SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 número3Primeiro registro de Cylindrocladium parasiticum em plantas de teca no Pará índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Summa Phytopathologica

versão impressa ISSN 0100-5405

Summa phytopathol. vol.37 no.3 Botucatu jul./set. 2011

https://doi.org/10.1590/S0100-54052011000300015 

COMUNICAÇÕES

 

Relato oficial da ocorrência de Olivea tectonea em teca (Tectona grandis) no Brasil.

 

 

Solange Maria BonaldoI,*; Ane Caroline BarceliI; Rogelho Alexandre TrentoI; Francielli GasparottoII; Camila TaffarelI

IInstituto de Ciências Agrárias e Ambientais (ICAA)/Campus de Sinop/UFMT, Av. Alexandre Ferronato, 1.200 CEP. 78.557-267, Sinop, MT, Brasil
IICentro Universitário de Maringá. Av. Guedner, 1.610 CEP. 87050-390 - Maringá, PR, Brasil

 

 

A teca (Tectona grandis Linn. F.) é uma espécie arbórea de grande porte com origem asiática bastante utilizada para áreas de reflorestamento. Possui tronco retilíneo o que facilita os tratos culturais e também é uma planta rústica, com grande rendimento, rápido crescimento e certa tolerância ao calor, pragas e doenças. No Brasil está presente em diversas regiões do Mato Grosso onde é cultivada para a extração da madeira utilizada em construções navais, pontes, decorações, carpintaria e principalmente para móveis, devido à excelente qualidade, resistência, durabilidade e beleza.

Em maio de 2009 verificou-se a presença de sintomas de ferrugem (Figura 1A), bem como a presença dos sinais do patógeno (Figura 1B), em mudas e plantas adultas de diferentes idades localizadas no município de Sinop/MT. Os sintomas, na superfície adaxial da folha, iniciam com pequenas manchas necróticas que coalescem e podem atingir toda a superfície foliar, levando a folha a apresentar um aspecto de queima, com conseqüente desfolha da planta. Na superfície abaxial da folha, correspondente a área necrosada, foram encontradas urédias pulverulentas (Figura 1C), de coloração amarelo laranja e com intensa produção de uredósporos (Figura 1D).

O exame microscópio do material evidenciou a presença de uredósporos ovóides, unicelulares, equinulados, com coloração amarelo-alaranjado, apresentando tamanho variando de 12,3-24,8 x 14,7-24,8 µm e ausência de teliósporos. De acordo com essas características, o patógeno foi identificado como Olivea tectonea (Mulder JL.; Gibson IAS., CMI Descriptions of Pathogenic Fungi and Bacteria, No. 365, Commonwealth Mycological Institute: Kew, 1973) considerada até então praga exótica no Brasil, sendo este o primeiro relato oficial da ocorrência deste fitopatógeno no país.

A ferrugem da teca é uma doença relatada no Sul, Oriente e Sudeste Asiático (Su-See L. Australasian Plant Pathology. v.8, p.283291, 1999) e diversos outros países: Panamá, Costa Rica (Arguedas M., Kuru: Revista Forest. v.1, p.16, 2004), Equador (European and Mediterranean Plant Protection Organization (EPPO), 2005), México (NAPPO Pest Alert Official Pest Reports for Mexico, 2005), Colômbia (Céspedes PB; Yepes MS. Revista Facultad Naltionalde Agronomia, Medellín, v.60, p.3645-3655, 2007), Cuba (Perez M, Lopez MO, Marti O., New Disease Reports v.17, p.32, 2008) , Austrália (Daly AM, Shivas RG, Pegg GS, Mackie AE., Australasian Plant Disease Notes v.1, p.2526, 2006).

 

 

Data de chegada: 03/04/2011.
Aceito para publicação em: 03/06/2011. 1750
Autorizado a divulgação pelo MAPA, em 10/03/2011.
Processo: 21024-002237/2009-73

 

 

* Autor para correspondência: Solange Maria Bonaldo (sbonaldo@ufmt.br).

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons