SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.39 número4"Educação do corpo" e campo científico: da fluidez do conhecimento às lutas simbólicas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências do Esporte

versão impressa ISSN 0101-3289versão On-line ISSN 2179-3255

Rev. Bras. Ciênc. Esporte vol.39 no.4 Porto Alegre out./dez. 2017

http://dx.doi.org/10.1016/j.rbce.2017.08.001 

Editorial

Da pesquisa e da prática pedagógica

About research and pedagogical practice

De la investigación y de la práctica pedagógica

Alexandre Fernandez Vaza  b  * 

Felipe Quintão de Almeidac 

Jaison José Bassanid 

aUniversidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Departamento de Estudos Especializados em Educação, Florianópolis, SC, Brasil

bBolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq Nível 1D, Florianópolis, SC, Brasil

cUniversidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação Física e Desportos, Departamento de Ginástica, Vitória, ES, Brasil

dUniversidade Federal de Santa Catarina, Centro de Desportos, Departamento de Educação Física, Florianópolis, SC, Brasil

Quando em 2009 os Cadernos de Formação RBCE vieram a público, a equipe editorial da Revista Brasileira de Ciências do Esporte procurava demarcar uma questão vista como importante para o perfil do periódico: Os Cadernos se ocupariam mais diretamente da formação de professores e professoras, a RBCE estaria destinada a veicular os resultados de pesquisa. Isso tem sido assim, desde então.

Ocorre que talvez seja preciso que as pesquisas encontrem com mais frequência a prática pedagógica, na escola e fora dela, de modo que um polo alimente o outro e que, no limite, quase que cada um não seja mais um polo da equação, mas que se determinem mutuamente. Sem desconsiderar a pesquisa básica, é bom lembrar que Educação Física é uma área de intervenção pedagógica – e as Ciências do Esporte devem estar a serviço dela.

Neste número encontra-se trabalhos de pesquisa quantitativa e qualitativa implicadas por testes, protocolos, questionários, entrevistas, análise de documentos e de vídeos e observações de campo, que caracterizam distintos modos de aproximação e de produção de conhecimento em Educação Física/Ciências do Esporte. Com esses procedimentos os trabalhos focalizam temas e problemas relacionados à educação do corpo, ao perfil acadêmico de professores, ao esporte e à mulher na crônica esportiva, à estética do rúgbi, aos grupos de pesquisa brasileiros, ao percurso e ao bem-estar docente de professores de Educação Física. Além desses, os artigos deste número enfocam o desempenho tático de jogadores de futebol, os sistemas de avaliação para análise de jogo no goallball, o consumo de oxigênio e a frequência cardíaca em exercício, as atividades físicas infantis, o exercício físico e qualidade de vida de atletas do basquetebol e a locomoção de pessoas com doença de Parkinson. Fecha o número a resenha da obra "As práticas corporais no campo da saúde: o que podem os diálogos entre Educação Física e Saúde Coletiva".

Os textos emergem de pesquisas que se desenvolvem mediante o encontro com bases de dados, crônicas esportivas, com atletas e não atletas, professores e grupos de pesquisa do país e se desenrolam no clube, na quadra, na escola, na Universidade, levando a comunidade científica a campo, a dialogar com ele, a dar-lhe voz.

Permanece o desafio de fazer dialogar toda essa produção da prática pedagógica em Educação Física escolar, do treinamento esportivo e do lazer, colocando-a a serviço da intervenção na quadra, na escola, no clube, na praça, na academia, entre tantos outros espaços em que o corpo e as práticas corporais protagonizam.

Florianópolis, Vitória, dezembro de 2017.

* Autor para correspondência. E-mail:alexandre.rbce@gmail.com (A.F. Vaz).

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution Non-Commercial No Derivative, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que sem fins comerciais, sem alterações e que o trabalho original seja corretamente citado.