SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número3Avaliação cefalométrica, análise facial e oclusal de indivíduos acondroplásicos brasileiros adultosO valor da sequência de difusão por ressonância magnética na caracterização de lesões císticas pancreáticas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Radiologia Brasileira

versão impressa ISSN 0100-3984versão On-line ISSN 1678-7099

Radiol Bras vol.42 no.3 São Paulo maio/jun. 2009

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-39842009000300022 

Avaliação crítica dos benefícios e limitações da RM como método complementar no diagnóstico das malformações fetais

 

 

Autor: Renato Luis da Silveira Ximenes.
Orientador: Jacob Szejnfeld.
[Tese de Mestrado]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2008.

OBJETIVO: Avaliar, por meio da ressonância magnética (RM), uma série de fetos com diagnóstico ultrassonográfico de malformação, a fim de estabelecer os benefícios e limites diagnósticos proporcionados pela técnica de RM fetal, em comparação com a ultrassonografia.
MÉTODOS: Foram estudadas 40 mulheres entre 15 e 35 semanas de gestação com diagnóstico de anomalia fetal, durante o exame de ultrassonografia. As pacientes foram encaminhadas para o estudo complementar com RM. As indicações para o estudo da RM fetal foram: anomalias do sistema nervoso central, do tórax, do abdome, renais, esqueléticas e tumores. A avaliação pós-natal incluiu a revisão das imagens de ultrassonografia e RM, o acompanhamento do nascimento, exames laboratoriais, radiológicos e necropsia.
RESULTADOS: Os resultados mostraram que os estudos complementares com RM fetal trouxeram informações adicionais em 60% dos casos estudados. Os benefícios da RM fetal foram: ampliação da avaliação global, aumento do campo de avaliação, maior resolução tecidual pelo uso de sequências, e avaliação em pacientes obesas e com oligoidrâmnio. Os limites da RM fetal foram: evitar exame no primeiro trimestre, avaliação do fluxo sanguíneo, movimentação fetal, claustrofobia materna, estudo do coração fetal e esqueleto.
CONCLUSÃO: A RM fetal pode ser utilizada como método complementar para a avaliação das malformações fetais.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons