SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 número111O Platonismo de Russell na metafísica e na matemática índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Kriterion: Revista de Filosofia

versão impressa ISSN 0100-512X

Kriterion v.46 n.111 Belo Horizonte jan./jun. 2005

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-512X2005000100001 

Homenagem a Richard H. Popkin (*1923 - †2005)

 

 

José Raimundo Maia Neto

Professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Minas Gerais

 

 

Richard H. Popkin nasceu em Nova York. Estudou na Universidade de Columbia, onde foi aluno de John H. Randall e Paul O. Kristeller. Casou-se com Julie Popkin, companheira e colaboradora por 60 anos, com quem teve três filhos. Foi professor, sucessivamente, nas universidades de Iowa, Califórnia em São Diego, Washington em Saint Louis e UCLA. Teve papel crucial no estabelecimento da área de história da filosofia moderna nos Estados Unidos, fundando a mais importante revista norte-americana neste campo, o Journal of the History of Philosophy. Orientou teses de alguns dos grandes historiadores da filosofia moderna nos Estados Unidos, tendo sido grande incentivador, amigo e colaborador dos seus ex-alunos e colegas do mundo inteiro. Formou uma rede internacional na área, estabelecendo cooperações e contatos entre pesquisadores das Américas e da Europa (para citar somente alguns dos já falecidos: Ezequiel de Olaso, Charles Schmitt, Giorgio Tonelli e Henri Gouhier).

Com P. Dibon (Paris) criou o Archives Internationales d'Histoire des Idées/International Archives of the History of Ideas, que conta hoje com quase 200 volumes publicados em francês e inglês. Após o assassinato de John Kennedy em 1963, desenvolveu detalhado trabalho de investigação sobre o caso, tendo tido grande repercussão na época o seu livro The Second Oswald (New York: The New York Review and Avon Books, 1966), que desmonta a versão oficial da Comissão Warren do assassinato. Desenvolveu pesquisa na França e nos Estados Unidos sobre a retomada do ceticismo antigo na modernidade. Esse trabalho gerou a sua mais importante obra, o hoje clássico História do Ceticismo  de Erasmo a Espinosa (primeira edição até Descartes, 1960; segunda edição revista e aumentada, 1979; traduzida para o espanhol em 1983; para o italiano em 1995; para o francês também em 1995; e para o português em 2000). Um dos últimos trabalhos de Popkin foi preparar uma nova edição da História do Ceticismo, revista e ampliada, de Savonarola a Bayle, que foi publicada pela Oxford University Press em 2003.

A teoria de Popkin de que o ceticismo é uma corrente filosófica fundamental entre o séculos XVI e XVIII é extremamente influente entre os estudiosos da filosofia e das idéias do período. O "incansável Popkin", como era às vezes chamado por colegas com quem compartilhava seu entusiasmo e enorme dedicação à pesquisa em história da filosofia, publicou mais de 200 artigos sobre a história do ceticismo e das idéias religiosas no período moderno. Alguns desses artigos sobre o ceticismo foram reunidos por Richard Watson e James Force no volume The High Road to Pyrrhonism (San Diego: Austin Hill, 1980), e outros sobre o milenarismo foram reunidos por Popkin no volume The Third Force in Seventeenth Century Philosophy (Leiden: Brill, 1992). Popkin organizou vários congressos internacionais e volumes coletivos sobre estes dois temas. Faleceu com 82 anos deixando inacabados dois projetos que serão concluídos por colaboradores: um trabalho sobre o rabino Isaac ben Abraham de Troki (1533 - 1594) e uma antologia de textos sobre o ceticismo da Antigüidade à filosofia contemporânea. No Brasil, além da História do Ceticismo, traduzida pelo professor Danilo Marcondes de Souza Filho (Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2000), Popkin publicou uma coletânea de artigos no volume Ceticismo, organizado pelo professor Emílio Eigenheer (Niterói: EDUFF, 1. ed. 1985, 2. ed. 1996), um artigo sobre Espinosa e os Quakers na Manuscrito (6, 2, 1982, p. 113-133) e um outro sobre o milenarismo de Savonarola e do Cardeal Ximines na Kriterion (v. 39, n. 97, 1998, p. 9-22).