SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 issue122Les transfigurations de la notion de physis entre Homère et Aristote author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Kriterion: Revista de Filosofia

Print version ISSN 0100-512X

Kriterion vol.51 no.122 Belo Horizonte July/Dec. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-512X2010000200011 

APRESENTAÇÃO

 

 

Os artigos aqui reunidos foram apresentados no II Simpósio Internacional de Estudos Clássicos cujo tema foi PHYSIS - NATURA - NATUREZA. A exceção é o texto de G. Giardina que não pôde comparecer ao evento, ocorrido nos dias 25 a 29 de maio de 2009 no Departamento de Filosofia da UFMG, mas que enviou seu texto para esta publicação. O II Simpósio Internacional de Estudos Clássicos contou com o apoio da CAPES, da FAPEMIG, do PAIE (UFMG) e do Programa de Pós-graduação em Filosofia (UFMG).

Todo trabalho de recolha e compilação dos textos sobre esse tema, não poderia ter sido empreendido sem o apoio dos colegas que colaboraram com esse volume temático da Kriterion enviando seus respectivos textos. Devo ressaltar também a sempre gentil colaboração de meus colegas Marcelo Pimenta Marques e Miriam Campolina Peixoto, parceiros igualmente do Grupo de Filosofia Antiga (CNPq) e que desde alguns anos partilham comigo o prazer de ensinar Filosofia Antiga no Departamento de Filosofia da UFMG, bem como a responsabilidade de organizar a cada dois anos mais um evento da série Simpósio Internacional de Estudos Clássicos da UFMG.

Reuni os artigos do seguinte modo: em primeiro lugar, iniciei o volume com uma reflexão mais geral sobre a noção de physis, de Homero a Aristóteles, feita por L. Couloubaritsis; a seguir, inseri três artigos voltados para a reflexão sobre algum aspecto da physis nos Pré-socráticos, caso dos textos de A. Lopes (exegetas de Homero e Heráclito), de I. Bocayuva (Anaximandro, Parmênides e Heráclito) e de M. Peixoto (Demócrito); depois, agrupei quatro artigos - os textos de M. Marques (República), M. Montenegro (Fedro), A. Borges (República) e E. de Morais (sobre a natureza do filósofo) - dedicados à investigação de alguma dimensão da physis em Platão; em seguida, acrescentei um bloco de textos sobre Aristóteles que agrupa os artigos de E. Berti (sobre a geração do intelecto), F. Puente (Física III), L. Angioni (Física II), G. Giardina (Física I) e A. Vigo (sobre a causalidade) e por fim, encerrei este volume temático em Filosofia Antiga com o artigo dedicado ao neoplatonismo de E. Fernandes (Proclo). Por fim, agradeço também a resenha enviada por J. Trindade Santos Trindade Santos acerca de um livro recém-publicado sobre Platão de autoria de F. Trabattoni.

Dado que os autores adotaram diferentes critérios para a transliteração dos termos gregos, decidi respeitar a sua diversidade de opções, ao invés de unificá-los.

Por fim, mas não em último lugar, gostaria de agradecer ao CNPq pela bolsa de produtividade em pesquisa que disponho e que tem me possibilitado nesses últimos anos refletir mais detidamente sobre a physis na Antiguidade, e em especial sobre a reverberação desse conceito na Física de Aristóteles.

 

Fernando Rey Puente