SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número1Os interiores domésticos após a expansão da economia exportadora paulistaDecifrando mapas:sobre o conceito de "território" e suas vinculações com a cartografia índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material

versión impresa ISSN 0101-4714versión On-line ISSN 1982-0267

An. mus. paul. vol.12 no.1 São Paulo enero/dic. 2004

http://dx.doi.org/10.1590/S0101-47142004000100017 

ESTUDOS DE CULTURA MATERIAL

 

Água de beber: a filtração doméstica e a difusão do filtro de água em São Paulo

 

 

Julio Cesar Bellingieri

Curso de Administração e Sistemas de Informação da Faculdade de Educação São Luís (Jaboticabal-SP) e Faculdades Integradas Fafibe (Bebedouro-SP)

 

 


RESUMO

Este artigo trata do processo de surgimento e difusão do uso do filtro de água no Estado de São Paulo, ao longo do século XX. O filtro de água, conjunto de dois recipientes de argila equipado com vela filtrante, é um produto da indústria cerâmica, uma das primeiras a se desenvolver em São Paulo. A pesquisa mostra que, em São Paulo, no final do século XIX e início do XX, com o aumento da urbanização e o crescimento das cidades, a preocupação com a qualidade da água que se consumia ganhou importância em virtude de graves problemas de saúde pública principalmente epidemias causadas por águas impróprias para beber. Embora já existisse um incipiente mercado de equipamentos domésticos de filtração da água, eles eram ainda importados e de uso restrito. A partir da década de 1910, empresas cerâmicas, de imigrantes portugueses e italianos, passaram a acoplar velas filtrantes a recipientes de argila, dando origem ao filtro de água. Depois dos anos de 1930, o filtro difundiu-se e tornou-se o principal equipamento de filtração doméstica, quando diversas empresas, como Filtros Salus (São Paulo-SP), Pozzani (Jundiaí-SP) e Stéfani (Jaboticabal-SP), especializaram-se nesse produto e passaram a atender ao mercado nacional. Estudar o surgimento e a difusão do filtro de água significa conhecer um dos primeiros bens de consumo da indústria brasileira e, ao mesmo tempo, a história de como a população obtém água para beber.

Palavras-chave: Água de beber. Saúde pública. Filtro de água. Indústria cerâmica.


ABSTRACT

This work studies the advent and diffusion of water filter usage in São Paulo State, during the 20th Century. The water filter, a set of two terracotta vessels equipped with a filtering device, was a product of the ceramics industry, one of the first to be developed in São Paulo. This research shows that in São Paulo at the end of 19th and beginning of 20th Centuries, with the growth of cities and rapid urbanisation, a concern about the quality of water increased due to serious public health hazards, mainly epidemics caused by the consumption of unhealthy drinking water. Despite the existence of an incipient market of domestic equipment for water filtration, these were imported and of limited usage. From the 1910's, ceramics companies, owned by Portuguese and Italian immigrants, started installing filtering devices in terracotta vessels, launching the water filter set. It caught on and became the main domestic filtering equipment after the 1930's, when several companies specialized in this kind of product and started catering for the national market, such as Filtros Salus (from São Paulo city), Pozzani (Jundiaí) and Stéfani (Jaboticabal). Studying the advent and diffusion of the water filter entails knowledge about one of the first consumer goods of the Brazilian industry and, at the same time, knowledge about the history of the ways in which the Brazilian population obtained water to drink.

Keywords: Drinking Water. Public Health. Water Filter. Ceramics Industry.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

REFERÊNCIAS

ALMANAK LAEMMERT 69º ANNO: Estado de São Paulo. Rio de Janeiro: Officinas Typographicas do Almanak Laemmert, 1913. v. 3.         [ Links ]

ALMANAK LAEMMERT 71º ANNO: Estado de São Paulo. Rio de Janeiro: Officinas Typographicas do Almanak Laemmert, 1915. v. 3        [ Links ]

ALMANAK LAEMMERT 72º ANNO: Estado de São Paulo. Rio de Janeiro: Officinas Typographicas do Almanak Laemmert, 1916. v. 3        [ Links ]

ANUÁRIO BRASILEIRO DE CERÂMICA. São Paulo: Associação Brasileira de Cerâmica, 2002.         [ Links ]

BERTOLLI FILHO,C. A gripe espanhola em São Paulo, 1918: epidemia e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2003.         [ Links ]

BRUNO, E. S. História e tradições da cidade de São Paulo. 2. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954a. v 1., 1954b. v. 2, 1954c v. 3.         [ Links ]

_______.Viagem ao país dos paulistas:ensaio sobre a ocupação da área vicentina e a formação de sua economia e de sua sociedade nos tempos coloniais. Rio de Janeiro: José Olympio, 1966.         [ Links ]

_______.Memória da cidade de São Paulo: depoimentos de moradores e visitantes, 1553-1958. São Paulo: PDPH, 1981 (Série Registros, 4).         [ Links ]

CAMPOS, C. de. A cidade através da higiene, 1925-1945:As propostas de Geraldo Horácio de Paula Souza para São Paulo. 2001. Dissertação (Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.         [ Links ]

CINQUANT'ANNI DI LAVORO degli italiani in Brasile:lo Stato di S.Paolo.São Paulo:Societá Editrice Italiana, 1936. v. 1., 1937. v. 2.         [ Links ]

COUTINHO,A. P. Edgar Rei: destino brasileiro de oleiros barcelenses. Barcelos: Museu de Olaria, 1989.         [ Links ]

DIÁRIO DE JABOTICABAL, 5/10/1938 a 8/2/1939.         [ Links ]

EXPOSIÇÃO NACIONAL DE 1908 – RIO DE JANEIRO: Estado de São Paulo: Catálogo Geral Illustrado. 2. ed. Rio de Janeiro: s.n., 1908.         [ Links ]

FILIPPINI, E. O núcleo e os empreendimentos industriais. Disponível em: <http://www.ecco.com.br/vita_mia/imigra18.asp>. Acesso em: 13/7/2003.         [ Links ]

FREITAS,A.A. de. Tradições e reminiscências paulistanas. 2. ed. São Paulo: Livraria Martins, 1955.         [ Links ]

GRANDE ENCICLOPÉDIA Portuguesa e Brasileira Lisboa: Editorial Enciclopédia Limitada,1953.v. 11.         [ Links ]

GUIA DOS DOCUMENTOS HISTÓRICOS na cidade de São Paulo: 1554-1954. São Paulo: Hucitec, 1998.         [ Links ]

HOLANDA, S. B. de. Caminhos e fronteiras. 3. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.         [ Links ]

HOYOS, R. Progreso de la filtración casera en América Latina. Água Latinoamérica.Disponível em: <http://www.agualatinoamerica.com/docs/PDF/1-2-02hoyos.pdf>. Acesso em: 6/4/2003.

LAPRI, R. O Estado de São Paulo e o centenário da Independência. São Paulo: s.n., [1922?]         [ Links ].

LEMOS, C.A. C. Casa paulista: história das moradias anteriores ao ecletismo trazido pelo café. São Paulo: Edusp, 1999.         [ Links ]

MANNING, E. Os Estados Unidos do Brasil: sua história, seu povo, comércio, indústrias e recursos. Rio de Janeiro: The South American Intelligence, 1919.         [ Links ]

PEIXOTO,A. Elementos de hijiene. Rio de Janeiro: Francisco Alves & Cia, 1913.         [ Links ]

PENNA, B. Saneamento do Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Jacintho Ribeiro dos Santos, 1923.         [ Links ]

PILEGGI, A. Cerâmica no Brasil e no mundo. São Paulo: Livraria Martins, 1958.         [ Links ]

RIBEIRO,M.A.R. História sem fim... Inventário da Saúde Pública: São Paulo – 1880-1930. São Paulo: Editora Unesp, 1993.         [ Links ]

SÃO PAULO. Secretaria da Agricultura, Industria e Commercio do Estado de São Paulo. Directoria de Estatistica, Industria e Commercio; secção de Indústrias. Estatistica industrial do Estado de São Paulo, 1928-1937. 10 v. São Paulo: Garraux/Siqueira/Freire & Cia, 1930/1939.         [ Links ]

_______. Secretaria da Agricultura,Commercio e Obras Publicas do Estado de São Paulo. Boletim da Directoria de Industria e Commercio. São Paulo:Typ. Brazil de Rothschild & Cia, 1921, 1922, 1923, 1927.         [ Links ]

_______. Secretaria do Meio Ambiente.A água no olhar da história. São Paulo: A Secretaria, 1999.         [ Links ]

TAUNAY, A. d'E. História da cidade de São Paulo no século XVIII (1735-1765). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico, 1949. v. 1, parte 2.         [ Links ]

_______. História da cidade de São Paulo no século XVIII (1765-1801). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico, 1951. v. 2, parte 1.         [ Links ]

_______. História colonial da cidade de São Paulo no século XIX (1801-1822). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico, 1956a. v. 3.         [ Links ]

_______. História da cidade de São Paulo sob o Império (1822-1831). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico, 1956b. v. 4.         [ Links ]

_______. História da cidade de São Paulo sob o Império (1842-1854). São Paulo: Divisão do Arquivo Histórico, 1977. v. 6.         [ Links ]

UMA INDÚSTRIA JUNDIAIENSE de porcelana que honra o Parque Industrial Brasileiro. Diário de São Paulo, São Paulo, p. 9, 9/9/1953.         [ Links ]

 

Fontes Orais (entrevistas gravadas)

João Gonçalves Pito (imigrante português, historiador, ex-ceramista) – Jaboticabal, 8/1/2003 e 9-6-2003.         [ Links ]

Victor Lamparelli Júnior (filho do fundador da Cerâmica Lamparelli) – Jaboticabal, 9/1/2003.         [ Links ]

Mario Antonio De Stéfani (diretor da Cerâmica Stéfani) – Jaboticabal, 17/1/2003 e 3/2/2004.         [ Links ]

Aparecido Paiva (Departamento de Produção da Cerâmica Stéfani) – Jaboticabal, 10/5/2003.         [ Links ]

Rubens De Stéfani (fundador da Cerâmica Stéfani) – Jaboticabal, 10/5/2003, 24/7/2003 e 25/11/2003.         [ Links ]

Alexandre Alves Bessa (ex-gerente da Filtros Salus) – Jaboticabal, 4/6/2003.         [ Links ]

Luiz Carlos Businaro Ferreira (gerente de Produção da Cerâmica Stéfani) – Jaboticabal, 7/6/2003, 14/6/2003, 12/7/2003 e 17/1/2004.         [ Links ]

 

 

Artigo apresentado em 08/2004.
Aprovado em 11/2004.

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons