais, para que se consiga abastecer consumidores nos mais diferentes locais e situações com produtos "frescos", ou melhor, produtos com a qualidade desejada pelos consumidores.

A concretização deste objetivo realiza-se com colheita adequada e com a manutenção dessa qualidade através dos processos de embalagem, armazenamento e distribuição, de forma a abastecer os consumidores, no tempo e na forma que eles desejam comprar.

Este quadro complica-se pela necessidade de redução de custos, diferenciação dos produtos e inovações tecnológica e biológica, dentro de um processo contínuo de grande urbanização da população. Torna-se evidente a questão: "Como distribuir frutas e hortaliças dos locais de produção para os de consumo, com manutenção do frescor e da qualidade desejada".

Reduzir significativamente as perdas pós-colheita de alimentos "frescos" torna-se cada vez mais necessário para que se reduza a ampliação das áreas de cultivo, com todas as suas implicações ambientais e de sustentabilidade, assim como do dispêndio de recursos com a busca de materiais genéticos cada vez mais produtivos.

Essa redução exige estratégias que também incluem a seleção de genótipos com qualidade adequada, o estabelecimento do ponto de colheita para seu uso, privilegiando-se os sistemas de produção integrada em que a qualidade seja o objetivo primordial.

A aplicação de tecnologia adequada para prevenir a deterioração pós-colheita de frutas e hortaliças "frescas" é a alternativa adequada para se reduzir as perdas pós-colheita. Os avanços atuais na produtividade aumentaram parcialmente a disponibilidade dos produtos hortícolas, mas a disponibilidade destes alimentos, com a qualidade requerida pelos consumidores, ainda é bastante prejudicada pela falta de conhecimento adequado da biologia pós-colheita dos mesmos, assim como da possibilidade de uso de tecnologias que cada vez mais estão disponíveis, em ambiente em que a pesquisa seja interdisciplinar e com grande interesse em se difundir as informações disponíveis a respeito dos produtos colhidos.

O exposto leva-nos ao afirmado por Chitarra e Chitarra em seu livro mais recente: "Para vencermos a barreira da deficiência na qualidade e na conservação, assim como das perdas na cadeia de comercialização de produtos perecíveis, como frutas e hortaliças, necessitamos do uso de tecnologias adequadas e da formação de recursos humanos qualificados e bem capacitados nas Ciências Agrárias e em áreas afins".

 

José Fernando Durigan
jfduri@fcav.unesp.br

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons