SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue7Repercussões do 17beta-estradiol e do raloxifeno sobre as concentrações sangüíneas de homocisteína, proteína C reativa e lipoproteína(a) em mulheres após a menopausaA gestante adolescente e seu parceiro: características do relacionamento do casal e aceitação da gravidez author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Print version ISSN 0100-7203On-line version ISSN 1806-9339

Rev. Bras. Ginecol. Obstet. vol.25 no.7 Rio de Janeiro Aug. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032003000700015 

RESUMO DE TESE

 

Peso, volume e densidade absoluta de placentas de gestantes diabéticas, hipertensas e de baixo nível socioeconômico e a repercussão no resultado perinatal

 

 

Autor: Ulisses Del Nero
Orientadora: Profa.Dra. Marilza Vieira Cunha Rudge

Tese apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Ginecologia e Obstetrícia - Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, em 7 de julho de 2003

 

 

OBJETIVO: Avaliar a influência da hipertensão arterial, do diabete melito e do baixo nível econômico materno sobre o recém-nascido e sobre o peso, o volume e a densidade absoluta da placenta humana após a dequitação, em gestações de termo.
MATERIAIS E MÉTODOS: Avaliamos sessenta placentas de dois grupos de gestantes, divididos de acordo com a renda familiar per capita em maior ou menor que cem dólares americanos, correlacionamos com o peso do recém-nascido ao nascimento, índice placentário e relação peso do recém-nascido pelo peso da placenta; avaliamos, também, trinta placentas de gestantes com hipertensão arterial crônica, gestacional ou pré-eclâmpsia, trinta com diabete melito e trinta sem patologias, correlacionando os valores das características físicas da placenta com o peso do recém-nascido ao nascimento. Os volumes placentários, foram calculados pelo princípio de Arquimedes.
RESULTADOS: O grupo de menor renda apresentou menor peso, volume e densidade absoluta placentária. O índice placentário foi menor e, foi maior a relação entre peso do recém-nascido e peso da placenta. As placentas de gestantes diabéticas apresentam maior densidade e as gestantes hipertensas têm menor peso e volume placentários.
CONCLUSÕES: Houve aumento da capacidade funcional das placentas de gestantes com menor renda familiar, pois os pesos dos recém-nascidos foram semelhantes e as placentas tiveram menor peso, volume e densidade absoluta. O índice placentário foi menor e, a relação entre o peso dos recém-nascidos e o peso placentário, maior. Existe correlação entre o peso e volume da placenta com o peso do recém-nascido para as hipertensas, diabéticas e normais.

Palavras-chave: Peso. Volume. Densidade. Nível econômico. Hipertensão arterial. Diabete.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License