SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue3Bereavement for a child: a cognitive-behavioral treatment protocol author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul

Print version ISSN 0101-8108

Rev. psiquiatr. Rio Gd. Sul vol.32 no.3 Porto Alegre  2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082010000300009 

RESENHA

 

The Checklist Manifesto: how to get things right

 

Atul Gawande
New York, Metropolitan Books, 2009

 

 

Pedro Vieira da Silva Magalhães

Mestre. Pesquisador, Laboratório de Psiquiatria Molecular, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Translacional em Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS

Correspondência

 

 

Atul Gawande é definitivamente um rock star. Ensaísta do New Yorker e professor de Harvard, conselheiro no governo Clinton e sempre citado por Barack Obama, uma das 100 pessoas mais influentes do mundo segundo a revista Time, autor de artigos científicos terrivelmente importantes e bestsellers. Seu último livro, The Checklist Manifesto, é uma exaltação a como simples listas podem ser decisivas, seja evitando desastres aéreos a muitos metros de altitude, impedindo que edifícios colapsem no solo ou diminuindo pela metade mortes por complicações cirúrgicas. Listas, diz Gawande, fazem com que usemos o conhecimento que temos consistentemente, para que possamos aplicar o que sabemos que funciona.

Algumas das histórias são fascinantes, especialmente aquelas sobre como as listas começaram a ser usadas na aviação, em restaurantes ao redor do mundo, na construção civil e em várias empreitadas em que pequenos deslizes podem ser literalmente letais. O leitmotiv do livro, que em grande parte o valida, foi uma pesquisa liderada pelo autor e financiada pela Organização Mundial da Saúde. O estudo testou a utilização da Surgical Safety Checklist em centros diversos em termos de recursos e pessoal. Os resultados da implementação da lista (publicados no sempre muito nobre New England Journal of Medicine) foram notáveis, como uma redução de 50% na mortalidade por complicações cirúrgicas.

Se The Checklist Manifesto se parece com um bestseller, é porque é um bestseller. Na contracapa, as recomendações vêm de pesos-pesados da não ficção, como Malcolm Gladwell e Bill Bryson. Quando escrevia esta resenha, a obra era a sexta na lista de livros relacionados à medicina na Amazon, sendo que os primeiros cinco eram ou textos de referência ou dietas. De fato, se o livro por vezes pode ser enervante, é justamente pelo estilo bestseller, com frases curtas, exemplos incessantes, movimentos rápidos, características da escola Dan Brown de escrita acessível para a sétima série.

Talvez o ponto mais frágil do ensaio apareça quando o autor elabora os motivos por trás da utilidade das listas. Certo, elas funcionam porque diminuem a quantidade de erros que cometemos. Mas por quê? Gawande discute os problemas da superespecialização e da quantidade enorme de informações disponíveis no nosso tempo. Mas como seus próprios casos exemplificam, não são apenas pequenos equívocos que elas previnem. Muito frequentemente, o que elas parecem ser capazes de fazer é que revejamos nossas ações, aqueles erros a que uma boa dose de autoengano nos torna cegos. A principal virtude dessas checklists parece ser que elas permitem a prevenção de pequenos equívocos antes que uma dose de truques de percepção seja necessária para preservar nossas ilusões. De uma maneira ou de outra, Gawande me convenceu a checar com mais assiduidade o que faço. Lembranças de nossa falibilidade são sempre bem-vindas.

 

 

Correspondência:
Pedro Vieira da Silva Magalhães
Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Translacional em Medicina
Laboratório de Psiquiatria Molecular
Hospital de Clínicas de Porto Alegre
Rua Ramiro Barcelos, 2350, CEP 90035-003
Porto Alegre, RS. Tel.: (51) 2101.8845. Fax: (51) 2101.8846
E-mail: pedromaga2@gmail.com

Recebido em 04/06/2010
Aceito em 08/06/2010

 

 

Não foram declarados conflitos de interesse associados à publicação desta resenha.

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License