SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.42 número1Caracterização de isolados de Diplodia pinea da região Sul do Brasil por meio da compatibilidade micelial e de marcadores RAPDModelo climático para previsão do míldio da cebola índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Summa Phytopathologica

versão impressa ISSN 0100-5405

Summa phytopathol. vol.42 no.1 Botucatu jan./mar. 2016

https://doi.org/10.1590/0100-5405/2051 

Notas Científicas

Identificação de espécies de Fusicoccum causadoras de podridão em frutos de abacate

Identification of Fusicoccum species causing rot in avocado fruits

Ana Carolina Firmino1 

Ivan Herman Fischer2 

Tozze Hugo José Júnior3 

Daniel Dias Rosa4 

Edson Luiz Furtado4 

1Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas, Rod. Cmte João Ribeiro de Barros, km 651 - Bairro das Antas, Dracena , São Paulo.

2Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Polo Regional Centro Oeste, Av. Rodrigues Alves, n.40, 17030-000, Bauru, São Paulo.

3Coordenadoria de Defesa Agropecuária, Secretaria de Agricultura e Abastecimento, R. Campos Sales, n.507, 13400-200, Piracicaba, São Paulo.

4Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências Agronômicas, Rua José Barbosa de Barros, n.1780, CEP 18610-307, Botucatu, São Paulo.


ABSTRACT

The Fusicoccum genus of fungi are known to cause stem-end rot in various fruit plants, such as mango, guava, peach and avocado. Several species of this fungus are reported attacking avocado (Persea americana) in several countries. Based on this information, the present study aimed to identify species of Fusicoccum associated with rot in avocado fruits in the State of São Paulo. Samples were collected (fruits with rot symptoms) from regions of Bauru, Bernadino de Campos and Piraju. All isolates obtained had its pathogenicity confirmed by inoculation of healthy avocado fruits. After confirming its pathogenicity, these isolates had their DNA extracted and the ITS-5.8S rDNA region was amplified. After editing, these sequences were used to search for similar sequences in the NCBI. Eleven samples were identified as Neofusicoccum parvumand others were identified as Botryosphaeria dothidea(F. aesculi). Both species were found in all regions of collection.

Palavras-chave caracterização; fungo; pós-colheita; Persea americana

RESUMO

Fungos do gênero Fusicoccum são conhecidos por causarem podridão peduncular em várias frutas, como manga, goiaba, pêssego e abacate. Diversas espécies deste fungo são relatadas como patogênicos ao abacate (Perseaamericana) em diversos países. Com base nesta informação, o presente trabalho teve o objetivo de identificar espécies de Fusicoccum relacionadas com podridão em frutos de abacateiro no Estado de São Paulo. Foram coletadas amostras (frutos apresentando podridão) das regiões de Bauru, Bernadino de Campos e Piraju. Todos os isolados obtidos tiveram sua patogenicidade confirmada através de inoculação em abacates sadios. Após a confirmação de sua patogenicidade, estes isolados tiveram seu DNA extraído e a região ITS-5.8S rDNA foi amplificada. Após edição, estas sequências foram utilizadas para procurar sequências similares no NCBI. Onze amostras foram identificadas como N.parvum e as outras foram identificadas como Botryosphaeria dothidea (F.aesculi). Ambas as espécies foram encontradas em todas as regiões de coleta.

Keywords characterization; fungus; postharvest; Persea americana

O abacateiro (Persea americana Mill.) é uma fruteira tropical, da família Lauraceae, originária do continente americano, tendo o México e a Guatemala como centros de diversidade (6). O Brasil é um dos maiores produtores de abacate do mundo, sendo São Paulo o principal Estado produtor, com 94.294 toneladas em 2013 (11). Para exportação, as variedades mais cultivadas são a Hass e a Fuerte, conhecidas popularmente como ‘avocado’.

Diversas doenças ocorrem ou manifestam-se tanto em pré como em pós-colheita do abacate. As doenças de pós-colheita, também conhecidas como podridões de frutos, depreciam e até inviabilizam o consumo do fruto. Dentre os diversos fungos que são associados com problemas pós-colheita do abacate podem-se citar aqueles pertencentes ao gênero Fusicoccum, que engloba várias espécies de fungos responsáveis por causar podridão peduncular em frutos em diversos lugares do mundo (5,13,15).

O presente trabalho teve o objetivo de identificar as espécies de Fusicoccum relacionadas com podridão em frutos de abacateiro no Estado de São Paulo. Foram coletadas amostras de frutos ‘Hass’ e ‘Fuerte’ em um “packinghouse” localizado na cidade de Bauru-SP. Estes frutos foram originários das seguintes cidades do Estado de São Paulo: Bauru, Bernadino de Campos e Piraju. Os frutos coletados foram individualizados em bandejas plásticas e submetidos à câmara úmida por 24 horas, visando favorecer a ocorrência de patógenos em estádio latente, permanecendo por mais 14 dias a 25ºC e 70-75% de umidade relativa (UR). Realizou-se o isolamento em meio de cultura batata-dextrose-ágar (BDA) dos fungos relacionados aos sintomas de podridões nos abacates.

Todos os isolados que mostraram características culturais e morfológicas típicas de Fusicoccum tiveram sua patogenicidade confirmada através de inoculação em frutos sadios de abacate ‘Hass’. Utilizou-se como inóculo disco de meio BDA com 6 mm de diâmetro contendo estruturas do fungo proveniente das extremidades de colônias cultivadas por 5 dias sob luz contínua a 25±1 ºC. A inoculação foi realizada pela deposição de um disco no centro de frutos previamente desinfetados com álcool (70%) e hipoclorito de sódio (0,5%) e feridos com furador de 6 mm esterilizado. A incubação dos frutos foi realizada no escuro, a 25±1 ºC e 70-75% de UR, por sete dias.

O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições por tratamento. Frutos inoculados apenas com disco de meio BDA não colonizado foram utilizados como testemunha. Ao final do experimento, os diâmetros perpendiculares das lesões foram mensurados com paquímetro.

Após a confirmação de sua patogenicidade, os isolados de Fusicoccumobtidos tiveram seu DNA extraído e a região ITS-5.8S rDNA foi amplificada (oligonucleotídeos ITS1/ITS4) (17). Após edição, estas sequências foram utilizadas para procurar sequências similares no NCBI (National Center for Biotechnology Information). As sequências obtidas foram alinhadas e editadas no programa Bioedit (10). A árvore filogenética foi processada com o programa Mega 5.05 utilizando o método “jukes-cantor” para a construção da matriz de distâncias, pelo método de Neighbor-Joining (12). Foi realizado um “bootstrap” com 10.000 replicações.

Foram obtidos 15 isolados com características culturais e morfológicas típicas de Fusicoccum (Tabela 1 e Figura 1) (3). Como pode ser observado na tabela 1, todos os isolados foram patogênicos, causando necrose escura que evoluiu para todo o fruto, com produção de micélio acinzentado na superfície do fruto necrosado. Em levantamento das podridões em abacates ‘Hass’ no estado de São Paulo, Fischer e colaboradores (8) apontam incidência de 3% de frutos atacados somente com Fusicoccum. Porem apesar de baixa incidência esta doença pode, quando em associação com outras doenças, como antracnose, causar perdas relevantes, pois potencializa a decomposição dos frutos infectados (4,9). As infecções ocorrem no campo através das lenticelas e ferimentos e geralmente tornam-se ativas após a colheita e amolecimento do fruto (16).

Tabela 1 Características dos isolados de Fusicoccum obtidos de abacate no Estado de São Paulo 

Isolado Tamanho da Lesão* Origem/Cultivar Espécie
A08 32,2 Bauru-Fazenda Jaguacy/Fuerte F. parvum
B08 31,3 Bauru-Fazenda Jaguacy/Fuerte F. aesculi
D08 25,5 Bauru-Fazenda Jaguacy/Fuerte F. parvum
E08 22,7 Bauru-Fazenda Jaguacy/Fuerte F. parvum
F08 27,7 Bernadino de Campos-Faz. Santa Cecília/Hass F. parvum
AG08 25,7 Bernadino de Campos-Faz. Santa Cecília/Hass F. aesculi
H08 28,8 Bernadino de Campos-Faz. Santa Cecília/Hass F. aesculi
I08 36,5 Bernadino de Campos-Faz. Santa Cecília/Hass F. parvum
A11 55,7 Piraju/Hass F. parvum
B11 8,2 Piraju/Hass F. aesculi
D11 55,4 Piraju/Hass F. parvum
E11 54,1 Bernadinho de Campos-Faz. Santa Elisa/Hass F. parvum
G11 33,7 Bernadinho de Campos-Faz. Santa Elisa/Hass F. parvum
I11 35,1 Bauru-Fazenda Jaguacy/Hass F. parvum
J11 56,0 Bauru-Fazenda Jaguacy/Hass F. parvum

*Media de quatro repetições dos diâmetros (mm) da lesão em frutos de abacate inoculados e avaliados após sete dias a 25°C e 75% de UR.

Figura 1 Detalhe da colônia (a) e dos conídios (b) dos isolados de Fusicoccum obtidos de abacate 

Das 15 amostras seqüenciadas, 11 foram identificadas como Neofisicoccum parvum e as outras foram identificadas como Botryosphaeria dothidea (F. aesculi) (Figura 2). Ambas as espécies foram encontradas em todas as regiões de coleta (Tabela 1). Ambos os fungos já foram relatados em plantas de mangueiras no Brasil causando podridões pós colheita, ocorrendo principalmente em regiões produtoras de manga do Submédio do Vale do São Francisco (2,1).

Figura 2 Árvore filogenética dos isolados de Fusicoccum de abacate processados pelo programa Mega 5.05 utilizando o método “jukes-cantor” para a construção da matriz de distâncias, pelo método de Neighbor-Joining (“bootstrap” com 10.000 replicações). 

Outras espécies de Botryosphaeria (N. luteum e N. mangiferae), juntamente com as espécies de fungos encontradas no trabalho, já foram relatadas causando podridão em abacate, na Califórnia e em Taiwan (14,16,7).

O trabalho permitiu identificar uma espécie de Neofisicoccum parvum e uma de Botryosphaeria dothidea (F. aesculi) causando podridão pós-colheita em frutos de abacateiro.

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem a FAPESP (2011/05710-0) e ao CNPq pelo apoio financeiro e a empresa Jaguacy Brasil Comércio de Frutas Ltda. pela doação dos frutos de abacate.

REFERÊNCIAS

1 Batista, D. C.; Lima, M. F.; Magalhães, E. E.; Júnior, E. F. A. Detecção de infecções quiescentes de fungos em frutos de mangueira. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE FITOPATOLOGIA, 40., 2007, Maringá. Anais … Maringá: Sociedade Brasileira de Fitopatologia, 2007. p. 244. [ Links ]

2 Costa, V.S.O.; Michereff, S.J.; Martins,R.B.; Gava, C.A.T.; Mizubuti, E.S. G.; Camara, M.P.S. Species of Botryosphaeriaceae associated on mango in Brazil. European Journal of Plant Pathology , Dordrecht, v.127, n.4, p.509-519, 2010. [ Links ]

3 Crous, P.W.; Slippers, B.; Wingfield, M.J.; Rheeder, J.; Marasas, W.F.O.; Phillips, A.J.L.; Alves, A.; Burgess, T.; Barber, P.; Groenewald, J.Z. Phylogenetic lineages in the Botryosphaeriaceae. Studies in Mycology , Utrecht, v. 55, n. 1, p. 235-253, 2006. [ Links ]

4 Darvas, J.M. Stem end rot and other postharvest diseases. South African Avocado Growers’ Association Yearbook, 2:49-51, 1978. [ Links ]

5 Darvis, J.M. Preharvest chemical control of the postharvest diseases of Fuerta avocados. South African Avocado Growers’ Association Yearbook, 5:56-57, 1982. [ Links ]

6 Donadio, L.C. Abacate para exportação: aspectos técnicos da produção. 2ª ed. Brasília, EMBRAPA – SPI. 1995. 53P. (Série Publicações Técnicas FRUPEX, n.2). [ Links ]

7 Eskalen, A.; Mcdonald, V. Geographical Distribution of Botryosphaeriaceae and Phomopsis/DiaportheCanker Pathogens of Avocado in California, 2010. Disponível em < http://www.avocadosource.com/cas_yearbooks/cas_93_2010/cas_2010_v93_pg_087-098.pdf> Acesso em : 10 de Nov. 2014. [ Links ]

8 Fischer, I.H.; Tozze Júnior, H.J.; Arruda, M.C.; Massola Júnior, N.S. Pós�-colheita de abacates Fuerte e Hass: características físicas e químicas, danos e controle de doenças. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v.32, p.209-220, 2011. [ Links ]

9 Freire, F.C.O.; Viana, F.M.P.; Cardose, J.E.; Santos, A.A. Novos hospedeiros do fungo Lasiodiplodia theobromae no estado do Ceará. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2004. (Comunicado Técnico 91) [ Links ]

10 Hall, T.A. BioEdit: a user-friendly biological sequence alignment editor and analysis program for Windows 95/98/NT. Nucleic Acids Symposium Series, Oxford,. v. 41, p. 95-98, 1999. [ Links ]

11 IEA – Instituto de Economia Agrícola do Estado de São Paulo. Disponível em < http://ciagri.iea.sp.gov.br> Acesso em: 10 de Nov. 2014. [ Links ]

12 Jukes, T. H; Cantor, C. R . Evolution of protein molecules. In: Munro, H. N. (Ed.). Mammalian Protein Metabolism,. New York: Academic Press, 1969, p. 21-132. [ Links ]

13 Muirhead, I.F.; Fitzell, R.D.; Davis, R.D.; Peterson, R.A. Post-harvest control of anthracnose and stem-end rots of Fuerte avocados with prochloraz and other fungicides. Australazian Journal of Experimental Agriculture and Animal Husbandry, Melbourne, v.22, p.441-446, 1982. [ Links ]

14 Ni, H.F.; Liou, R.F.; Hung, T.H.; Chen, R. S.; Yang, H.R. First report of a fruit rot disease of avocado caused by Neofusicoccum mangiferae. Plant Disease, New York, v.93, n.7, p.760-760, 2009. [ Links ]

15 Pegg, K.G.; Coates, L.M.; Korsten, L.; Harding, R.M. Foliar, fruit and soil diseases. In: Whiley, A.W.; Schaffer, B.; Wolstenholme, B.N. (Eds.). The avocado: botany, production and uses. CAB Intl. Press, Wallingford, pp. 299-338. 2002. [ Links ]

16 Phillips P.A.; Faber, B.A.; Morse, J.G.; Hoddle, M.S.; UC IPM Pest Man�agement Guidelines: Avocado. Oakland: Agriculture and natural resources, university of California, 2010. [ Links ]

17 White, T. J; Bruns, T; Lee, S.; Taylor, J. Amplification and direct sequencing of fungal ribosomal RNA genes for phylogenetics. In: Innis, M. A,; Gelfand, D.H.; Sninsky, J. J.; White, T. J. (Eds). PCR Protocols: a guide to methods and applications. New York: Academic Press, 1990, p. 315–322. [ Links ]

Recebido: 14 de Novembro de 2014; Aceito: 26 de Agosto de 2015

Autor para correspondência: Ana Carolina Firmino (anacarfir@gmail.com)

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que o trabalho original seja corretamente citado.