SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue2Biology and management of Cardiospermum halicacabumFloristic composition of weeds in agrosystems of cupuaçu (Theobroma grandiflorum) and peach palm (Bactris gasipaes) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

Share


Planta Daninha

Print version ISSN 0100-8358

Planta daninha vol.21 no.2 Viçosa May/Aug. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-83582003000200009 

ARTIGO ARTICLE

 

Plantas daninhas na pós-colheita de milho nas várzeas do rio São Francisco, em Minas Gerais

 

Weed survey on corn post-harvest under meadow holm conditions along São Francisco river, Minas Gerais, Brazil

 

 

Macedo, J.F.I; Brandão, M.II; Lara, J.F.R.III

IBiólogo, EPAMIG, Av. José Cândido da Silveira 1647, União, 30170-000 Belo Horizonte-MG
IITaxonomista, EPAMIG
IIIBiólogo, EPAMIG

 

 


RESUMO

Realizou-se um estudo na região do Alto São Francisco, Minas Gerais, no final da safra agrícola 1997/1998, visando identificar as plantas daninhas que permanecem nas áreas após a colheita do milho e sua distribuição ao longo da área estudada, destacando-se as mais importantes. As observações foram realizadas em 12 municípios. Em cada local foi lançado, por cem vezes, um quadrado de 0,50 x 0,50 m, a espaços de 10 m. Dentro do quadrado foram contadas as espécies e registrado o número de indivíduos de cada uma delas. Foram encontradas 151 espécies em 35 famílias, sendo Asteraceae a mais bem representada, com 25 espécies. As espécies com maior Índice de Valor de Importância (IVI) foram: Ageratum conyzoides, Sida glaziovii, Conyza bonariensis, Gaya sp., Sida rhombifolia e Blainvillea biaristata. As plantas daninhas remanescentes nas áreas recém-colhidas são fonte de alimento para insetos polinizadores e inimigos naturais das pragas; adequadamente manejadas, elas podem favorecer a manutenção do equilíbrio nos agroecossistemas.

Palavras-chave: agricultura sustentável, manejo integrado, plantio direto.


ABSTRACT

A survey was carried out on the weed populations occurring after harvest in cornfields along the São Francisco River to identify which weeds remained in the 12 municipalities spread along the river, from its headwaters down to "Tres Marias". Ageratum conyzoides L. was the only species found in all the fields surveyed. The species presenting major Importance Value Index (IVI) were: Sida glasiovi K. Schum, Conyza bonariensis (L.) Cronq, Gaya sp. Sida rhombifolia L. and Blainvillea biaristata DC., being also found in one or more places. These plants are sources of food for certain pollinating and pest predating insects. Such surveys may help to adequately choose herbicides to clean up the fields after corn harvest, avoiding improper applications of chemical products, which represent great risks of environmental pollution.

Key words: sustainable agriculture, integrated management, and no-tillage system.


 

 

INTRODUÇÃO

Conhecer as espécies daninhas que ocorrem numa área agrícola é imprescindível para que se possa sugerir o seu manejo e controle seletivo, principalmente no caso de implantação de sistemas de plantio direto, evitando aplicação intensiva de herbicidas em doses desnecessárias. Deve-se considerar que espécies de plantas daninhas, se mantidas em locais estratégicos, como beiradas de cercas, margens de estradas, voçorocas, podem ser extremamente benéficas (Macedo & Martins, 1998).

A composição das populações de plantas daninhas em um agroecossistema é reflexo de suas características edáficas e climáticas e das práticas agronômicas adotadas, como manejo de solo e aplicação de herbicidas (Godoy et al., 1995; Voll et al., 2001). Assim, o plantio direto pode alterar a população de plantas daninhas, a dinâmica do banco de sementes do solo e a eficiência de herbicidas aplicados em pré-emergência, devido à cobertura do solo com resíduos vegetais (Crutchfield et al., 1986; Johnson et al., 1989; Bulher et al., 1995).

A Região do Alto São Francisco tem na agropecuária sua atividade econômica mais importante. Após a inclusão do cerrado no processo produtivo, a região tornou-se grande produtora de grãos, principalmente milho e feijão.

Nos solos de várzeas, o cultivo convencional contribui para a degradação do agroecossistema, especialmente pela compactação dos solos e infestação com plantas daninhas. Por essas razões, deve-se voltar a atenção para o sistema de Plantio Direto na Palha, uma das alternativas para melhorar e manter as características físicas e químicas dos solos e preservar sua capacidade produtiva. Além disso, o preparo convencional do solo incorpora as sementes de modo mais uniforme no perfil trabalhado, dando origem a persistentes bancos de sementes no solo (Guersa & Martinez-Guersa, 2000).

