SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número2CROMATOGRAFIA DE AFINIDADE COM CORANTE RED A versus TROCA IÔNICA-PERMEABILIDADE EM GEL: COMPARAÇÃO DA PRATICIDADE NA PURIFICAÇÃO DE ENTEROTOXINA ESTAFILOCÓCICA AANÁLISE DESCRITIVA QUANTITATIVA DA AGUARDENTE DE CANA DURANTE O ENVELHECIMENTO EM TONEL DE CARVALHO (Quercus alba L.) índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Food Science and Technology

versión impresa ISSN 0101-2061versión On-line ISSN 1678-457X

Ciênc. Tecnol. Aliment. v. 18 n. 2 Campinas Mayo/Jul. 1998

http://dx.doi.org/10.1590/S0101-20611998000200004 

PRODUÇÃO DE LEITE DE CABRAS PURAS NO CURIMATAÚ PARAIBANO DURANTE A LACTAÇÃO1

 

M.C.C. FERREIRA2, I.N.S. TRIGUEIRO2,*

 

 


RESUMO

A presente pesquisa teve como objetivo determinar a produção de leite de cabras puras das raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, durante 195 dias de lactação, na microrregião do Curimataú paraibano. Foram utilizados 6 animais puros de cada raça, de 2a e 3a ordem de parição. O controle leiteiro teve início 30 dias após a parição, com uma periodicidade de 15 dias, durante 195 dias, nas ordenhas matutina e vespertina, perfazendo um total de 72 coletas. A produção obtida para as raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, correspondeu a 873,6, 1.162,0 e 2.069,0g, respectivamente. Foi evidenciada influência significativa (P<0,05) dos parâmetros raça, período de lactação e período de ordenha sobre a produção, não sendo observado para a raça British Alpine o efeito da lactação sobre a produção.

Palavras-chave: leite de cabra, lactação


SUMMARY

MILK PRODUCTION OF GOATS IN THE CURIMATAÚ (PARAÍBA, BRAZIL) DURING LACTATION. Milk production of pure Anglo Nubian, Brown and British Alpine goats during lactation (195 days) in the microrregion of Curimataú at Paraíba State was determined. Six animals of each herd were selected according the order and parity number. Milking control have begun 30 days after birth, with a periodicity of 15 days, in the morning and afternoon milking times, completing 72 determinations. The milk production obtained for the Anglo Nubian, Brown and British Alpine, were 873.6, 1162.0 and 2069.0 g/day, respectively. It was evidenced influence (P<0.05) of herd, lactation period and milking times upon the production: however for the British Alpine this effect was not observed.

Keywords: goats milk, lactation


 

 

1 — INTRODUÇÃO

A produção mundial de leite de cabra está estimada em torno de 8.780 mil toneladas, sendo 129 mil produzidas no Brasil, que se coloca como 18o produtor mundial, detendo o Nordeste brasileiro cerca de 90% desta produção [3]. Apesar disto, a produtividade da região é baixa, com valores médios diários inferiores a 0,5 kg [4]. Registros de produção obtidos, demonstram que no período de 1975/1989 foi observada uma elevação expressiva na sua produção, passando de 10.836 mil litros para 26.933 mil litros em 1989 [12].

Estudos realizados por alguns pesquisadores, consideram que a região semi-árida do Nordeste, possui condições apropriadas para o desenvolvimento da caprinocultura leiteira, tendo na última década, apresentado considerável crescimento, impulsionado principalmente pela importação de animais puros, o que tem elevado o desempenho produtivo do rebanho [13, 17].

A produção de leite é influenciada por vários fatores, tais como: época e ano de parição, raça, ordem de parto, duração da lactação, número de ordenhas, clima e manejo [7,8]. Em Portugal, pesquisas sobre a produção leiteira de cabras da raça Serpentina evidenciaram variação de 110,06 a 429,61 kg, com média de 248,9 kg, variação esta, associada a diferenças genéticas entre indivíduos [15].

No México e no Chile, estudos sobre a produção de leite de cabras foram realizados, tendo sido registrados valores médios de 1.820 g/dia em 35 semanas de lactação, e 137,0 e 335,0 em 218 e 232 dias de lactação, respectivamente [9, 10].

No Brasil, particularmente na região Nordeste, pesquisas sobre a produção de leite em cabras meio sangue Parda Alpina e Moxotó, em Sobral — CE, nos anos de 1987, 1988 e 1989, registraram produção média de 94,57, 144,44 e 152,12 kg, com período médio de lactação de 165,89, 205,98 e 202,69 dias respectivamente [1]. Em outro experimento na microrregião do Cariri paraibano, as produções médias de leite de cabras Parda Alemã, Anglo Nubiana e SRD foram de: 2.059, 1.223 e 0,686 kg, respectivamente, para um período de lactação de 336 dias [13].

Considerando a relevância desta matéria, a presente pesquisa tem como objetivo determinar a produção de leite de animais puros na microrregião do Curimataú paraibano.

 

2 — MATERIAL E MÉTODOS

2.1 - Material

Os animais utilizados neste estudo faziam parte do rebanho da Fazenda Experimental Pendência, pertencente a Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária — EMEPA/PB.

Foram selecionados 6 animais puros da raça Anglo Nubiana, 6 da British Alpine e 6 Parda Alemã, de 2a e 3a ordem de parto, alimentados com forrageiras nativas e suplementadas com 500 g diárias de um concentrado com uma média de 20% de proteínas.

As cabras eram ordenhadas duas vezes ao dia (às 7 e às 15 horas) e o manejo sanitário dos animais foi realizado através de vacinações sistemáticas, combate aos ectoparasitas, enquanto que os endoparasitas eram controlados através de vermifugações.

2.2 - Métodos

Na execução do controle leiteiro, os animais eram ordenhados individualmente e as amostras acondicionadas em recipientes plásticos apropriados e previamente pesados. Este procedimento foi realizado separadamente para as três raças estudadas. A soma dos valores obtidos nos dois turnos em que se realizaram as ordenhas foi considerada como produção diária.

O tratamento estatístico empregado para as análises da produção diária de leite, obedeceu a um esquema casualizado, como arranjo fatorial 12 x 2, com números diferentes de repetições. Foi utilizado o Mixed Mode Least — Squares and Maximum Likelihood Computer Program — LSMLMN [6]. Para a comparação das médias foi empregado o teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade [5].

 

3 — RESULTADOS E DISCUSSÕES

Na Tabela 1, estão dispostos os resultados referentes à produção de leite de cabras das raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, durante 195 dias de lactação. Como pode ser observado, os valores médios foram: 873,6, 1.162,0 e 2.069,0 g, respectivamente, tendo a raça British Alpine apresentado produção superior (P<0,05) às demais.

 

18n2a71t1.GIF (25360 bytes)

 

Foi observado que a raça, o período de lactação e o turno de ordenha exerceram influência significativa (P<0,05) na produção. No entanto, para a raça British Alpine não foi evidenciado efeito significativo do período de lactação sobre a produção.

As curvas de produção diária de leite das raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, em função do período de lactação, são apresentadas na Figura 1. Através da equação de regressão linear foi observado que a produção de leite das raças Anglo Nubiana e Parda Alemã apresentou efeito quadrático significativo (P<0,05), podendo ser evidenciada uma diminuição curvilínea com o aumento do período de lactação (R2 = 0,94 e 0,81, respectivamente). Para a raça British Alpine foi evidenciado um efeito linear decrescente e significativo (P<0,05) do período de lactação sobre a produção diária de leite (R2= 0,86), não se observando comportamento homogêneo da curva de produção [7, 8].

 

18n2a71i62.GIF (5979 bytes)

FIGURA 1. Produção diária de leite (g) de cabras Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, durante 195 dias de lactação, no Curimataú paraibano.

 

Ainda com referência à curva de lactação, os resultados observados evidenciaram que o pico de produção ocorreu entre 30 e 60 dias, com valores de 325 a 1.825 g, 775 a 2.180 g e 1.666 a 2.425 g para as raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, respectivamente.

Os resultados obtidos mostraram curva de lactação com pico de produção entre 30 e 60 dias, comportamento este semelhante aos registros da literatura, apesar das raças estudadas serem diferentes [2, 14, 18]

Os efeitos do período de lactação e turno de ordenha sobre a produção de leite, foram estudados por alguns autores [10, 11]. Nestes trabalhos, os valores encontrados na ordenha do turno da manhã apresentaram-se superiores aos obtidos na ordenha da tarde, constatando-se também no presente estudo, o que pode ser explicado pelo período mais longo, existente entre a ordenha da tarde e da manhã.

A produção média evidenciada nesta pesquisa, para as três raças estudadas (1.426 g/dia), apresentou-se superior à registrada para o Estado da Paraíba, cujo valor corresponde a 0,70 kg/dia [16]. Entretanto, comparando-se a produção obtida com os valores relatados pela literatura internacional, verifica-se que a mesma é baixa, provavelmente em decorrência de fatores ambientais associados e questões de manejo.

 

4 — CONCLUSÕES

- A produção de leite das raças estudadas sofreu influência significativa do período de ordenha, observando-se maior produção no período da manhã;

- A produção de leite das raças Anglo Nubiana, Parda Alemã e British Alpine, sofreu influência significativa do período de lactação, levando a um decréscimo na produção;

- A maior produção foi obtida com a raça British Alpine, com média de 2.069 g/dia;

- pico de produção ocorreu entre 30 e 60 dias de lactação;

- A produção média para as três raças estudadas apresentou-se superior à produção do Estado da Paraíba, com valor médio de 1.426 g/dia.

 

5 — REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

[1] BARBIERI, M. E., FIGUEIREDO, E. A. P., SIMPLICIO, A. A. Produção de leite em cabras meio sangue Parda Alpina x Moxotó, em Sobral, Ceará. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 27, 1990, Campinas. Anais... Campinas: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1990, p.408.

[2] DEVENDRA, C. The potencial of sheeps and goats in the less developed countries. Journal Animal Science, Champaign, n.51, 461, 1980.

[3] FAO. Quaterly Bulletin of Statistic, v.8, 1994.1

[4] FIGUEIREDO, E. A. P. Products and current levels: priorits and strategies for improvement of related on secundary industries. In: INTERNATIONAL CONFERENCE OF GOATS, 4, Brasília, Proceedings... Brasília: EMBRAPA/DDT, 1987, p713-728.

[5] GOMES, F. P. Curso de estatística experimental. 11 ed. Piracicaba: Nobel, 1985. 466p.

[6] HARVEY, W. R. Mixed modl and least-squares and maximum likehihood computer program. Ohio State University, 1986. 59p.

[7] JENNESS, R. Composition and characteristics of goat milk. Journal of Dairy Science, Champaign v.60, n.10, p.1605-1630, 1980.

[8] LIMA, F. A. M. Estudo genético-quantitativo das produções parciais e produção total e do desenvolvimento ponderal de caprinos no Nordeste semi-árido do Brasil. Belo Horizonte, 1994. 129p. Tese Doutorado (em Ciência Animal). Universidade Federal de Minas Gerais, 1994.

[9] MONTALDO, W. H., JUAREZ, L. A., FORAT, M. et al. Factors affecting milk production lactation, body weight and litter lizi in a herd of goats in Northern México. Journal Animal Science, v.47, suppl.1, p.242, 1978.

[10] PIMENTA FILHO, E. C., COSTA, R. G., RIBEIRO, N. M., et al. Avaliação da produção de cabras Parda Alpina x Gurgéia no Semi-Árido brasileiro. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 26, 1989, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1989. p.297.

[11] QUEIROGA, R. C. R. E. Características físicas, químicas e condições higiênico-sanitárias do leite de cabras mestiças no Brejo paraibano. João Pessoa, 1995. 84p. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos). Universidade Federal da Paraíba, 1995.

[12] QUINTANS, L. J. Estudo de mercado e de localização, Usina de Desidratação de leite de cabras. Microrregião homogênea do Cariri Ocidental. Plano de Desenvolvimento Local Integrado. João Pessoa, 1995. 104p.

[13] RODRIGUES, A. Características de produção, crescimento, mortalidade e produção de leite em caprinos Parda Alemã, Anglo Nubiana e Sem Raça Definida (SRD), nos Cariris paraibanos. Areia, 1988. 150p. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Universidade Federal da Paraíba, 1988.

[14] ROTA, A. M., RODRIGUEZ, P., ROJAS, A. et al. Evolution of the quantitative and qualitative characteristics in the goat milk (Verata breed) through the lactation. Archivos Zootecnia, n.42, p.137-146, 1993.

[15] SOBRAL, M., BITTENCOURT, A. Productive aptitude of Serpentina goat. Animal Breed Abstract, v.54, n.4, p.553, 1992.

[16] SOUZA NETO, J. de., GUTIERREZ, N. A. Características gerais da caprinocultura no Estado da Paraíba. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária — EMBRAPA. Sobral: Centro Nacional de Pesquisa de Caprinos, EMBRAPA/CNPC 1987. 23p. (EMBRAPA/CNPC, Boletim de Pesquisa, 5).

[17] SOUZA W. H., PIMENTA FILHO, E. C. Estratégias para o melhoramento genético de caprinos no Brasil. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 28, 1991, João Pessoa. Curso... João Pessoa: Sociedade Brasileira de Zootecnia, 1991. p. 102-135.

[18] ZYGOIANNIS, D., KATSAKUNIS, N. The milk yield and milk composition of the breed Indigenous goat (Capra prisca) as influenced by duration of suckling period. Animal Production, n.44, p.107-116, 1986.

 

1 Recebido para publicação em 29/08/97. Aceito para publicação em 28/06/98.

2 Depto de Nutrição, UFPB, Av. Umbuzeiro, 630 apto 302 (Manaíra) 58038-000, João Pessoa, PB.

* A quem a correspondência deve ser enviada.

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons