SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 número5Valor dos procedimentos percutâneos orientados por métodos de imagem no tratamento das coleções abdominais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Radiologia Brasileira

versão On-line ISSN 1678-7099

Radiol Bras v.34 n.5 São Paulo set./out. 2001

https://doi.org/10.1590/S0100-39842001000500022 

Resumos de Teses

Importância da tomografia computadorizada na avaliação da fase da doença de Addison.

Autora: Suzan Menasce Goldman.
Orientador: Sergio Ajzen. Co-orientadora: Maria Lucia Borri.
Tese de Doutorado. EPM/Unifesp, 2001.

 

 

Objetivos ¾ Avaliar a capacidade da tomografia computadorizada na classificação da fase da doença de Addison (aguda, subaguda e crônica), associar os achados tomográficos com o diagnóstico etiológico da insuficiência adrenocortical primária, relacionar os achados tomográficos com resultados hormonais em pacientes com diagnóstico confirmado de doença de Addison e avaliar, pela tomografia, as glândulas adrenais na doença de Addison.

Métodos ¾ Estudo prospectivo de 26 pacientes com diagnóstico clínico e laboratorial confirmado de doença de Addison, no período compreendido entre setembro de 1993 e outubro de 1998. Todos os pacientes realizaram tomografia e foram avaliados presença de atrofia, aumento volumétrico e aumento volumétrico com áreas de atrofia de permeio; outro parâmetro avaliado foi a presença de calcificações.

Resultados ¾ Todos os pacientes com insuficiência adrenocortical primária por doença auto-imune apresentaram glândulas reduzidas (atrofia) e tempo de doença superior a 24 meses. Os pacientes com insuficiência adrenocortical primária por etiologia granulomatosa apresentaram aumento volumétrico das glândulas, quando o tempo de doença foi inferior a três meses; aumento volumétrico com áreas de atrofia de permeio, quando o tempo de doença foi inferior a 12 meses e superior a seis meses; e atrofia, quando o tempo de doença foi superior a 24 meses. A atrofia das glândulas e o tempo de doença superior a 24 meses caracterizam a fase crônica, o aumento volumétrico glandular e o tempo de doença inferior a três meses caracterizam a fase aguda, e o aumento volumétrico com áreas de atrofia de permeio e o tempo de doença entre seis e 12 meses caracterizam a fase subaguda. Houve presença de calcificações apenas nas glândulas de pacientes com insuficiência adrenocortical por etiologia granulomatosa. Nenhuma glândula, na fase aguda da doença, apresentou calcificação.

Conclusões ¾ A tomografia é método fundamental para o diagnóstico da fase da doença de Addison. O diagnóstico clínico-laboratorial não firma a fase da doença, e a presença de calcificação na tomografia sugere doença granulomatosa.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons