SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 número6Importância da TC na avaliação da fase da doença de AddisonAvaliação quantitativa da esteatose hepática pela tomografia computadorizada índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Radiologia Brasileira

versão On-line ISSN 1678-7099

Radiol Bras v.34 n.6 São Paulo nov./dez. 2001

https://doi.org/10.1590/S0100-39842001000600021 

Resumos de Teses

Avaliação da função endotelial e da espessura do complexo intimal-medial das carótidas pela ultra-sonografia com Doppler em diferentes faixas etárias de indivíduos normais.

Autor: Dejaldo Marcos de Jesus Christofalo.
Orientador: Sergio Ajzen.
Tese de Doutorado. Unifesp/EPM, 2001.

 

 

Objetivo: Definir valores de referência da espessura do complexo intimal-medial das artérias carótidas em diferentes faixas etárias da população denominada de normal do nosso meio, assim como propor valores de referência normais para as variações da função endotelial desta população sob a ação de estímulos predeterminados.

Métodos: Estudaram-se 74 pacientes, com idades variando entre 20 e 69 anos, divididos em cinco grupos, de acordo com a faixa etária, sendo submetidos a avaliações clínica e laboratorial e a estudo ultra-sonográfico da função endotelial.

Resultados: Evidenciou-se haver diferença estatística significativa entre a espessura do complexo intimal-medial das carótidas comuns direita e esquerda entre os grupos etários mais jovens (20 a 29 e 30 a 39 anos) com o grupo acima de 60 anos, e entre o grupo de 20 a 29 anos com o grupo de 50 a 59 anos para a carótida comum esquerda, e sugestão de diferença estatística significativa entre estes mesmos dois grupos em relação à carótida comum direita. Em relação à espessura do complexo intimal-medial da artéria braquial direita, evidenciou-se haver diferença estatística significativa entre o grupo etário de 20 a 29 anos com os grupos etários de 40 a 49 anos e acima de 60 anos, e sugestão de diferença estatística significativa entre o grupo de 20 a 29 anos e o grupo acima de 50 a 59 anos. Também há diferença estatística significativa entre o grupo etário de 30 a 39 anos e o grupo acima de 60 anos. Evidenciou-se ampla variabilidade de valores na função endotelial, tanto na mesma faixa etária como entre as diferentes faixas, isto sendo demonstrado pelos amplos desvios-padrão obtidos.

Conclusões: O complexo intimal-medial das artérias carótidas comuns apresenta aumento de espessura em faixas etárias mais altas e há grande variabilidade de valores na função endotelial.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons