SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue4Dynamics of herbicide crossing through black oat straw by using different nozzle modelsAction of imazapic+imazapyr on purple nutsedge (Cyperus rotundus) and denitrifying bacteria in corn author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

  • Portuguese (pdf)
  • Article in xml format
  • How to cite this article
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Automatic translation

Indicators

Related links

Share


Planta Daninha

Print version ISSN 0100-8358On-line version ISSN 1806-9681

Planta daninha vol.22 no.4 Viçosa Oct./Dec. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0100-83582004000400011 

ARTIGOS

 

Seletividade de herbicidas aplicados em pré-emergência na cultura de cana-de-açúcar tratada com nematicidas

 

Selectivity of pre-emergence herbicides to sugarcane treated with nematicides

 

 

Negrisoli, E.I; Velini, E.D.II; Tofoli, G.R.III; Cavenaghi, A.L.III; Martins, D.II; Morelli, J.L.III; Costa, A.G.F.I

IEng.-Agr., aluno de Pós-Graduação em Agricultura em nível de Doutorado, Departamento de Produção Vegetal, FCA-UNESP, Caixa Postal 237, 18603-970 Botucatu-SP, Brasil
IIProfessores Assistentes, Doutores, Departamento de Produção Vegetal, FCA-UNESP, <ednegri@fca.unesp.br>
IIIEng.-Agr., aluno de Pós-Graduação em Proteção de Plantas em nível de Doutorado, Departamento de Produção Vegetal, FCA-UNESP

 

 


RESUMO

O objetivo do trabalho foi estudar a seletividade de herbicidas para a cultura da cana-de-açúcar quando aplicado em culturas tratadas com nematicidas. O experimento foi instalado em área pertencente à Usina São José, município de Borebi-SP, ano agrícola de 2000/01. A variedade de cana-de-açúcar utilizada foi a RB855113. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso em parcelas subdivididas, com quatro repetições. Cada parcela correspondeu a 27 linhas de 10,0 m, espaçadas em 1,0 m, sendo dividida em três subparcelas. As parcelas corresponderam aos tratamentos com os herbicidas, e as subparcelas, à aplicação ou não dos nematicidas carbofuran (2,10 kg ha-1) e terbufós 2,25 kg ha1). Os herbicidas testados foram: tebuthiuron (1,12 kg ha-1), ametryne (1,75 kg ha1), sulfentrazone (0,8 kg ha-1), metribuzin (1,92 kg ha-1), isoxaflutole (0,0525 kg ha1), clomazone (1,25 kg ha1), oxyfluorfen (0,36 kg ha-1) e azafenidin+hexazinone (0,1575 + 0,2025 kg ha-1), sendo todos aplicados em pré-emergência, além de uma parcela como testemunha. Os resultados obtidos evidenciaram que os herbicidas oxyfluorfen e azafenidin+hexazinone causaram os maiores níveis de fitotoxicidade na cana-de-açúcar, independentemente do uso dos nematicidas carbofuran e terbufós. Os herbicidas tebuthiuron, ametryne, sulfentrazone, metribuzin, isoxaflutole, clomazone, oxyfluorfen e azafenidin+hexazinone, aplicados em doses representativas das comercialmente utilizadas, mostraram-se seletivos à cana-de-açúcar, não afetando seu crescimento, sua produtividade e suas características tecnológicas. Os nematicidas não interferiram nos níveis de intoxicação provocados pelos herbicidas utilizados na cultura.

Palavras-chave: fitotoxicidade, interação, Saccarum afficinalis.


ABSTRACT

The objective of this work was to study the selectivity of herbicides to sugarcane when applied in crops treated with nematicides. The experiment was carried out in Borebi, São Paulo-Brazil, during the growing season 2000/2001. The sugar cane variety RB855113 was used. The experimental design was a randomized block in split-plots with 4 repetitions. Each plot corresponded to 27 rows of 10.0m, 1.0 m spaced, split into three sub-plots. The plots corresponded to the treatments with the herbicides and the sub-plots to the application or not of the nematicides carbofuran (2.10 kg ha-1) and terbufos (2.25 kg ha-1). The following herbicides were studied: tebuthiuron (1.12 kg ha-1), ametryne (1.75 kg ha-1), sulfentrazone (0.8 kg ha-1), metribuzin (1.92 kg ha1), isoxaflutole (0.0525 kg ha-1), clomazone (1.25 kg ha-1), oxyfluorfen (0.36 kg ha-1) and azafenidin+ hexazinone (0.1575 + 0.2025 kg ha-1). All the herbicides were applied in pre-emergence. The results showed that the herbicides oxyfluorfen and azafenidin+hexazinone caused the most severe phytotoxicity symptoms. Regardless of nematicide application, all the herbicides were selective to the crop, providing growth rates and yields similar to the controls. The selectivity of the herbicides was not affected by the nematicides.

Key words: phytotoxicity, interaction, Saccarum afficinalis.


 

 

INTRODUÇÃO

A cana-de-açúcar, assim como qualquer outra cultura, apesar de sua grande capacidade de crescimento, pode apresentar acentuadas reduções de produtividade quando mantida na presença de plantas daninhas, sobretudo nas fases iniciais de seu ciclo. Desse modo, o controle de plantas daninhas tem sido obrigatório em praticamente todas as situações em que se cultiva esta espécie.

Devido às similaridades anatômicas e fisiológicas entre as plantas daninhas e as cultivadas, riscos de intoxicação das culturas sempre ocorrem quando se usam herbicidas. Entende-se por seletividade a capacidade de um determinado herbicida em eliminar as plantas daninhas que se encontram em uma cultura, sem reduzir-lhe a produtividade e a qualidade do produto final obtido. A seletividade não pode ser determinada apenas pela simples verificação de sintomas visuais de intoxicação, pois são conhecidos exemplos de herbicidas que podem reduzir a produtividade das culturas sem produzir-lhes efeitos visualmente detectáveis e também exemplos de herbicidas que provocam injúrias bastante acentuadas, mas que permitem a elas manifestar plenamente seus potenciais produtivos.

Estudos realizados com herbicidas de ação localizada indicam que a cultura da canade-açúcar pode tolerar até 27% de comprometimento da sua área foliar sem que isso implique redução de produtividade (Velini et al., 1993). De modo complementar, Velini et al. (2000) relatam que estão disponíveis na literatura vários trabalhos reportando o comportamento diferencial nas mais variadas culturas, perante os mais diversos herbicidas.

Dessa forma, quando se tem por objetivo estudar a toxidez de um herbicida sobre uma cultura, é fundamental avaliar as injúrias provocadas por ele, quando presentes, e também os efeitos que estas injúrias podem apresentar sobre o crescimento e a produtividade da planta cultivada. Quando em associação com outros defensivos agrícolas, como nematicidas, os cuidados devem ser redobrados e os estudos de fitotoxicidade devem ser mais elaborados.

Nos poucos estudos existentes (Blanco et al., 1983), observa-se que a toxicidade em cana-de-açúcar induzida pela interação de tebuthiuron e carbofuran, independentemente das doses utilizadas (carbofuran: 37,50 e 62,50 kg ha-1; tebuthiuron: 0,80 e 1,20 kg ha1) e da profundidade de plantio (5 e 10 cm), proporcionou sintomas de intoxicação, como paralisação do crescimento, redução do limbo foliar, clorose acentuada ao longo do limbo, "enfezamento" e seca do ápice foliar, podendo evoluir, em alguns casos, até a morte das plantas. Todos esses sintomas visuais de injúrias também influenciaram o crescimento do sistema radicular. O uso combinado dos dois compostos acentuou as injúrias à cultura; o carbofuran utilizado isoladamente não produziu efeito fitotóxico à cultura.

O uso de nematicidas visando minimizar os efeitos negativos de elevadas populações de nematóides tornou-se rotineiro na cultura. Há uma grande preocupação dos técnicos encarregados do controle de plantas daninhas e/ou nematóides na cultura quanto à interação de nematicidas e herbicidas. As poucas informações sobre o assunto são incompletas e inconclusivas, mas têm sido exaustivamente utilizadas pelas empresas fornecedoras das duas classes de agrotóxicos, buscando vantagens comerciais.

Observa-se que são poucas as informações disponíveis acerca da seletividade de herbicidas à cana-de-açúcar e praticamente inexistentes as informações sobre a interação de nematicidas e herbicidas em termos de intoxicação da cultura. Desse modo, este trabalho teve por objetivo avaliar a seletividade de vários herbicidas, associados a nematicidas.

 

MATERIAL E MÉTODOS

O experimento foi instalado em uma área pertencente à Usina São José, localizada no município de Borebi, Estado de São Paulo, situado na latitude S 21º06'01,5'', longitude W 50º06'41,8" e altitude de 630 m.

O solo da área experimental foi classificado como Latossolo Vermelho, álico, de textura arenosa; o resultado da análise química está representado na Tabela 1. As informações sobre as condições climáticas durante a condução do experimento encontram-se na Tabela 2.

 

 

 

 

As operações efetuadas na instalação, condução e colheita do experimento são as que normalmente a Usina São José emprega em suas áreas de cultivo.

O plantio foi realizado no dia 24/03/2000 e a colheita em 28/06/01. O preparo do solo foi feito com uma aração e duas gradagens. Utilizou-se torta de filtro em área total, sendo incorporada com auxílio de grade. Os colmos de cana foram colocados inteiros dentro do sulco do plantio e picados manualmente, deixando-se em média 24 gemas por metro. A variedade utilizada foi a RB855113, plantada com espaçamento de 1,0 m entre linhas.

O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso com parcelas subdivididas, com quatro repetições. Cada parcela correspondeu a 27 linhas de 10 m (espaçadas de 1,0 m entre as linhas), sendo ela dividida lateralmente em três subparcelas de 90 m². As parcelas corresponderam aos herbicidas, e as subparcelas, aos tratamentos nematicidas. Os tratamentos utilizados e a dosagem de cada produto estão apresentados na Tabela 3.

 

 

Os nematicidas foram aplicados manualmente no sulco de plantio, sobre os toletes de cana, e imediatamente cobertos com uma leve camada de solo. As doses utilizadas neste estudo são aquelas usualmente aplicadas em campos de produção pela Usina São José.

Os herbicidas foram aplicados em pré-emergência, no dia 06/04/2000, utilizando-se dois pulverizadores costais com pressão constante de 2 kgf cm2 e barra equipada com cinco bicos de fabricação da Spraying Systems Co, modelo XR 8002, espaçados em 0,5 m. A velocidade de deslocamento foi de 1 m s-1, o que proporcionou um consumo de calda de 200 L ha1. As aplicações foram feitas sob as seguintes condições climáticas: umidade relativa de 63%, temperatura do ar de 29 ºC e velocidade do vento de 4 km h-1.

As plantas daninhas presentes na área experimental durante a condução do ensaio foram controladas através de capinas manuais, até que a cultura conseguisse, por si só, suprimir o crescimento das infestantes. Durante o desenvolvimento da cultura foram feitas duas avaliações visuais de fitointoxicação, aos 27 e 40 DAA (dias após a aplicação), determinando-se a porcentagem de injúria nas folhas da cultura em duas linhas centrais de cada subparcela. Utilizou-se a metodologia proposta por Velini et al. (1995), segundo a qual 100% corresponde à destruição completa da cultura ou somente algumas plantas vivas e 0% corresponde a uma situação sem injúria, ou seja, sem efeito sobre a cultura.

Na colheita, foram avaliadas as seguintes características agronômicas: números de colmo/parcela, sendo contados todos os colmos presentes na área útil de cada subparcela; comprimento médio dos colmos e número de entrenós por colmo – para as duas últimas características foram avaliados 15 colmos/subparcela; peso total de colmos das parcelas, com auxílio de um dinamômetro; e qualidade tecnológica dos colmos produzidos. Para as análises tecnológicas, foram coletados ao acaso 10 colmos por parcela, sendo avaliados: graus Brix (%), A.T.R. (açúcar total recuperado) e porcentagem de fibra.

A partir dos resultados obtidos, calcularam-se a produtividade de colmos e açúcar, o peso médio de cada colmo e o comprimento médio de cada entrenó.

Os resultados foram submetidos à análise de variância, comparando-se o efeito dos herbicidas (parcelas) e nematicidas (subparcelas) com auxílio do teste "t" em nível de 10% de probabilidade.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Na Tabela 4 são apresentados os resultados referentes às médias das duas avaliações de fitointoxicação (27 e 40 DAA). Na primeira avaliação, nota-se que os maiores níveis de fitointoxicação foram ocasionados pelos herbicidas metribuzin e oxyfluorfen; os demais herbicidas provocaram efeitos menos severos. Quanto à fitointoxicação causada pelos tratamentos com os nematicidas terbufós e carbofuran, os resultados não mostraram diferenças significativas. O teste F evidenciou a existência de diferença significativa, em nível de 1% de probabilidade, entre os herbicidas estudados. Da mesma forma, houve efeito significativo, em nível de 5% de probabilidade, para a interação H x N. Apesar disso, a análise das médias dos nematicidas para cada herbicida não permitiu identificar um padrão de comportamento que indicasse a atenuação ou acentuação das injúrias nas subparcelas com o uso combinado de herbicidas e nematicidas.

 

 

No que se refere à interação H x N, significativa, nas duas épocas de avaliação, deve ser destacado que não foi possível estabelecer um padrão constante de comportamento dos vários herbicidas diante dos nematicidas. Utilizando como exemplo o caso do oxyfluorfen, com maiores diferenças entre as subparcelas, os maiores níveis de injúrias foram verificados com aplicação de terbufós ou carbofuran, na primeira e na segunda avaliação, respectivamente.

Em relação à segunda avaliação de fitointoxicação (40 DAA), em que foram tratadas as plantas com os herbicidas tebuthiuron, ametryne, sulfentrazone, metribuzin, isoxaflutole e clomazone, nota-se que foram mantidos ou diminuíram os sintomas de intoxicação apresentados anteriormente. Na primeira avaliação, as maiores reduções de injúria foram verificadas para o herbicida metribuzin. As intoxicações provocadas por oxyfluorfen e azafenidin+hexazinone foram maiores aos 40 DAA do que aos 27 DAA.

Os resultados obtidos no tratamento com a mistura azafenidin+hexazinone não mostraram diferenças significativas em relação aos dois nematicidas utilizados, nas duas épocas de avaliação.

Na Figura 1 são comparados os resultados de injúria nas duas avaliações. A maioria dos dados está abaixo ou próxima da linha de equivalência, indicando a manutenção ou regressão dos sintomas entre as duas avaliações.

Os únicos resultados acima da linha de equivalência foram observados para os herbicidas oxyfluorfen e azafenidin+ hexazinone. No caso dessa mistura, os sintomas apresentados indicam que a injúria foi causada provavelmente pelo azafenidin e não pelo hexazinone, pois os sintomas são praticamente idênticos aos provocados pelo oxyfluorfen. O hexazinone causa clorose e necrose marginal nas folhas (Rodrigues & Almeida, 1998). Deve ser destacado que o oxyfluorfen e o azafenidin, responsáveis pelos maiores níveis de injúria, apresentam o mesmo mecanismo de ação, que é a inibição da protox (acúmulo de protoporfirina).

Observou-se que os herbicidas azafenidin+ hexazinone e oxyfluorfen foram os responsáveis pelas maiores porcentagens de fitointoxicação, sendo os sintomas provocados por estes herbicidas muito semelhantes. Segundo Velini et al. (2000), a intoxicação pelo herbicida oxyfluorfen apresenta como sintomas característicos manchas de cor marrom-avermelhada, localizadas nos pontos em que as folhas da cultura entram em contato com o herbicida; essas manchas podem ou não evoluir para necrose. Esse fato foi observado nos tratamentos em que foram aplicados os herbicidas oxyfluorfen e azafenidin+hexazinone.

Nas Tabelas 5, 6, 7 e 8 estão apresentadas as características de produção, como número, comprimento e peso de colmos; o número e comprimento médio dos entrenós; as características tecnológicas, como graus Brix, A.T.R. (açúcar total recuperado) e fibra; e toneladas de colmos por hectare e açúcar por hectare, respectivamente. Observa-se que não houve efeito significativo dos herbicidas ou nematicidas testados. A interação H x N também foi não-significativa para todas as características analisadas. Deve ser destacada a elevada precisão do experimento. Os coeficientes de variação para produtividade de colmos e açúcar foram próximos a 5%.

 

 

 

 

 

 

 

 

A correlação entre injúria e produtividade demonstrou que os resultados são coerentes com as informações de Velini et al. (1993). Neste estudo, as injúrias foram bastante inferiores ao limite estabelecido pelo autor (27%) para que ocorram reduções de produtividade da cana-de-açúcar. De modo complementar, os coeficientes de determinação entre as equações lineares de regressão entre a produtividade e as porcentagens de injúrias, nas duas épocas de avaliações, foram não-significativos (0,0000127 e 0,000179, respectivamente).

Os resultados indicaram que os herbicidas testados, associados ou não ao carbofuran e ao terbufós, foram seletivos à cultura, permitindo que ela expressasse plenamente seu potencial de crescimento e produção.

 

AGRADECIMENTOS

A todas as pessoas que colaboraram na instalação e condução deste estudo, em especial ao Eng.-Agr. Jorge L. Morelli, Usina São José, Macatuba-SP.

 

LITERATURA CITADA

BLANCO, G. H. et al. Fitotoxicidade em cana-de-açúcar (Saccharum sp.), em solo arenoso, induzida pela interação de tebuthiuron e carbofuran. O Biológico, v. 49, n. 9/10, p. 227-236, 1983.         [ Links ]

RAIJ, B. van.; QUAGGIO, J. A. Métodos de análise de solo para fins de fertilidade. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 1983. 34 p. (Boletim Técnico, 81)         [ Links ]

RODRIGUES, N. B.; ALMEIDA F. Guia de herbicidas. 4.ed. Londrina: Livro Ceres, 1998. 346 p.         [ Links ]

VELINI, E. D. et al. Avaliação dos efeitos do clomazone, aplicado em pós-emergência, sobre o crescimento e produtividade de soqueiras de nove cultivares de cana-de-açúcar. In: CONGRESSO NACIONAL DA STAB, 5., Águas de São Pedro. Anais... Águas de São Pedro: 1993. p. 125-128.         [ Links ]

VELINI, E. D.; OSIPE, R.; GAZZIERO, D. L. P. Procedimentos para instalação e análise de experimentos com herbicidas. Londrina: Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas, 1995. 21 p.         [ Links ]

VELINI, E. D. et al. Avaliação da seletividade da mistura de oxyfluorfen e ametryne, aplicada em pré ou pós-emergência, a dez variedades de cana-de-açúcar (cana planta). Planta Daninha, v. 18, p. 123-134, 2000.         [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 13.1.2004 e na forma revisada em 17.12.2004

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License