SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue129Deleuze, leitor de Espinosa: automatismo espiritual e fascismo no cinemaIANNINI, G. "Estilo e verdade em Jacques Lacan". Belo Horizonte: Autêntica, 2012. 374 p author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Kriterion: Revista de Filosofia

Print version ISSN 0100-512X

Kriterion vol.55 no.129 Belo Horizonte Jan./June 2014

https://doi.org/10.1590/S0100-512X2014000100021 

RESENHAS

 

RIBEIRO, N. "Pessoa Philosophical Essays". New York: Contra Mundum Press, 2012. 260p.

 

 

Cláudia Souza

Doutora em Literatura de Língua Portuguesa, Estágio de pós-doutorado no Departamento de Filosofia-USP, claudiasouzza@hotmail.com

 

 

Fernando Pessoa, nascido em Lisboa (1888), passou uma parte da sua infância em Durban, na África do Sul. Nessa cidade, o poeta português foi alfabetizado em inglês, aprendeu latim e realizou suas primeiras leituras, algumas delas marcantes, como foi o caso do livro "The Pickwick Papers", escrito por Charles Dickens.

O retorno definitivo de Pessoa a Lisboa ocorreu em 1905. Nesse ano, o autor português matriculou-se no curso de Letras da Universidade de Lisboa e passava grande parte do seu tempo mergulhado em leituras na Biblioteca Nacional de Portugal. Os registros deixados por Fernando Pessoa nessa época revelam o seu interesse sobretudo por duas áreas do conhecimento: a filosofia e as ciências do psiquismo humano.

As notas de leituras, projetos e textos filosóficos de Pessoa encontravam-se, até o momento, marginalizados nos estudos pessoanos. Poucos foram os investigadores que se dedicaram a uma leitura atenta e perspicaz desta seção do espólio pessoano.

Os interessados pelo pensamento filosófico de Pessoa tinham necessariamente que recorrer ao livro "Os fundamentos filosóficos da obra de Fernando Pessoa", de António Pina Coelho, publicado em 1971. Esse livro revela um primeiro esforço para iluminar o pensamento filosófico pessoano. Embora seja uma edição séria e de referência histórica, o livro encontra-se desatualizado e com algumas relevantes questões a serem revistas.1

Para além do livro de António Pina Coelho, poucos investigadores publicaram artigos ou capítulos de livros sobre o pensamento filosófico de Fernando Pessoa. O filósofo e ensaísta José Gil publicou, em "Pessoa inédito",2 um texto ressaltando a importância dos textos filosóficos pessoanos e a necessidade de uma futura publicação que privilegiasse esta parte do escritos deixados por Pessoa.

Em 2011, Nuno Ribeiro publicou um artigo intitulado "Tive em mim milhares de Filosofias - questões para a edição dos escritos filosóficos inéditos de Pessoa",3 na revista "Cultura ENTRE Culturas". Esse foi o primeiro artigo de uma série, em que o pesquisador e filósofo português revela ao público estudioso a relevância do pensamento filosófico de Pessoa.

Nuno Ribeiro reuniu no livro "Pessoa Philosophical Essays", publicado em dezembro de 2012 nos Estados Unidos, textos filosóficos de Fernando Pessoa. Nesse livro, encontramos ensaios sobre o livre-arbítrio, sobre as sensações e a ideia de causa, sobre Pascal, sobre o racionalismo, entre outros importantes escritos que deixam claro que Pessoa não foi apenas leitor desta área do conhecimento. O poeta e pensador português planejou diversos projetos filosóficos.

A publicação realizada em língua inglesa se justifica porque Pessoa escreveu os ensaios em questão, em alguns dos casos com a ajuda de outros eus - Charles Robert Anon e Alexander Search, em inglês (língua que aprendeu na África do Sul).

É importante ressaltar que Nuno Ribeiro utiliza nessa edição americana material do espólio de Pessoa. Encontramos no livro imagens de textos pessoanos e transcrições diretas dos seus escritos. No prefácio, o editor explica detalhadamente o percurso realizado por Pessoa e seus outros eus até a filosofia.

O diferencial dessa publicação é ter sido realizada por um investigador pessoano que é também filósofo, o que marca toda a diferença. Para além disso, o livro inaugura uma pesquisa de fundo sobre a filosofia pessoana, podendo resultar dela uma série de outras investigações.

O intuito dessa edição não é relacionar a poesia pessoana às muitas leituras filosóficas realizadas por Pessoa. O objetivo da obra, de acordo com a nossa perspectiva, é propiciar ao investigador interessado no pensamento filosófico pessoano um material de primeira ordem, uma fonte e uma inspiração para aqueles que querem relacionar filosofia com literatura.

 

 

Resenha recebida em 25/02/2013 e aprovada em 16/10/2013.

 

 

1  Nuno Ribeiro refere em sua Tese de Doutorado ("Tradição e pluralismo nos escritos filosóficos de Fernando Pessoa - Escritos filosóficos de Fernando Pessoa". Universidade Nova de Lisboa, 2012) uma nota de leitura do espólio pessoano do livro "De Profundis", de Oscar Wilde, que foi publicado no livro de Pina Coelho como um fragmento do pensamento filosófico de Fernando Pessoa.
2  LOPES, T. R. (org.). "Pessoa inédito". Lisboa: Livros Horizontes, 1993.
3  RIBEIRO, N. "Tive em mim milhares de Filosofias - questões para a edição dos escritos filosóficos inéditos de Pessoa". Cultura ENTRE Culturas, Lisboa, Nr. 3, pp. 192-200, 2011.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License