SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.3 número1Uma nova espécie de Crossodactylus da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil (Amphibia, Leptodactylidae)Nota preliminar sobre a coleção malacológica "Eliseo Duarte" índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Zoologia

versão impressa ISSN 0101-8175

Rev. Bras. Zool. vol.3 no.1 Curitiba  1985

http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81751985000100006 

Aves anilhadas no Brasil em 1981 e recuperações de anilhas desde 1980

 

 

Susana de Moura Lara-Resende; Paulo de Tarso Zuquim Antas

Biólogos do Centro de Estudos de Migrações de Aves - CEMAVE. CP. 04/034, Brasília, DF. 70312

 

 

Dando continuidade ao trabalho "Aves anilhadas no Brasil em 1980 e suas recuperações", apresentado por ocasião do IX Congresso Brasileiro de Zoologia, em Porto Alegre, RS, pretendemos apresentar aqui, dentro do mesmo estilo, as atividades de anilhamento no Brasil em 1981, e as recuperações de anilhas ocorridas desde o ano de 1980.

Salientamos uma vez mais o fato de que os dados de recuperação são de uso restrito dos anilhadores para fins de publicações científicas, sendo considerado aqui apenas a ocorrência ou não de recuperações.

O anilhamento no Brasil foi anteriormente descrito no que se refere à sua organização e uso (Antas, 1979; Antas & Resende, 1982).

Na Tabela I estão listadas as aves anilhadas no Brasil de janeiro a dezembro de 1981, segundo os relatórios a nós remetidos pelos anilhadores. Cerca de 44 novas permissões de anilhamento foram emitidas ou renovadas em 1981, e um total de 2.549 aves foram anilhadas.

 

 

Os métodos mais utilizados foram o uso de redes de captura (mist-nets), armadilhas de telas de arame e anilhamento de filhotes em ninhais.

O número de aves anilhadas durante o ano de 1981 foi 53% mais baixo que em 1980, quando foram anilhadas 4.734 indivíduos. Essa diminuição foi motivada principalmente pela falta de anilhas, problema que só conseguimos solucionar no final do ano, quando recebemos nova remessa de anilhas através de doação da World Wildlife Fund - WWF. Não foi possível p. ex., dar continuidade no ano de 1981, ao anilhamento da pomba-de-bando Zenaida auriculata, iniciado em 1980 pelo convênio IBDF/Escola Superior de Agricultura de Mossoró - ESAM. O anilhamento de filhotes em ninhais, responsável por 70,41% do total de indivíduos anilhados em 1980, foi bastante prejudicado pela falta de anilhas.

Em 1981, como em 1980, o uso de redes de captura nos diversos tipos e tamanhos, foi responsável pela grande diversidade de espécies anilhadas: 179 espécies pertencentes a 39 famílias tiveram representantes anilhados. A família Ardeidae, com 498 espécimes anilhados foi a mais representativa em termos de indivíduos, enquanto Tyrannidae teve o maior número de espécies com anilhas. A espécie Sula leucogaster, por sua vez, ocupou o lugar de espécie com maior número de indivíduos anilhados: 299, todos no estado de Santa Catarina.

Das aves anilhadas em 1980 e 1981, 58 tiveram suas recuperações relatadas ao Centro, o que perfaz uma taxa de recuperação de 2,27% (Tabela II).

 

 

Considerando-se apenas os indivíduos anilhados em 1981 e recuperados no período de 1981-1982, teríamos uma taxa de recuperação de 0,78%, ou seja, de 1,2 vezes maior que a taxa de 0,63% obtida no período de 1980-1981, para as aves anilhadas em 1980. Nota-se que, apesar da diminuição no número de aves anilhadas em 1981, a taxa de relatos de recuperação de anilhas foi maior, o que demonstra um interesse crescente por parte do público em geral, o qual, através da divulgação da técnica, tem aceitado e contribuído de maneira progressiva, aumentando a obtenção de dados das aves anilhadas.

Conforme a fig. 02, as recuperações se deram em maior número entre as famílias de aves aquáticas e/ou cinegéticas, como era de se esperar. De acordo com o mapa 02, as concentrações de recuperações são próximas a locais de anilhamento e/ou regiões de maior ocupação populacional. A recuperação de passeriformes torna-se mais difícil, uma vez que praticamente só ocorrerão quando tivermos um número maior de anilhadores utilizando redes de captura em habitats por eles freqüentados. As recuperações se deram principalmente devido à caça legal ou furtiva, e, em alguns casos, devido à ação de pescadores.

 

 

 

 

Embora nem todas as anilhas encontradas sejam relatadas ao Centro, temos notado que, após o início da divulgação do anilhamento através do folheto "UMA ANILHA DEVOLVIDA - O QUE ISTO REPRESENTA", bem como dos meios de comunicação e imprensa, um número cada vez maior de relatos tem chegado até nós. O crescente número de anilhamentos, e a continuidade nos trabalhos de divulgação permitirão uma maior participação do público, e a obtenção de nossos objetivos de conhecer a bioecologia da avifauna brasileira.

 

AGRADECIMENTOS

Agradecemos aos anilhadores por tornarem possível o presente trabalho através do envio dos relatórios de anilhamento em dia, e em especial aos recuperadores de anilhas, fornecendo os dados por nós solicitados, sem o que nossos esforços seriam em vão.

 

REFERÊNCIAS

Antas, P. T. Z., 1979. Present situation of bird banding in Brazil. The Ring 101:96-98.         [ Links ]

Leal, R. P.; P. T. Z. Antas; S. M. Lara Resende, 1981. Manual de Anilhamento de Aves, 106 pp. Brasil Florestal, M. A., Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal - IBDF, Brasília, DF.        [ Links ]