SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue1Retained surgical sponge in the abdominal cavity for eleven yearsLittré's hernia author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Print version ISSN 0100-6991On-line version ISSN 1809-4546

Rev. Col. Bras. Cir. vol.31 no.1 Rio de Janeiro Jan./Feb. 2004

https://doi.org/10.1590/S0100-69912004000100014 

RELATO DE CASO

 

Úlcera gástrica terebrante e pancreatite aguda provocadas por tricobezoar

 

Gastric ulcer and acute pancreatitis caused by trichobezoar

 

 

Alvaro Queiroz de Godoy, TCBCPRI; Rose Meire Albuquerque Pontes;II André Reichert da Silva GodoyIII

ICirurgião do Aparelho Digestivo do Hospital Evangélico, Hospital Mater Dei, Santa Casa de Misericórdia e Gastrocentro de Londrina PR
IIDocente do setor de gastroenterologia da Universidade Estadual de Londrina e médica do setor de gastroenterologia do Hospital Evangélico de Londrina – PR
IIIAcadêmico da Faculdade de Medicina da Fundação Educacional Serra dos Órgãos — Teresópolis – RJ

Endereço para Correspondência

 

 


ABSTRACT

Bezoar is a foreing body whitin the digestive tract originated from ingestion of varied substances, mainly vegetal fiber or hair. We present a case of a 14–year–old girl with trichotillomania, gastric trichobezoar, gastric ulcer and acute pancreatitis. The patient was operated on for anterior gastrotomy and removal of trichobezoar, with good postoperative follow–up. We illustrate this case to emphasize the need for recognition of gastric ulcer with acute pancreatitis and surgical management.

Key Words: Bezoars; Stomach ulcer; Pancreatitis; Acute disease.


 

 

INTRODUÇÃO

Bezoar ("badzahr" de origem árabe) significa acúmulo, no tubo digestivo, de substâncias ingeridas voluntariamente como fibras vegetais ou sementes, cabelo, pedras, medicamentos e certas fórmulas lácteas muito concentradas1. Das complicações a mais comum é a obstrução. Apenas cerca de 10% dos pacientes apresentam úlceras gástricas devido ao aumento da secreção ácida, podendo haver perfuração em cavidade livre ou em vísceras vizinhas, particularmente sobre o pâncreas.

Considerando a baixa freqüência da úlcera gástrica terebrante e pancreatite provocadas por tricobezoar resolvemos publicar o presente caso.

 

RELATO DO CASO

I. S. L., 14 anos, feminina, foi atendida com quadro de dor epigástrica intensa, febre e vômitos com evolução de cinco dias. Havia história de desorganização familiar e hábito de tricofagia, além da ingestão de objetos como brinquedos de plástico. Encontrava–se em regular estado geral e apresentava "massa" endurecida na região epigástrica, de aproximadamente 25 cm, pouco móvel e dolorosa. As radiografias do abdome foram normais e entre os exames laboratoriais apenas a amilasemia encontrava–se elevada em duas dosagens. A ultra–sonografia mostrou "massa" na região epigástrica, a endoscopia foi inconclusiva pela presença de grande quantidade de resíduos no estômago e a tomografia também evidenciou "massa" gástrica intraluminal sugestiva de bezoar. A paciente foi submetida à laparotomia que confirmou a presença de grande tricobezoar gástrico, retirado por gastrotomia anterior, com peso de 820 g (Figura 1). Havia também grande lesão ulcerada gástrica interessando parte da parede posterior e da pequena curvatura do antro, com bordos pouco elevados, de aproximadamente 3 cm de diâmetro e fundo representado pelo pâncreas. As biópsias transoperatórias foram compatíveis com lesão benigna. Foram observados ainda edema pancreático e focos de esteatonecrose no andar superior do abdome. A evolução foi boa, e a paciente recebeu alta e encaminhamento para acompanhamento pós–operatório e psiquiátrico.

 

 

DISCUSSÃO

Os tricobezoares são mais comuns em mulheres entre 10 e 19 anos de idade2,3. Geralmente há problemas familiares. As queixas mais freqüentes são dor, desconforto, náuseas, vômitos, anorexia, emagrecimento, halitose e alopécia. No presente caso houve obstrução gástrica, úlcera terebrante e pancreatite aguda.

O diagnóstico habitualmente é realizado pela anamnese e exame físico, e pode ser complementado por radiografias, endoscopia, ultra–sonografia e tomografia nos casos mais complexos.

O tratamento pode ser conservador, através de endoscopia (extração ou fragmentação) e dissolução enzimática (papaína, celulase, n–acetil cisteína, suco de abacaxi, laser, litotripsia e jatos de água) ou cirúrgico, por videolaparoscopia 4 ou laparotomia.

No presente caso o diagnóstico definitivo foi dificultado pela presença de pancreatite associada, o que constitui certa raridade 5, e a indicação cirúrgica se baseou na obstrução gástrica. A pancreatite aguda foi tratada clinicamente com as medidas clássicas e a úlcera gástrica com omeprazol 40 mg (quatro semanas) e 20 mg (quatro semanas). A evolução foi boa tanto no pós–operatório precoce como tardio com total cicatrização da úlcera e normalização dos parâmetros pancreáticos.

 

REFERÊNCIAS

1. Melo VA, Godoy AQ, Ceneviva R – Obstrução intestinal por ingestão de pedras. AMB Rev Assoc Méd Bras, 1981, 27(7):203–204.         [ Links ]

2. De Backey , Ochsner A – Bezoar and concretions: a comprehensive review of the literature with analysis of 303 collected cases and apresentation of 8 aditional cases. Surgery, 1939, 5(2):132–160.         [ Links ]

3. Rodrigues FRA, Cruz CAT, Vianna AL – Tricobezoares no estômago, duodeno e íleo. Rev Col Bras Cir, 2000, 27(2):128130         [ Links ]

4. Domene CE, Anun M, Volpe P – Extração de fitobezoar gástrico por videolaparoscopia: considerações técnicas originais. Rev Col Bras Cir, 2002, 29(4):244–246.         [ Links ]

5. Cardoso ES, Santos VR – Perfuração gástrica por tricobezoar. Rev Col Bras Cir, 1998, 25(6):430–431.        [ Links ]

 

 

Endereço para Correspondência:
Dr. Álvaro Queiroz de Godoy
Av. Bandeirantes, 324
86010010 Londrina — PR

Recebido em 12/12/2002
Aceito para publicação em 29/04/2003

 

 

Trabalho realizado no Gastrocentro de Londrina PR.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License