SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número3Método do rolo de papel toalha modificado para a detecção de Sclerotinia sclerotiorum em sementes de feijãoOcorrência de Sclerotinia sclerotiorum (Lib.) de Bary em Aster ericoides L. (White Show) no estado de São Paulo, Brasil. índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Summa Phytopathologica

versão impressa ISSN 0100-5405versão On-line ISSN 1980-5454

Summa phytopathol. v.32 n.3 Botucatu jul./set. 2006

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-54052006000300016 

COMUNICAÇÕES

 

Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de girassol produzidas na região de Timon, Maranhão

 

 

Delineide Pereira GomesI; José Magno Martins BringelI; Myrna Furtado Hilal MoraesI; Josilda Junqueira Ayres GomesI; Regina Maria Villas Bôas de Campos LeiteII

IUniversidade Estadual do Maranhão, Centro de Ensino de Ciências Exatas e Naturais, Cidade Universitária Paulo VI, s/n, Tirirical, São Luís, MA, 65055-098, UNICEUMA e- mail: magnobringel@cecen.uema.br
IIEmbrapa Soja, Londrina- PR, e-mail: regina@cnpso.embrapa.br

 

 

O girassol é uma oleaginosa que apresenta características agronômicas importantes, como maior resistência à seca, ao frio e ao calor, que a maioria das espécies normalmente cultivadas no Brasil. Apresenta ampla adaptabilidade a diferentes condições edafoclimáticas e seu rendimento é pouco influenciado pela latitude, pela altitude e pelo fotoperíodo.

A expansão da cultura do girassol pode ser prejudicada, entre outros fatores, pela qualidade fisiológica das sementes e pela presença de doenças causadas por vírus, bactérias e fungos. Desta forma, o objetivo do trabalho foi avaliar a qualidade fisiológica e sanitária de sementes de girassol produzidas na região de Timon, Estado do Maranhão.

O experimento de campo foi conduzido na Fazenda Cantinho Dorilândia, município de Timon, MA (5º5'43" latitude sul e 42º49'8" longitude oeste; altitude 69 m). As análises de sementes foram desenvolvidas nos laboratórios de Patologia de Sementes, pertencente ao Núcleo de Biotecnologia Agronômica, e de Análise de Sementes (LAS) da Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, em São Luís, MA. As sementes colhidas foram submetidas à análise sanitária em laboratório. Para se avaliar a qualidade fisiológica, as amostras foram submetidas aos testes de vigor e de germinação.

Os resultados da análise sanitária (Tabela 1) demonstraram a presença dos principais patógenos de girassol, Alternaria spp. e Sclerotinia sclerotiorum, nas sementes dos genótipos testados, bem como de outros fitopatógenos. De maneira geral, foram observados baixos índices de sementes infectadas com Sclerotinia sclerotiorum (Tabela 1), exceto para o genótipo ACA 885, que apresentou o maior percentual de sementes com este fungo (17%). O período de incubação visando a detecção de S. sclerotiorum é maior do que nos demais (15 dias ao invés de 7), devido à formação dos escleródios, principal característica morfológica do fungo. Apresentar de não apresentar os maiores índices, observa-se que o genótipo ACA 885 foi suscetível a quase todos os fitopatógenos, com exceção do gênero Cladosporium (Tabela 1), o que pode indicar uma baixa qualidade sanitária de suas sementes. A presença dos contaminantes Aspergillus spp, Penicillium sp. e Rhizopus sp. pode ser ao fato de não se ter realizado o pré-tratamento das sementes.

 

 

Os resultados da qualidade fisiológica demonstraram que os genótipos V 90064, ACA 885, V 80198, ACA 884 e Agrobel 960 apresentaram melhor qualidade fisiológica. As sementes do genótipo Catissol 01, apesar de não apresentarem um bom índice de vigor e de não estarem dentro do padrão de germinação do girassol, não resultaram em plântulas infectadas, com vantagem no aspecto de sanidade em relação aos demais genótipos. Os genótipos Hélio 250 e Embrapa 122 apresentaram baixos índices de vigor de sementes e germinação de plântulas normais e altos índices de plântulas anormais e infectadas, além de apresentarem os maiores índices de sementes mortas (43 % e 39 %, respectivamente).

Os fungos detectados não tiveram influência sobre o vigor e germinação de plântulas normais. Isto pode ser constatado ao se observar que os índices de vigor e germinação de plântulas normais dos genótipos ACA 884, ACA 885, M 734 e Agrobel 960 foram relativamente altos, apesar dos mesmos apresentarem o maior número de patógenos associados às suas sementes. Entretanto, pode-se associar que os baixos percentuais de vigor dos genótipos Catissol 01, Hélio 251 e os baixos índices de plântulas normais dos genótipos Hélio 250 e Nutrissol estão relacionados com os altos percentuais de sementes portadoras de Fusarium sp..

 

 

Data de chegada: 01/07/2005. Aceito para publicação em: 30/09/2005.

 

 

Autor para correspondência: José Magno Martins Bringel

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons