SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 issue2Presence of Morgan-Line as an indicator of canine hip dysplasia in German Shepherd dogsDietary lipid sources associated or not to hCG on the reproductive function and lipid metabolism of heifers author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935On-line version ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.51 no.2 Belo Horizonte Apr. 1999

https://doi.org/10.1590/S0102-09351999000200007 

Taxa de gestação e morfologia de embriões bovinos da raça Nelore resfriados por 24 horas a 5oC em contêiner modelo Celle modificado

(Morphological aspects and pregnancy rate of Nelore cow embryos, cooling in a modified Celle Container during 24 hours at 5oC)

 

A. Pinto Neto1*, J.M. Silva Filho1, J.F. Fonseca1, M.S. Palhares1, E.P. Costa2

1Escola de Veterinária da UFMG
Caixa Postal 567
30123-970 – Belo Horizonte, MG
2Laboratório de Reprodução Animal, DVT – Universidade Federal de Viçosa

 

Recebido para publicação, após modificação, em 13 de novembro de 1998.
Colaboradores: W.S. Pardini, H. Belisário, M.T.T. Alvim
(*) E-mail: netoadalgiza@hotmail.com
Financiado pela FAPEMIG - Projeto CAG 930/97

 

 

RESUMO

Na tentativa de se estabelecerem condições de estocagem de embriões bovinos da raça Nelore, resfriaram-se 29 embriões em um contêiner modelo Celle modificado, por 24 horas a 5oC. Os embriões foram avaliados, classificados quanto ao estádio de desenvolvimento e qualidade embrionária, antes e após o resfriamento, e transferidos a receptoras sincronizadas à base de prostaglandina e progestágeno. Dos embriões resfriados, 82,8% (24/29) eram grau I, 13,6% (3/29) grau II e 6,9% (2/29) grau III. Após 24 horas de resfriamento, 62,1% (18/29) dos embriões continuaram grau I, 20,7% (6/29) grau II e 17,2% (5/29) grau III. Durante o resfriamento, todos os embriões permaneceram no mesmo estádio de desenvolvimento. Porém, dos embriões na fase de blastocisto inicial a blastocisto expandido, 82,8% (24/29) apresentaram colapso da blastocele. Após a transferência, obtiveram-se 37,9% (11/29) de gestação positiva, inferior (P<0,05) àquela apresentada pelo grupo-controle, de 75,6% (62/82). Possivelmente, o método de sincronização influenciou os resultados, obtendo-se apenas uma gestação positiva das 11 receptoras que receberam progestágenos.

Palavras-chaves: Bovino, embrião, resfriamento

 

ABSTRAC

In an attempt to establish good storage conditions for embryos of Nelore cows, 29 embryos were cooled in modified Celle model container during 24 hours at 5oC. Embryos were evaluated, classified and transferred to recipient heifers synchronized by prostaglandin and progestagen. Before cooling embryos were 82.8% (24/29) as level I, 13.6% (3/29) as level II and 6.9% (2/29) as level III. After a 24-hour period of cooling, 62.1% (18/29) of the embryos were level I, 20.7% (6/29) level II and 17.2% (5/29) level III. After the cooling process, all embryos were at the same stage of development as they were at the beginning of the process, however, 82.8% (24/29) of the embryos that were between blastocyst and expanding blastocyst stage showed a collapsed blastocoele. Transferred heifers showed that 37.9% (11/29) became pregnant, differing from heifers in the control group (75.6% - 62/82). The method used to syncronise the recipients, probably, has influenced this result, since only one became pregnant among the 11 recipients that received progestagen.

Keywords: Bovine, embryo, cooling

 

 

INTRODUÇÃO

A transferência de embriões em bovinos, associada à superovulação das fêmeas, é um artifício técnico que permite a multiplicação de caracteres de um único animal de padrão genético elevado, tornando possível a produção de vários bezerros no mesmo intervalo de tempo, com melhora qualitativa do rebanho.

A maioria das investigações ligadas à tecnologia de embriões tem sido destinada a animais de raças européias, com poucos estudos realizados em animais zebuínos. Diferenças em vários aspectos reprodutivos vêm sendo apontadas entre vacas zebus e européias. No entanto, poucas são as informações existentes sobre o desempenho de raças zebuínas, particularmente da raça Nelore, em programas de transferência e conservação de embriões.

Atualmente, o maior enfoque da pesquisa em relação à transferência de embriões é o desenvolvimento de sistemas de estocagem visando manter a viabilidade embrionária (Trouson et al., 1976; BonDurant et al., 1982; Gordon, 1994). Duas técnicas gerais de estocagem de embriões mamíferos foram desenvolvidas: congelamento em nitrogênio líquido e resfriamento a temperaturas entre 0 e 10oC (BonDurant et al., 1982; Lindner et al., 1983; Herr & Wright Jr., 1988; Landsverk et al., 1992; Gordon, 1994).

O processo de criopreservação resulta em perda celular que compromete a viabilidade do embrião (Gordon, 1994). Esse problema é mais claramente observado em embriões zebuínos, apresentando resultados insatisfatórios para embriões dessas raças, já que as técnicas de criopreservação foram desenvolvidas para embriões taurinos (Zanenga, 1993).

De maneira complementar ou alternativa ao congelamento, a estocagem de embriões à temperatura de resfriamento, entre 0-10oC, mostra-se viável (Lidner & Ellis, 1985; Leibo & Winninger, 1986; Refsdal et al., 1988; Landsverk et al., 1992). Embriões resfriados poderiam ser transportados a distâncias variadas, reduzindo custos e dispensando processos laboratoriais de congelamento, ou mesmo de perda da qualidade embrionária (Leibo & Winninger, 1986; Gordon, 1994).

Outra vantagem seria o maior intervalo de tempo que as receptoras teriam para apresentarem estro, e ainda assim, sincronizadas com a doadora, uma vez que embriões sob resfriamento estariam em estádio dormente (Lindner & Ellis, 1985). Além disso, haveria maior facilidade de distribuição de animais de alta qualidade genética, eliminando a necessidade de as doadoras e receptoras estarem no mesmo local. Dessa forma, as primeiras poderiam encontrar-se numa região central, o que facilitaria o uso de pessoal, técnicas e equipamentos (Carnevale et al., 1987).

Entretanto, existem poucos estudos sobre o resfriamento de embriões bovinos. De acordo com as vantagens do resfriamento de embriões bovinos e com a necessidade de se estabelecerem condições de preservação de embriões zebuínos, pretendeu-se com este trabalho estudar condições efetivas de estocagem de embriões bovinos da raça Nelore, por 24 horas e sob resfriamento a 5oC, em contêiner modelo Celle modificado.

 

MATERIAL E MÉTODOS

Foram coletados 111 embriões de vacas doadoras da raça Nelore, no CENATTE - Centro de Assessoria Técnica e Transferência de Embriões. Cada doadora, após exame clínico completo e observação de dois ciclos estrais normais, foi submetida a tratamento superovulatório com 350UI de hormônio gonadotrófico1, dividido em oito doses decrescentes, com intervalo de 12 horas entre cada aplicação, iniciado no décimo dia após o estro (dia zero). No 12o dia foi administrado um luteolítico2 . Oito horas após o início do estro, cada doadora foi inseminada com três doses de sêmen de touros da mesma raça com intervalos de oito horas. No sétimo dia após a IA, os embriões foram coletados por meio de lavagem uterina com solução de PBS (Dulbeco’s phosphate saline)3.  O conteúdo uterino foi filtrado, colocado em placa de Petri descartável e observado em lupa, a fim de se identificarem e selecionarem os embriões.

Após identificação, os embriões foram colocados em PBS enriquecido com 20% de SFB (soro fetal bovino), avaliados, classificados quanto ao estádio de desenvolvimento e qualidade (Linder & Wright, 1983). Somente os embriões de qualidade I a III foram utilizados neste experimento.

Dos 111 embriões utilizados, 82 pertenciam ao grupo-controle, sendo transferidos frescos para avaliação da taxa de gestação. Os 29 restantes foram acondicionados em tubos de ensaio estéreis, com 15ml de meio (PBS + 20% SFB) e inseridos em um contêiner modelo Celle modificado, proposto inicialmente para armazenamento de sêmen eqüino (Palhares, 1997), seguindo uma curva de resfriamento de –0,07oC/min, entre 18 e 8oC, e mantidos a 5oC por 24 horas.

Após a abertura do contêiner, os embriões foram novamente avaliados, classificados e transferidos cirurgicamente para receptoras previamente sincronizadas, mediante laparotomia pelo flanco ipsilateral ao corpo lúteo previamente avaliado. Para a sincronização das receptoras utilizaram-se produtos à base de prostaglandina4 e progestágeno5.

O diagnóstico de gestação foi realizado por palpação transretal aos 45 dias da transferência e confirmado pelo mesmo exame aos 60 dias.

Os resultados relativos à taxa de gestação foram analisados pelo teste de dispersão de freqüência (c2), enquanto que os relativos à qualidade e desenvolvimento do embrião, antes e após o resfriamento, foram apresentados sob a forma percentual.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Dos 29 embriões resfriados, 82,8% (24/29) eram grau I, 13,6% (3/29) grau II e 6,9% (2/29) grau III. Após 24 horas de resfriamento, nas condições citadas, 62,1% (18/29) permaneceram grau I, 20,7% (6/29) grau II e 17,2% (5/29) grau III.

Os embriões resfriados permaneceram no mesmo estádio de desenvolvimento, sendo duas mórulas, seis blastocistos iniciais, 10 blastocistos, nove blastocistos expandidos e dois blastocistos eclodidos, semelhante ao relatado por Kanagawa (1980).

Dos embriões na fase de blastocisto inicial a blastocisto expandido, após o resfriamento, 88,89% (24/27) apresentaram-se regredidos devido ao colapso da blastocele. Resultado semelhante foi descrito por BonDurant et al. (1982) e Lidner et al. (1983), que encontraram todos regredidos.

