SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue5Extended external hemipelvectomy for sigmoid adenocarcinoma treatment author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões

Print version ISSN 0100-6991

Rev. Col. Bras. Cir. vol.37 no.5 Rio de Janeiro Sept./Oct. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-69912010000500014 

RELATO DE CASO

 

Tricobezoar gástrico - relato de caso

 

 

Adauto Botelho Megale, TCBC-MGI; Marcelo Zini MegaleII; Thiago Augusto Rubini MirandaIII; Daniel de Oliveira Neto BarbosaIV; Daniel Lacativa Nogueira LourençoV

ICirurgião Geral do Hospital Pedro Sanches - Poços de Caldas, MG-BR
IIMédico Neurologista
IIIMédico Cardiologista
IVEstagiário em Cardiologia no Hospital Beneficiência Portuguesa de São Paulo - São Paulo - SP
VResidente de Radiologia na Faculdade de Medicina de Itajubá - MG-BR

Endereço para correspondência

 

 


ABSTRACT

Bezoars are foreign bodies impacted in the digestive tract resulting of their ingestion and accumulation, involving mainly the stomach. The most common types are phytobezoars, contaning vegetables, fiber and seed and the trichobezoar, made of hair. The present case is the description of a 25-year-old female with nonspecific dyspeptic symptoms associated to intestinal habit change. The diagnosis was suggested by Computerized Tomography in association with clinical history - initially omitted by the pacient - of trichophagia for 10 years. Treatment consisted of Anterior Gastrotomy and remotion of the bezoar.

Key words: Foreign body, Trichophagia, Gastric Trichobezoar


 

 

INTRODUÇÃO

Bezoares são corpos estranhos impactados no trato digestivo, resultantes da ingestão e acúmulo desses, acometendo principalmente o estômago1.

No sexo feminino, 90% são tricobezoares, resultantes geralmente da tricotilomania2,3. Além do mais, são causadores de diversos distúrbios digestivos, devendo ser considerados como diferenciais à diversas síndromes, mesmo sendo relativamente raros4. Descreve-se um caso de tricobezoar gástrico.

 

RELATO DO CASO

S.S.M, 25 anos, sexo feminino, encaminhada devido a presença de massa abdominal palpável, sendo indagada a hipótese diagnóstica de esplenomegalia. A paciente referiu história de cólicas intestinais, flatulência e evacuação de fezes líquidas e escuras, várias vez ao dia, alternada com episódios de constipação, há mais ou menos quatro meses. Evoluiu com epigastralgia progressiva, em aperto, de moderada intensidade, com melhora pelo uso de antiespasmódicos. Informa, ainda, tricofagia iniciada há dez anos, ingerindo fios de cabelo "compulsivamente e inconscientemente", bem como ansiedade e compulsão alimentar.

Ao exame físico apresentava sobrepeso, alopécia traumática em região occipital, massa à palpação abdominal, a cinco dedos do rebordo costal esquerdo, relativamente fixa, endurecida, indolor à palpação, limites imprecisos, seguindo em direção ao epigástrio.

Os exames hematológicos e bioquímicos não demonstraram nenhuma alteração. A tomografia computadorizada com contraste do abdômen superior revelou conteúdo hipodenso, heterogêneo na região gástrica; fígado, baço e pâncreas com contornos e coeficientes de atenuação normais; ausência de líquido livre na cavidade abdominal (Figura1).

 

 

Tendo sido realizado a hipótese de tricobezoar, a paciente foi submetida a gastrotomia anterior sendo extraído volumoso tricobezoar, moldando o estômago, com 1.010 gramas e 25 centímetros de comprimento (Figura 2). Pela inspeção da mucosa gástrica não foi encontrada nenhuma lesão. Evoluindo sem intercorrências no pós-operatório, recebeu alta no 4º PO sendo encaminhada ao serviço de Psiquiatria. Retornou três meses após a operação referindo melhora dos sintomas intestinais e ganho ponderal de 5 kg.

 

 

DISCUSSÃO

Embora o tricobezoar seja geralmente associado a uma psicopatia, advindos de transtornos de ansiedade crônicos ao retardo mental, alterações psicológicas nem sempre estão evidentes. Contudo, a presença de alopecia, halitose, tricofagia e distúrbios psiquiátricos estão presentes em 9 % dos casos.

Os sinais e sintomas são vagos e insidiosos, podendo até ser assintomático. Freqüentemente há: epigastralgia (70,2%), massa epigástrica (70%), náuseas e vômitos (64%), hematemese (61%), perda de peso (38%), diarréia ou constipação (32%)5. A presença dos sintomas depende da elasticidade do estômago, do tamanho do bezoar e da aparição ou não de complicações mecânicas e/ou traumáticas.

Os exames de imagem são de grande valia para o diagnóstico. A radiografia simples de abdome tem pequena especificidade, pois mostra somente uma massa epigástrica heterogênea. O exame contrastado de trato digestivo alto, indicado para a diferenciação de massas abdominais, é mais valioso e específico mostrando uma massa gástrica intralumial móvel, heterogênea e aerada4. A endoscopia digestiva é o exame de maior especificidade e sensibilidade, capaz de visualizar diretamente a massa e estabelecer a natureza do bezoar, no entanto, é incapaz de definir anatomicamente sua extensão4. A tomografia é o exame de imagem mais preciso para demonstrar os bezoares, caracterizados como uma massa concêntrica heterogênia aerada com captação periférica de contraste2.

Os métodos conservadores para o tratamento do tricobezoar nem sempre são possíveis (remoção endoscópica e utilização de soluções enzimáticas), pois oferecem riscos acessórios de perfuração gástrica e obstrução intestinal4,1. Assim sendo, o tratamento cirúrgico é o mais eficaz e, por isso, dominante, levando a remoção direta da massa principalmente através de gastrotomia anterior longitudinal4. Devido à possibilidade da existência de uma associação entre tricobezoares e desordens psiquiátricas é necessário o encaminhamento de todos os pacientes para o serviço de Neuropsiquiatria para acompanhamento, com o objetivo de evitar recidivas ou a substituição da tricotilomania por outros distúrbios compulsivos substitutivos4.

 

REFERÊNCIAS

1. Spadella CT, Saad-Hossne R, Saad LHC. Tricobezoar gástrico: relato de caso e revisão de literatura. Acta Cir Bras. 1998;13(2):154-7.         [ Links ]

2. Castro LP, Coelho LGV. Divertículos, vólvulos, dilatação gástrica aguda, corpos estranhos (bezoares), infecções crônicas e outras doenças raras. In: Bicalho AS editor. Gastroenterologia. 1ª ed. Rio de Janeiro: Medsi; 2004. p. 524-5.         [ Links ]

3. Miranda CHD, Coelho LGV. Divertículos, vólvulos, dilatação aguda, corpos estranhos (bezoares), rotura gástrica e Crohn. In: Dani R, editor. Gastroenterologia essencial. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001. p. 185-6.         [ Links ]

4. Jesus LE, Novelli RJM. Tricobezoares. Rev Col Bras Cir. 2005; 32(3):157-9.         [ Links ]

5. De Bakey M, Ochsner A. Bezoars and concretions: a comprehensive review of the literature with an analysis of 303 collected cases and apresentation of 8 aditional cases. Surgery. 1939;5(1):132-60.         [ Links ]

 

 

Endereço para correspondência:
Adauto Botelho Megale
Hospital Pedro Sanches em Poços de Caldas
MG-BR
E-mail: mzmegale@yahoo.com.br

Recebido em 25/08/2006
Aceito para publicação em 20/10/2006
Conflito de interesse: nenhum
Fonte de financiamento: nenhuma

 

 

Como citar este artigo:
Megale AB, Megale MZ, Miranda TAR, Barbosa DON, Lourenço DLN. Tricobezoar gástrico - relato de caso. Rev Col Bras Cir. [periódico na Internet] 2010; 37(5). Disponível em URL: http://www.scielo.br/rcbc