SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 issue1Efficiency and selectivity of post - emergence herbicides on soybean (Glycine max (L.) Merrill) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Planta Daninha

Print version ISSN 0100-8358

Planta daninha vol.7 no.1 Viçosa June 1984

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-83581984000100001 

ARTIGOS

 

Sementes nocivas que ocorreram em amostras de sementes de azevém (Lolium multiflorum), analisadas no Rio Grande do Sul nos anos de 1978 e 1979

 

Weed seeds in ryegrass seeds, analysed in Rio Grande do Sul, during 1978 and 1979

 

 

H. GiarettaI; A. JamardoII; E.V.A. CatalogneII

IEng.° Agr.° da Seção de Tecnologia de Sementes – IPAGRO, Secretaria da Agricultura, Porto Alegre/RS, Brasil, 90.000
IIBióloga da Seção de Tecnologia de Sementes – IPAGRO, Secretaria da Agricultura, Porto Alegre/RS, Brasil, 90.000. Trabalho apresentado no 14.° Cong. Bras. Herb. Ervas Dan. e 6.° Cong. Lat. Am. Malezas, realizado de 2 a 6 de agosto de 1982, em Campinas, SP

 

 


RESUMO

Foram levantadas informações sobre a qualidade da semente de azevém utilizadas no Rio Grande do Sul e produzida no próprio Estado ou em outras uni dades da Federação e mesmo em outros Países, nos anos de 1978 e 1979. Estas informações foram obtidas através de fichas e Boletins de Análise de Sementes dos Laboratórios de Análise de Sementes (LAS) do Rio Grande do Sul. Em 1978 analisou-se 2.319 t de azevém sendo 74% da semente oriunda do Rio Grande do Sul e 26% introduzida, enquanto que das 4.772 t analisadas em 1979 99,6% são do Rio Grande do Sul e 0,4% são introduzidas. O percentual de sementes de azevém, produzidas no Estado, contaminadas com sementes nocivas foi de 61,5% em 1978 e de 60,0% em 1979; e o de sementes int roduzidas no Estado foi de 45,6% em 1978 e de 29,4%em 1979. Foi observado que ent re as sementes originárias do RS destacaram -se com maior ocorrênci a em 1978 as espécies nocivas de Silene gallica, Setaria geniculata, Anthemis cotula, Digitaria adscendens e Echinochloa spp, enquanto que nas sementes int roduzidas desta caram-se Sida spp e Rumex spp; em 1979, na semente oriunda do Estado desta caram-se Amaranthus spp, Silene gallica e Setaria geniculata, enquanto que nas sementes introduzidas a maior ocorrência foi de Setaria geniculata, Echinochloa spp e Solanum spp.

Palavras-chave: azevém, sementes nocivas.


SUMMARY

This paper presents a quality record of rye-grass seeds produced in Rio Grande do Sul or imported from other countries. It refers to the presence of weeds in ryegrass during 1978 and 1979. These record were obtained in the Analysis Bulletins at the Seed Analysis Laboratory of the Instituto de Pesquisas Agronômicas (IPAGRO) Rio Grande do Sul°Brasil and in those from other institutions. This State produced 74% of 2.319 t analysed seeds and 26% come from other places in 1978. In 1979 4.772 t were registred, 99,6% from here and 0,4% from outside. The percentage of ryegrass seeds contaminated with weed seeds produced in the State, in 1978, were 61,5% and 45,6% in the imported seeds. In 1979 these values were 60,0% and 29,4%, respectively. The commonest seeds of weed species that were found among the samples, in the seeds produced at Rio Grande do Sul, in 1978 were: Silene gallica, Setaria geniculata, Anthemis cotula, Digitaria adscendens and Echinochloa spp. In 1979 the weeds were: Amaranthus spp, Silene gallica and Setaria geniculata. In seeds imported from other countries we found, in 1978, Sida spp and Rumex spp; in 1979 Setaria geniculata, Echinochloa spp and Solanum spp.

Keywords: ryegrass, weed seeds.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

LITERATURA CITADA

1. Brasil. Ministério da Agricultura. Regras para análise de sementes. Brasília EPV-ETESEM. 188 p., 1980.         [ Links ]

2. Brasil. Ministério da Agricultura. Delegacia Federal – RS. Normas técnicas para produção de sementes fiscalizadas. Porto Alegre. 69p., 1980.         [ Links ]

3. Brasil. Ministério da Agricultura. Legislação da inspeção e fiscalização da produção e do comércio de sementes e mudas. Brasília. 3ª ed. 194 p., 1981.         [ Links ]

4. Koehn, D. Identificação de algumas invasoras encontradas em sementes das principais espécies forrageiras produzidas no Rio Grande do Sul. Porto Alegre. 95 p. (Boletim Técnico do IPAGRO, 1), 1997.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License