Dos embriões transferidos, 75,6% (62/82) do grupo-controle e 37,9% (11/29) do grupo resfriado por 24 horas resultaram em gestação positiva (P<0,05). Esse resultado foi inferior ao encontrado por Lidner & Ellis (1985), Leibo & Winninger (1986), Refsdal et al. (1988) e Landsverk et al. (1992) que em condições de resfriamento encontraram, respectivamente, 43%, 57,7%, 47,4% e 56% de taxa de gestação positiva.

Das 29 receptoras que receberam embriões do grupo resfriado por 24 horas, 11 foram sincronizadas à base de progestágeno, resultando em apenas uma gestação positiva. As outras 18 desse mesmo grupo e as 82 do grupo-controle foram sincronizadas à base de prostaglandina, apresentando 55,6% (10/18) e 75,6% (62/82), respectivamente, de gestação positiva.

O resfriamento de embriões bovinos da raça Nelore, nas condições citadas, mostra-se viável, visto ocorrer uma perda relativamente pequena da qualidade embrionária e inferior àquela do processo de congelação/descongelação, e uma encorajadora taxa de gestação (55,6%) quando se transferem embriões, tanto do grupo-controle quanto do grupo resfriado, a receptoras sincronizadas somente à base de prostaglandinas.

É válido notar que o uso do progestágeno para a sincronização das receptoras, provavelmente, tenha influenciado negativamente os resultados, pois das 11 receptoras que receberam progestágenos obteve-se apenas uma gestação positiva. A opção pelo seu uso foi feita na tentativa de otimizar e agilizar o uso das receptoras.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BONDURANT, R.H., ANDERSON, G.B., BOLAND, M.P. et al. Preliminary studies on bovine embryo survival following short-term storage at 4oC. Theriogenology, v.17, p.223-230, 1982.        [ Links ]

CARNEVALE, E.M., SQUIRES, E.L., McKINNON, A.O. Comparison of Ham’s F10 with CO2 or Hepes Buffer for storage of equine embryos at 5oC for 24h. J. Anim. Sci., v.65, p.1775-1781, 1987.        [ Links ]

GORDON, I. Laboratory Production of Cattle Embryos. CAB INTERNATIONAL Nº11. Cambridge: UK at the University Press. 1994. 640p.        [ Links ]

HERR, C.M., WRIGHT Jr., R.W. Cold storage of mouse embryos of different stages of development. Theriogenology, v.29, p.765-770, 1988.        [ Links ]

KANAGAWA, H. One to two day preservations of bovine embryos. Jap. J. Vet. Res., v.28, p.1-6, 1980.        [ Links ]

LANDSVERK, K., JAAKMA, U., MUURSEPP, I., et al. A field experiment comparing pregnancy rates in the bovine after transfer of embryos stored at 4oC and frozen-thawed embryos. In: INTERNATIONAL CONGRESON ANIMAL REPRODUCTION, 12, 1992, The Hague. Proceedings... The Hague: s.d., 1992. v.3, p.1448-1450.        [ Links ]

LEIBO, S.P., WINNINGER, D. Production of bovine pregnancies from embryos transported at 0oC by air. Theriogenology, v.25, p.164, 1986.        [ Links ]

LINDNER, G.M., ANDERSON, G.B., BONDURANT, R.H., et al. Survival of bovine embryos stored at 4oC. Theriogenology, v.20, p.311-319, 1983.        [ Links ]

LINDNER, G.M., ELLIS, D.E. Refrigeration of bovine embryos. Theriogenology, v.23, p.202, 1985.        [ Links ]

LIDNER, G.M., WRIGHT, Jr, R.W. Bovine embryo morphology and evaluation. Theriogenology, v.20, p.407-416, 1983.        [ Links ]

PALHARES, M.S. Adequação de um novo container para o transporte do sêmen eqüino diluído e resfriado: I. Características termodinâmicas e funcionais, II. Desempenho reprodutivo das éguas inseminadas. Belo Horizonte: UFMG, Escola de Veterinária, 1997. 246p. Tese (Doutorado).        [ Links ]

REFSDAL, A.O., KJAESTAD, H., VANTN, T. Transfer of refrigerated bovine embryos. In: CONGRESS ON ANIMAL REPRODUCTION AND ARTIFICIAL INSEMINATION, 11, 1988, Dublin. Proceedings... Dublin: s.d., 1988. v.2, p.186.        [ Links ]

TROUNSON, A.O., WILLADSEN, S.M., ROWSON, L.E.A. et al. The storage of cow eggs at room temperature and at low temperatures. J. Reprod. Fert., v.46, p.173-178, 1976a.        [ Links ]

ZANENGA, C.A. Congelação de embriões em zebuínos: evolução e viabilidade. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE REPRODUÇÃO ANIMAL, 11, 1993, Belo Horizonte: Colégio Brasileiro de Reprodução Animal, 1993. v.2, p.125-130.        [ Links ]

 

1PluSet - Laboratório Serono
2Lutalyse - Laboratório Rhodia Mèrieux
3Laboratório Cutilab
4Lutalyse – Rhodia Mèrieux Veterinária Ltda.
5Sincromat-B – Merial

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License