SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.41 número3Questionários para avaliação do nível de atividade física habitual em adolescentes brasileiros: uma revisão sistemática índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências do Esporte

versão impressa ISSN 0101-3289versão On-line ISSN 2179-3255

Rev. Bras. Ciênc. Esporte vol.41 no.3 Porto Alegre jul./set. 2019  Epub 16-Set-2019

https://doi.org/10.1016/j.rbce.2019.08.001 

Editorial

Crise no financiamento à pesquisa e desafios para RBCE

Fernando Mascarenhasa  * 

Ari Lazzarotti Filhob 

Lauro Casqueiro Viannac 

aUniversidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Brasília, DF, Brasil

bUniversidade Federal de Goiás, Faculdade de Educação Física e Dança, Goiás, GO, Brasil

cUniversidade de Brasília, Faculdade de Educação Física, Brasília, DF, Brasil


Apesar das especificidades de cada momento, em todo o ciclo de vida da RBCE, a inconstância de financiamento público sempre foi é uma das principais dificuldades que temos encontrado, o que coloca em risco o projeto de profissionalização e qualificação de nosso periódico. Antes mesmo dos cortes mais recentes de recursos públicos destinados à ciência e tecnologia no país, o financiamento sempre causou incerteza. A cada ano, um novo projeto submetido às agências de fomento. Mas os recursos obtidos por meio de editais, embora essenciais, não permitem custear os atuais quatro números anuais da revista. Assim, sempre coube ao CBCE arcar com os valores restantes, comprometendo a manutenção da sua saúde financeira e pleno funcionamento como associação científica representativa da área da Educação Física (Almeida et al., 2015; Almeida et al., 2018).

Para se ter uma ideia, o orçamento anual da RBCE de 2018 totalizou o valor de R$ 98.128,00, referentes R$ 78.308,00 pagos à editora parceira – Elsevier – pelos serviços de produção editorial e R$ 19.800,00 pagos sob a forma de bolsas de apoio técnico a equipe editorial. Excluem-se do orçamento o custo de pagamento dos Editores-chefes, cujas atividades integram o rol de atribuições reconhecidas e remuneradas por suas respectivas universidades. Assim, o custo médio estimado por artigo – 60 artigos anuais – é R$ 1.635,00. Por sua vez, o financiamento da RBCE se sustentou a partir das seguintes fontes: Editais de apoio a publicação de periódicos. Para 2018 a RBCE foi contemplada com R$ 17.000,00 a partir da Chamada CNPQ/CAPES N° 26/2017 – Programa Editorial e R$ 50.000,00 a partir do Edital 09/2017 de Seleção pública Periódicos Científicos da FAP-DF; Orçamento do CBCE, que assume a responsabilidade pela manutenção e publicação periódica da Revista; Taxas de publicação, complementar (Mascarenhas et al., 2018).

Em 2019, frente ao corte de recursos destinados a Ciência, Tecnologia e Inovação no país, a RBCE não foi contemplada na Chamada CNPQ/CAPES N° 18/2018 e a FAP-DF sequer lançou um novo edital de apoio a periódicos. Sim, como já dissemos, o financiamento sempre trouxe incerteza, mas neste ano chegamos ao fundo do poço, é o alerta da Comissão de Financiamento à Pesquisa e de Política Científica da SBPC feito por ocasião da 71ª Reunião Anual da entidade, na UFMS. Tal situação se evidencia a partir de casos mais críticos como a redução de recursos para o pagamento de bolsas da Capes e do CNPq e o enorme bloqueio de recursos disponíveis para as atividades do fomento, que chega a mais de 80%. Capes e CNPq correm o risco de interromperem suas atividades em setembro deste ano caso o governo não libere recursos adicionais (Jornal da Ciência, 2019).

Chegaremos, portanto, ao XI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte (CONBRACE) e VIII Congresso Internacional de Ciências do Esporte (CONICE), agendados para 16 a 20 de setembro próximo, na UFRN, com um enorme desafio, pensarmos em estratégias e ações diante de um contexto de profunda crise no financiamento à pesquisa, talvez a maior que o país já enfrentou. Vamos discutir o papel da educação do corpo e os impactos das reformas educacionais na atualidade, mais especificamente na Educação Física/Ciências do Esporte. Mas temos também de discutir um projeto de nação, que fortaleça o país e recoloque a ciência como caminho para atingir esse objetivo.

Como o periódico científico mais longevo da Educação Física brasileira, contribuindo initerruptamente há quatro décadas para o desenvolvimento da área, a RBCE e o CBCE já enfrentaram outras dificuldades. Os esforços na reversão deste quadro cobram interlocução com a SBPC e outras associações científicas, mas cobram também de nós da Educação Física/Ciências do Esporte enfrentamentos em tempos de crise.

Chegamos assim a este número da RBCE com 14 artigos e 1 resenha que mais uma vez endossam o caráter interdisciplinar e plural da Revista.

Boa Leitura!

Brasília, julho de 2019.

Bibliografia

Almeida FQ, Bassani JJ, Vaz AF. Vicissitudes de uma história da RBCE: 35 anos de editoração científica (1979-2013). Motivivência. 2015;26:135-153. [ Links ]

Almeida FQ, Bassani JJ, Richter AC, Invernizzi L, Vaz AF. Revista Brasileira de Ciências do Esporte: encerrando um ciclo editorial. Motivivência. 2018;30:74-89. [ Links ]

Jornal da Ciência – SBPC. Comissão da SBPC faz balanço das ações estratégicas para o financiamento do setor. Disponível em: http://www.jornaldaciencia.org.br/comissao-da-sbpc-faz-balanco-das-acoes-estrategicas-para-o-financiamento-do-setor/.(acesso em 30/7/2019). [ Links ]

[Mascarenhas et al., 2018]. Plano de Desenvolvimento Editorial - PDE RBCE-SciELO 2021. Disponível em: http://www.cbce.org.br/upload/biblioteca/PDE%20RBCE%202021.pdf.(acesso em 30/7/2019). [ Links ]

* Autor para correspondência. E-mail:fernando.masca@outlook.com (F. Mascarenhas).

Creative Commons License Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution Non-Commercial No Derivative, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que sem fins comerciais, sem alterações e que o trabalho original seja corretamente citado.