Diferentes sistemas de manejo do solo condicionam as sementes a microambientes, devido a alterações das propriedades físico-químicas e nas condições da superfície do solo (Mulugueta & Stoltemberg, 1997); quando se usam intensivamente herbicidas não-seletivos, pode ocorrer a seleção de espécies de plantas daninhas tolerantes. Para evitar isso e obter melhor eficiência de controle das plantas daninhas, recomenda-se a formulação de misturas de herbicidas de diferentes mecanismos de ação e que apresentem efeitos sinergísticos ou aditivos (Monquero et al., 2001).

Segundo Pitelli (2000), os índices fitossociológicos são importantes para analisar o impacto que os sistemas de manejo e as práticas agrícolas exercem sobre a dinâmica de crescimento e ocupação de comunidades infestantes em agroecossistemas. Esses índices são determinados levando-se em conta a densidade relativa, que reflete a participação numérica de indivíduos de uma determinada espécie na comunidade; a freqüência relativa, que se refere à porcentagem que representa a freqüência de uma população em relação à soma das freqüências das espécies que constituem a comunidade; a dominância relativa, que representa o ganho de biomassa de uma espécie na comunidade; e a importância relativa, que é uma avaliação ponderada desses índices e indica as espécies mais importantes em termos de infestação das culturas e, também, qual espécie proporciona melhor cobertura do solo no caso de utilizá-la nos sistemas de plantio direto.

Quatro passos podem ser considerados fundamentais para o sucesso do plantio direto: eliminação/redução do preparo do solo, uso de herbicidas dessecantes, obtenção de cobertura morta e uso de plantadeiras específicas. Os três primeiros estão diretamente associados ao manejo de plantas daninhas; por isso, o conhecimento das espécies que permanecem após a colheita de uma cultura é de grande importância, pois estas farão parte da cobertura morta para a cultura subseqüente, o que é fundamental para o sucesso na implantação de sistemas de plantio direto.

Este estudo teve por objetivos conhecer a flora daninha que permanece nas áreas após a colheita do milho e mostrar quais são as principais plantas daninhas ocorrentes nas várzeas do Rio São Francisco, em Minas Gerais, e sua fitossociologia e distribuição ao longo da área estudada.

 

MATERIAL E MÉTODOS

Após a colheita do milho, safra agrícola 1997/98, coletaram-se plantas daninhas em 12 municípios do Estado de Minas Gerais banhados pelo Rio São Francisco, a montante da represa de Três Marias. Um quadrado de 50 x 50 cm foi jogado cem vezes a intervalos de 10 metros um do outro. Foram anotadas as espécies de plantas daninhas dentro dos limites do quadrado em cada ponto e contado o número de indivíduos de cada uma delas. Quando uma planta não podia ser identificada no campo, sua amostra era registrada sob um número, para posterior identificação.

Amostras das plantas foram coletadas para incorporação ao herbário da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – PAMG/EPAMIG.

A freqüência (Fre), densidade (Den), abundância (Abu), freqüência relativa (Frr), densidade relativa (Der), abundância relativa (Abr) e o índice de valor de importância (IVI) foram calculados utilizando-se as seguintes fórmulas:

Calculou-se o "Índice de Similaridade de Sorensen" (S) entre as áreas, utilizando a seguinte fórmula: S = 2a/b+c, em que: a = número de espécies comuns às duas áreas; b = número total de espécies na área 1; e c = número total de espécies na área 2. Este índice permite comparar as áreas duas a duas quanto à composição florística, possibilitando recomendar o uso de herbicidas específicos para cada uma delas.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram coletadas, nos 12 municípios estudados, 151 espécies pertencentes a 95 gêneros, agrupados em 33 famílias (Tabela 1).

 

 

Ageratum conyzoides foi a única espécie comum a todos os locais. Outras com maior distribuição foram: Emilia sonchifolia e Hyptis suaveolens, encontradas em 11 localidades; e Bidens pilosa, Chamaesyce hirta e Ipomoea grandifolia, encontradas em nove locais.

Na Tabela 2 estão listadas as espécies mais importantes de cada local, escolhidas por ordem decrescente do índice de valor de importância (IVI). Destacaram-se as seguintes espécies: Ageratum conyzoides , em Piumhi, Doresópolis, Bambuí, Iguatama, Martinho Campos e Dores do Indaiá; Sida glaziovii, em Vargem Bonita; Blainvillea biaristata, em Lagoa da Prata; Gaya sp., em Bom Despacho; Conyza bonariensis, em luz; Sida glasiovii, em Pompéu; e Sida rhombifolia, em Abaeté. Essa variação espacial da dominação das plantas infestantes observada neste estudo pode ser reflexo de diferentes sistemas de manejo do solo e de práticas culturais, empregados pelos agricultores em cada local, pois estes fatores influenciam a dinâmica das populações de plantas daninhas (Oryokot et al., 1997).

 

 

Embora as espécies mais importantes se concentrem em apenas duas famílias (Asteraceae e Malvaceae), os índices de similaridade calculados entre as áreas evidenciam diferenças florísticas entre elas (Tabela 3).

 

 

As espécies dominantes em um local nem sempre o são em outro, o que permite utilizar herbicidas específicos para controlar apenas as espécie mais abundantes, mantendo a sustentabilidade no local. Como reflexo das características climáticas e das práticas agronômicas adotadas, manejo do solo e aplicação de herbicidas, em anos subseqüentes, poderá haver alteração na dinâmica populacional, surgindo outras espécies dominantes (Godoy et al., 1995).

Os herbicidas controlam as plantas daninhas por um período, mas não evitam a emergência tardia de muitas delas; no caso do milho, as plantas que emergem tardiamente podem prejudicar a colheita. Isso constou do relato de produtores que usaram herbicidas aplicados em pós-emergência, e, mesmo assim, a ocorrência de corda-de-viola (Ipomoea sp.) foi tão intensa que impediu a colheita mecânica. Outros disseram que, ao fazerem o controle químico, não encontraram herbicidas capazes de controlar com eficácia as plantas conhecidas por trapoeraba (Commelinaceae), devendo-se ressaltar que a espécie Commelina benghalensis é comum na área estudada e teve alto IVI em Lagoa da Prata (15,11). No entanto, é possível formular misturas de herbicidas que controlam esta espécie (Ronchi et al., 2002).

 

LITERATURA CITADA

BULHER, D. D. et al. Integrating mechanical weeding with reduced herbicide use in conservation tillage corn production systems. Agron. J., v. 87, p. 507-512, 1995.         [ Links ]

CRUTCHFIELD, D. A.; WICKS, G. A.; BURNISE, O. C. Effect of winter wheat (Triticum aestivum) straw mulch level on weed control. Weed Sci., v. 34, p. 110-114, 1986.         [ Links ]

GODOY, G.; VEGA, J.; PITTY, A. El tipo de labranza afecta la flora y la distribución vertical del banco de semillas de malezas. Ceiba, v. 36, n. 2, p. 217-229, 1995.         [ Links ]

GUERSA, C. M.; MARTÍNEZ-GUERSA, M. A. Ecological correlates of seed size and persistence in the soil under different tilling systems: implications for weed management. Field Crops Res., v. 67, p. 141-148, 2000.         [ Links ]

JOHNSON, M. D.; WYSE, D. L.; LUESCHEN, W. E. The influence of herbicide formulation on weed control in four tillage systems. Weed Sci., v. 37, p. 239-249, 1989.         [ Links ]

MACEDO, J. F.; MARTINS, R. P. Potencial da erva daninha Waltheria americana (Sterculiaceae) no manejo integrado de pragas e polinizadores: visitas de abelhas e vespas. An. Soc. Ent. Brasil, v. 27, n. 1, p. 29- 40, 1998.         [ Links ]

MONQUERO, P. A.; CHRISTOFOLLETI, P. J.; SANTOS, C. T. D. Glyphosate em mistura com herbicidas alternativos para o manejo de plantas daninhas. Planta Daninha, v. 19, n. 3, p. 375-380, 2001.        [ Links ]

MULUGUETA, D.; STOLTEMBERG, D. E. Increase weed emergence and seed bank depletion by soil disturbance in no-tillage systems. Weed Sci., v. 45, p. 234-241, 1997.         [ Links ]

ORYOKOT, J. O. E.; MURPHY, S. D.; SWANTON, C. J. Effect of tillage and corn on pigweed (Amaranthus spp.) seedling emergence and density. Weed Sci., v. 45, p. 120-126, 1997.         [ Links ]

PITELLI, R. A. Estudos fitossociológicos em comunidades infestantes de agroecossistemas. J. Conserb, v. 1, n. 2, p. 17, 2000.         [ Links ]

RONCHI, C. P. et al. Misturas de herbicidas para o controle de plantas daninhas do gênero Commelina. Planta Daninha, v. 20, n. 2, p. 311-318, 2002.         [ Links ]

VOLL, E. et al. Dinâmica do banco de sementes de plantas daninhas sob diferentes sistemas de manejo do solo. Planta Daninha, v. 19, n. 2, p. 171-178, 2001.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 24.5.2002 e na forma revisada em 11.8.2003
Apoio financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG