SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 issue2Control of early blight on tomato and net spot on cucumber through application of sodium bicarbonate and vegetal oilBehaviour of chickpea cultivars in "Zona da Mata" and northern Minas Gerais State, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Horticultura Brasileira

Print version ISSN 0102-0536

Hortic. Bras. vol.17 no.2 Vitoria da Conquista July 1999

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05361999000200018 

INSUMOS E CULTIVARES EM TESTE

 

Desempenho de seis híbridos de repolho na época chuvosa de Areia-PB

 

Performance of six cabbage hybrids during the rainy season of Areia-PB

 

 

Ademar P. de Oliveira; Janete S. Costa; Caciana C. Costa

UFPB- Centro de Ciências Agrárias, 58.397-000 Areia-PB. Email: ademar@cca.ufpb.br

 

 


RESUMO

O objetivo do trabalho foi avaliar o comportamento dos seis híbridos de repolho Midore, Rotan, Saikô, Fuyu, Matsukaze e Roxo em condições chuvosas. O ensaio foi conduzido no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, em Areia-PB, no período de abril a julho de 1996 em Latossolo Vermelho-Amarelo. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, testando-se seis híbridos em quatro repetições, em parcelas com 20 plantas úteis, espaçadas de 0,80 m entre fileiras e 0,40 m entre plantas. Avaliaram-se as características: produtividade, peso médio, índice de formato e compacidade de cabeça, além de tolerância à podridão-negra. Os resultados obtidos indicaram o híbrido Midore, como opção de cultivo para a época chuvosa em Areia, considerando-se o peso médio de 1,314 kg, produtividade de 30,62 t/ha, formato arredondado da cabeça, compacidade e alta tolerância à podridão-negra, quando comparado com a performance do Matsukaze, considerado padrão comercial em Areia.

Palavras-chaves: Brassica oleracea var. capitata L., Xanthomonas campestris pv. campestris, produção, compacidade, tolerância à podridão-negra.


ABSTRACT

The objective of the work was to evaluate the behaviour of six cabbage hybrids: Midore, Rotan, Saikô, Fuyu, Matsukaze and Roxo in rainy conditions. The study was conducted in the Center of Agrarian Sciences of the Federal University of Paraíba, in Areia—PB, on a Red-yellow Latossoil, between the period of April to July 1996. The experiment was laid out in a randomised block design, with six treatments and four repetitions, in plots of 20 analyseable plants, spaced 0.80 m between rows and 0.40 m between plants. Productivity, medium head weight, format index, head compactness, and tolerance to black rot were evaluated. The results obtained indicated the hybrid Midore as an option for cultivation in the rainy season in Areia, when considering a productivity of 30.62 t/ha, medium weight of 1.314 kg, compact and rounded head format, and high tolerance to black rot, compared to the performance of Matsukaze, considered commercial pattern in Areia -PB.

Keywords: Brassica oleracea var. capitata L., Xanthomonas campestris pv. campestris, production, compactness, tolerance to black rot.


 

 

Dentre as variedades botânicas da espécie Brassica oleracea L., cultivadas no Brasil, o repolho é a primeira em importância econômica (Filgueira, 1982). É uma hortaliça de fácil cultivo, baixo custo de produção, alta produtividade, versatilidade à mesa e indústria e excelente composição nutritiva (Sonnenberg, 1985). Face à sua alta capacidadede de adaptação às distintas situações do meio ambiente, à sua elevada taxa de crescimento e geração de alimentos com atenuado conteúdo de vitaminas e sais minerais essenciais à dieta humana, constitui-se numa das hortaliças mais saudáveis na dieta humana (Silva Júnior et al., 1987).

A partir da década de 60, em função do melhoramento genético realizado por pesquisadores brasileiros e da introdução de híbridos tolerantes ao calor, o cultivo do repolho no Brasil tem sido feito com híbridos introduzidos do Japão, em substituição à antiga cultivar Louco. Já existem no mercado brasileiro alguns híbridos e cultivares de repolho de boa aceitação comercial (Castellane & Braz, 1991). No entanto, muitos são suscetíveis à podridão-negra das crucíferas (Xanthomonas campestris pv. campestris) e não têm formato desejável ou boa compacidade da cabeça, dentre outras características (Giordano et al., 1985).

O repolho está convertendo-se em uma das principais hortaliças cultivadas na região de Areia-PB. O híbrido Matsukaze tem apresentado, entre os produtores da região, excelente aceitação e tolerância à podridão-negra, uma das principais doenças da cultura do repolho (Giordano et al., 1985). Nesta região, ocorre um período chuvoso que abrange os meses de março a agosto com temperatura média de 23oC, umidade relativa média acima de 80% e um período de estiagem nos meses de setembro a fevereiro, quando verificam-se elevada temperatura média e alta umidade relativa do ar. Predomina o Latossolo Vermelho-Amarelo. As técnicas de cultivo utilizadas são as mesmas de outras regiões do Brasil cultivando-se principalmente o híbrido Matsukaze. Na época chuvosa há grande incidência da podridão-negra das crucíferas, tornando-se um problema sério para o cultivo desta hortaliça na região. Este trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento de híbridos de repolho, na época chuvosa na região de Areia-PB.

 

MATERIAL E MÉTODOS

O ensaio foi conduzido na área experimental do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, em Areia - PB, em solo Latossolo Vermelho-Amarelo, no período de abril a julho de 1996.

Os resultados da análise química de amostras do solo utilizado foram: pH H2O = 6,0: P disponível = 95 mg/dm3; K = 156 mg/dm3; Al trocável = 0,0 cmolc/dm3; Ca+2 + Mg = 4,75 cmolc/dm3 e matéria orgânica = 11,3 g/dm3. A temperatura média em oC, a precipitação pluviométrica em mm e a umidade relativa em % do período foram, respectivamente: abril - 24,9; 14 e 72,37; maio - 23,6; 117,5 e 80,1; junho - 22,11; 107,9 e 81,63; julho - 21,47; 173,10 e 82,48.

Foram avaliados os híbridos Midore, Rotan, Saikô, Fuyu, Matsukaze e Roxo. Inicialmente, realizou-se a produção de mudas em sementeira convencional. Cerca de 30 dias após a semeadura, quando as plântulas apresentavam de 10-15 cm de altura e 4-6 folhas definitivas, foram transplantadas para o local definitivo. No campo, os híbridos foram dispostos em parcelas de 6,40 m2 com 20 vinte plantas, no espaçamento de 0,80 m x 0,40 m, num delineamento experimental de blocos casualizados, sendo testados seis híbridos em quatro repetições. Toda a área da parcela foi considerada útil.

O preparo do solo constou de aração, gradagem, sulcamento à tração mecânica e abertura de covas com auxílio de enxada. Foram feitas adubações de plantio nas covas, utilizando-se 30 t/ha de esterco bovino curtido, 200 kg/ha de superfosfato simples e 200 kg/ha de cloreto de potássio, além de 200 kg/ha de sulfato de amônio em cobertura, parcelado aos 30 e 60 dias após o transplantio. Durante a condução da cultura foram realizadas pulverizações à base de Deltametrina 2,5E, a cada quinze dias após o transplantio, visando basicamente o controle de lagarta rosca (Agrotis ypsilon), pulgões (Brevicoryne brassicae) e traças-das-crucíferas (Plutella xylostella). Utilizou-se a irrigação por aspersão, sempre que necessário, procurando manter o nível de disponibilidade de água acima de 80% da capacidade de campo. Efetuaram-se também capinas com auxílio de enxadas, procurando-se manter a cultura livre de plantas daninhas.

