SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue2Anatomic and surgical importance of macroscopic characteristics, location and vascular supply of cervical parathyroid glandsPerforated small intestine leiomyoma author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Print version ISSN 0100-6991On-line version ISSN 1809-4546

Rev. Col. Bras. Cir. vol.31 no.2 Rio de Janeiro Mar./Apr. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912004000200012 

RELATO DE CASO

 

Megacólon chagásico associado a pneumatose cística difusa do delgado e úlcera péptica duodenal

 

Chagasic megacolon associated to small bowel diffuse pneumatosis and duodenal peptic ulcer

 

 

Mitre Kalil, TCBC-ESI; Carlos Augusto Bergami Lima, RCBC-ESII; Danilo Nagib Salomão Paulo, TCBC-ESIII

IProfessor Adjunto-Doutor da Disciplina de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental; Chefe do Departamento de Clínica Cirúrgica e Coordenador do Internato em Clínica Cirúrgica da ESCSCMV-EMESCAM
IIResidente em Cirurgia Geral da Santa Casa de Misericórdia de Vitória-E.Santo
IIIProfessor Titular-Doutor da Disciplina de Técnica Operatória e Cirurgia Experimental e Coordenador do programa de Residência Médica em Cirurgia Geral da EMESCAM

Endereço para correspondência

 

 


ABSTRACT

Diffuse intestinal pneumatosis appears as gaseous cysts in the intestinal wall in the submucosal layer or, more frequently, sub-serous layer. It affects more the jejunum than the ileum, can be diffuse and may extend into the colon. It's diagnosis is established during a small bowel transit examination, necropsy examination or during surgical exploration of the peritoneal cavity.

Key words: Pneumatosis cystoides intestinalis; Megacolon; Peptic ulcer cysts.


 

 

INTRODUÇÃO

A pneumatose cística intestinal é uma doença de etiopatogenia ainda não bem esclarecida que cursa com lesões bolhosas sub-mucosas e/ou subserosas, acometendo em graus variáveis os intestinos delgado, grosso e mesos, sendo na maioria das vezes assintomática 1.

A associação desta doença à imunossupressão, úlcera péptica, megacólon congênito, doença diverticular, RCUI e linfangioma é relatada na literatura com pouca frequência, porém, menos freqüente é ainda o acometimento simultâneo de três delas, o que motivou-nos à relatar este caso2.

 

RELATO DO CASO

Paciente de 63 anos, masculino, leucodérmico apresentou-se em nosso serviço com constipação intestinal crônica (até 30 dias sem evacuar), dor e distensão abdominal, plenitude pós-prandial, epigastralgia e náuseas. Foi submetido à retossigmoidoscopia e colonoscopia com biópsias, clister opaco e reação de Machado Guerreiro (positiva), tendo sido diagnosticado volumoso dólicomegassigmóide chagásico (Figura 1). A endoscopia digestiva alta mostrou uma úlcera duodenal em parede anterior que foi tratada durante seis meses. O paciente foi então internado, preparado e submetido à laparotomia, onde evidenciou- se múltiplas e difusas lesões bolhosas de tamanhos variados no jejuno e íleo (Figura 2) além do dólicomegassigmóide. Optamos pela retossigmoidectomia abdomino-perineal com abaixamento endo-anal do cólon pela técnica de Cutait- Turnbull e biópsia excisional de uma pequena lesão cística do jejuno proximal para exame histopatológico.

 

 

 

 

 

DISCUSSÃO

Embora na maioria dos pacientes seja assintomática, a presença da pneumatose cística do delgado (PCD) associada à outras doenças do trato gastrintestinal (TGI) faz com que seu diagnóstico seja feito geralmente durante as laparotomias, exames necroscópicos, radiografias simples do abdome ou através do estudo contrastado do intestino delgado 3. As lesões bolhosas podem ser solitárias ou confluentes,raramente evoluindo com contaminação bacteriana secundária e quando se rompem (pneumoperitônio estéril) fazem diagnóstico diferencial com úlcera péptica perfurada 1. Neste paciente a lesão péptica duodenal teve boa resposta ao tratamento clínico ao contrário da literatura, onde 60% das úlceras associadas à PCD são estenosantes 4,5.

Outros aspectos que nos chamaram a atenção foram a faixa etária deste paciente e o megacólon chagásico, condições pouco freqüentes na literatura.Com relação ao predomínio de cistos no jejuno e sub-serosos, por nós verificados, condiz com os demais estudos. A conduta na maioria das vezes é conservadora, ficando as enterectomias segmentares, reservadas para aqueles casos que evoluem com obstrução intestinal, hemorragias e/ou perfurações 1.

 

REFERÊNCIAS

1. Lázaro da Silva A – "Pneumatose cística intestinal". In Lázaro da Silva A - Cirurgia de urgência. 2ª Edição, Medsi,1994, pp. 267-268.        [ Links ]

2. Gelman SF, Brandt LJ - Pneumatosis intestinalis and AIDS. a case report and review of literature. Am J Gastroenterol, 1998, 93(4):646-650.        [ Links ]

3. Pear BL – Pneumatosis intestinalis: a review. Radiology, 1998, 207(1):13-19.        [ Links ]

4. Koss LG – Abdominal gas cysts (pneumatosis cystoides intestinorum): an analysis with a report of a case and a critical review of literature. Arch Pathol, 1952, 53:523-547.        [ Links ]

5. Alves JB – "Pneumatose cística do intestino". In Cirurgia geral e especializada. Mec Veja, 1973, 7:629-630.        [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência
DR. Mitre Kalil
Av. Antônio Gil Veloso, 1580/201, Praia da Costa
Vila Velha, Espírito Santo. CEP 29101-011
mitrecir@terra.com.br

Recebido em 12/08/2002
Aceito para publicação em 06/01/2004

 

 

Trabalho realizado no Departamento de Clínica Cirúrgica da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória -E.Santo – EMESCAM.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License