SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue7Estudo da infecção genital por Chlamydia trachomatis em adolescentes e jovens do sexo feminino no distrito sanitário leste do município de Goiânia: prevalência e fatores de riscoRepercussões maternas e perinatais do exercício aquático terapêutico (hidroterapia) na gestação author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Print version ISSN 0100-7203On-line version ISSN 1806-9339

Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.24 no.7 Rio de Janeiro Aug. 2002

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032002000700013 

Resumo de Tese

Estudo Comparativo da Presença dos Fatores Prognósticos Receptor de Estrogênio, cerbb-2, p53 e e-caderina no Câncer Primário da Mama e sua Recidiva Local

 

Autor: José Luiz Pedrini
Orientador: Prof. Dr. Cláudio Galleano Zettler

 

Dissertação de Mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Patologia: Patologia Experimental da Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre e da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre em 20 de dezembro de 2001

 

 

A recidiva local (RL) do câncer de mama varia de 4 a 20% em 10 anos e pode representar um mau prognóstico da doença. Noventa por cento dos casos surgem nos primeiros 5 anos. Novos marcadores tumorais estão sendo estudados para se estabelecer sua validade clínica como fatores de prognóstico e preditivos para a RL. O objetivo deste trabalho foi comparar a expressão de quatro marcadores tumorais (Receptor de Estrogênio-RE, cerbB2, p53 e E-caderina) no tumor primário de mama (TU) e na sua correspondente RL. Foram estudados 57 casos de câncer de mama recidivados que, após serem revisados, foram estudados por imuno-histoquímica. Não houve diferença significativa entre as variações das expressões positivas e negativas no TU e na RL, na expressão do c-erb-B2 (Kappa=0,86), da E-caderina (Kappa=0,55) e do p53 (Kappa=0.7). Entretanto, os RE apresentaram um índice Kappa baixo (Kappa=0.26, p>0.05). Estes dados sugerem que a expressão do p53, E-caderina e cerbB2 não se modifica na RL. Todavia, a expressão do RE deve ser reavaliada, pois houve modificação importante na RL (dos TU negativos para RE, 44% tornaram-se positivos na RL). Por ter valor preditivo, o RE deverá ser sempre reavaliado no reaparecimento do câncer da mama, originando um importante questionamento: o uso profilático de bloqueador estrogênico (tamoxifeno, p.ex), em TU com RE negativo na prevenção da RL que pode ter expressão positiva (44% dos casos).

Palavras-chave: Mama: câncer. Câncer: recorrência. Marcadores tumorais. Prognóstico.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License