Na colheita, foram avaliados: o peso médio e a produção total de cabeças; o índice de formato (relação entre o diâmetro longitudinal e transversal da cabeça), onde valores próximos de 1,00 indicaram cabeças mais arredondadas (Castellane & Braz,1991); compacidade de cabeça, avaliada por notas de 1 a 5, sendo que o maior valor indicou cabeça mais compacta (Silva Júnior et al., 1987) e a suscetibilidade à podridão negra, avaliada por notas de 1 a 5, sendo 1 tolerante e 5 muito suscetível (Castellane & Braz, 1991). Para comparar as médias das características avaliadas empregou-se o teste de Tukey a 5% de probabilidade, exceto para o índice de formato da cabeça.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os híbridos para todos os caracteres submetidos às análises estatísticas (Tabela 1).

Os híbridos Midore e Rotan apresentaram peso médio e produtividade de cabeças iguais ao Matsukaze, embora apresentassem valores absolutos superiores. O híbrido Roxo apresentou o pior desempenho dentre os híbridos testados em termos de peso médio e produtividade de cabeças, enquanto o Fuyu apresentou resultados intermediários. Com relação ao formato da cabeça, os híbridos Fuyu e Roxo apresentaram valores acima de 1,00, caracterizando-se como materais produtores de cabeças compridas. O híbrido Midore apresentou índice de formato de cabeça igual ao Matsukaze (0,91). Trata-se, portanto, de um híbrido com cabeça mais arredondada, de boa aceitação comercial, enquanto o híbrido Rotan, com menor valor para o índice de formato (0,71), se caracterizou como de cabeças achatadas. Os híbridos Midore, Saikô e Roxo apresentaram compacidade igual à do Matsukaze, com valores 5,00 e 4,75, respectivamente, revelando-se como repolhos de cabeças firmes. Nas condições de alta precipitação em Areia-PB, os híbridos Midore e Roxo destacaram-se como tolerantes à podridão negra, a exemplo do Matsukaze.

O híbrido Midore apresentou folhas mais claras e macias ao tato, mostrando-se apropriadas para o consumo na forma de saladas cruas. Considerando-se o hibrido Matsukaze como padrão comercial de repolho nos mercados do Centro-Sul e do Nordeste do Brasil, pode-se concluir que existem outros híbridos comparáveis a esse quanto à produtividade, compacidade e nível de tolerância à podridão negra. As principais diferenças estão no aspecto da planta, como coloração, textura, cerosidade e tamanho das folhas externas. Analisando-se os aspectos peso médio, produtividade, tolerância à Xanthomonas, compacidade e formato da cabeça, o híbrido Midore é considerado também boa opção de cultivo sob condições chuvosas, na região de Areia-PB.

 

AGRADECIMENTOS

Os autores agradecem aos agentes em Agropecuária José Ribeiro Dantas Filho, José Barbosa de Souza, Francisco Soares de Brito, Francisco Silva do Nascimento e Expedito de Souza Lima que viabilizaram a execução dos trabalhos de campo.

 

LITERATURA CITADA

CASTELLANE, P. D.; BRAZ, L. T. Avaliação de cultivares de repolho nas condições de primavera, em Jaboticabal - SP. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 9, n. 1, p. 13-14, 1991.         [ Links ]

FiLGUEIRA, F. A. R. Manual de olericultura: cultura e comercialização de hortaliças. 2 ed. São Paulo: Agronômica Ceres, 1982. 385 p.         [ Links ]

GIORDANO, L. B. de.; SILVA, N. da.; CORDEIRO, C. M. T. Experimentos comparativos entre híbridos e cultivares de repolho. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 3, n. 1, p. 29-31, 1985.         [ Links ]

MUNIZ, J. O. L. Avaliação de cultivares e híbridos de repolho. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 6, n. 1, p.14-15, 1988.         [ Links ]

SILVA JÚNIOR, A. A.; MIURA, L.; YOKOYAMA, S. Cultivares de repolho de verão em Santa Catarina. Florianópolis, EMPASC, l987. 19 p (comunicado técnico 11)         [ Links ]

SONNENBERG, P. E. Olericultura especial. 3 ed., v. 1. Goiânia: UFG, 1985, 188 p.         [ Links ]

 

 

Aceito para publicação em 22 de março de 1999

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License