SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 issue2Ocorrência de Curvularia lunata e Curvularia eragrostidis em Tapeinochilus ananassae no estado de AlagoasEsporulação de Colletotrichum gloeosporioides em meios líquidos author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Summa Phytopathologica

Print version ISSN 0100-5405

Summa phytopathol. vol.33 no.2 Botucatu Apr./June 2007

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-54052007000200020 

COMUNICAÇÕES

 

Puccinia levis var. panici-sanguinalis em Brachiaria brizantha cv. Xaraés

 

 

Carlos Eduardo MarchiI, IV, *; Celso Dornelas FernandesI, II; Vanessa de Fátima JerbaI, IV; Roberto Alexandre Ajul RezendeIII

IEmbrapa Gado de Corte, Rod. 262, Km 4, Caixa Postal 154, CEP 79.002-970, fax: (67) 3368-2120, Campo Grande, MS
IIProfessor colaborador da Uniderp, Caixa Postal 2153, CEP 79.003-010, Campo Grande, MS
IIIUniversidade Federal do Mato Grosso do Sul, CEP 79.804-970, Dourados, MS
IVBolsista DCR (Fundect-CNPq)

 

 

Puccinia levis var. panici-sanguinalis é descrito como agente causal de ferrugem em gramíneas forrageiras. No Brasil, em campos da Embrapa Gado de Corte, o basidiomiceto foi constatado infectando braquiárias durante as avaliações do germoplasma importado da África, realizadas a partir de 1987. Os acessos de Brachiaria spp. avaliados diferiram quanto à suscetibilidade ao patógeno, sendo que B178 constituiu exemplo de B. brizantha que não apresentou sintomas de ferrugem. Após anos de estudos, perante o bom desempenho desse genótipo, o mesmo foi lançado comercialmente em 2002 como cultivar Xaraés.

Recentemente, observaram-se manchas cloróticas e necróticas, pústulas sub-epidérmicas irrompentes de coloração castanho-escura e seca prematura das folhas de 'Xaraés', típicos sintomas/sinais de ferrugem (Figura 1A-C). Esporos foram coletados das pústulas e observados ao microscópio de luz para a identificação do agente etiológico. Constatou-se a presença de teliósporos bicelulares com pedicelos longos inseridos na parede divisória das células ou lateralmente em uma destas (Figuras 1E-F), e urediniósporos unicelulares marrons escuros (Figura 1D). Em geral, os teliósporos apresentaram comprimento superior a 40 µm e 3 µm de espessura de parede lateral. Foram observados urediniósporos com 3 poros germinativos. Baseado nessas características morfológicas, a ferrugem foi identificada como P. levis var. panici-sanguinalis.

 

 

A constatação da interação P. levis var. panici-sanguinalis - B. brizantha cv. Xaraés demonstrou a capacidade desse patógeno em suplantar a resistência do hospedeiro. Visto que tal fenômeno pode ter ocorrido em outros genótipos de Brachiaria spp., avaliações serão conduzidas para verificar a reação de acessos anteriormente classificados como resistentes.

 

 

Data de chegada: 28/12/2005. Aceito para publicação em: 20/07/2006.

 

 

* Autor para correspondência: Carlos Eduardo Marchi, e-mail: cemarchi@cnpgc.embrapa.br