SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.55 issue4Environmental factors influencing monthly variation of milk composition and somatic cell counts in herds of the State of Minas GeraisDoes the estrogenic phase modify the bone and mineral metabolism response in rats under hyperthyroidism? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935On-line version ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.55 no.4 Belo Horizonte Aug. 2003

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-09352003000400017 

COMUNICAÇÃO COMMUNICATION

 

Punção aspirativa por agulha fina para diagnóstico de mastocitoma em cães

 

Fine needle aspiration for diagnosis of mast cell tumors in dogs

 

 

G.E. LavalleI; R.B. AraújoII, *; R.A. CarneiroII; L.C. PereiraIII

IMedica Veterinária- Hospital Veterinário da UFMG
IIEscola de Veterinária da UFMG Caixa Postal 567 30123-970 - Belo Horizonte, MG
IIIMédico Veterinário autônomo

 

 


Palavras-chave: cão, mastocitoma, citologia


ABSTRACT

Fine needle aspiration (FNA) associated with the cytological diagnosis mast cell tumor is a widely employed technique in human medicine, but it is still underused in veterinary medicine. The aim of this study was to demonstrate the efficacy of FNA technique for the diagnosis of mast cell tumors in dogs. Over one year period all dogs referred to the Veterinary Hospital of the Universidade Federal de Minas Gerais with tumor-like formations of the skin were submitted to FNA. In order to detect metastasis, both skin lesions and the regional lymph nodes were subjected to FNA. After surgical removal of the lesions, histological examination indicated a complete agreement with the cytological diagnosis. In conclusion, FNA technique is a good choice for diagnosis of mast cell tumors in dogs. In addition, FNA allows an adequate and early therapeutic planning.

Keywords: dog, mast cells tumor, citology


 

 

O emprego da citologia como método de diagnóstico é amplamente desenvolvido e utilizado na medicina humana, sendo ainda pouco difundido em medicina veterinária. O método é de fácil realização, pouco traumático, podendo ser realizado com o paciente sem sedação e sem causar agressão ao processo neoplásico, o que poderia provocar sua disseminação (Fox, 1998; Oliveira, Mota, 1999). A técnica auxilia bastante no diagnóstico definitivo das neoplasias de células redondas pelo fato de esses tumores apresentarem modelos histológicos freqüentemente semelhantes (Duncan, Prasse, 1979).

Para se determinar a morfologia celular a PAAF é considerada definitiva. Os mastocitomas são distintos de outras neoplasias de células redondas pela presença de granulações. Para as células mais indiferenciadas, nos quais a presença de grânulos característicos dos mastócitos é muito reduzida devida á anaplasia celular, pode ser necessário o uso de colorações especiais, como o azul de toluidina, e mesmo assim o diagnóstico citológico pode ser difícil (Duncan, Prasse, 1979; Lemarié et al., 1995; Fox, 1998; Baker, Lumsden, 1999).

As células bem diferenciadas apresentam-se com 10 e 20 micrômetros de diâmetro, enquanto que as menos diferenciadas variam entre 12 e 35 micrômetros de diâmetro. O núcleo apresenta cromatina condensada, os nucléolos usualmente não são vistos e o citoplasma na maioria das células é fino e com grânulos metacromáticos (azul ou púrpura). Os tumores indiferenciados apresentam células binucleadas e figuras de mitose (Duncan, Prasse, 1979).

O exame histológico tem sido considerado essencial para se determinar o grau de diferenciação do tumor e se estabelecer o prognóstico A citologia da medula óssea e dos linfonodos suspeitos (regionais) deve ser realizada na rotina (O'Keefe, 1990; Lemarié et al., 1995; Rogers,1996).

O objetivo deste trabalho é demonstrar a eficácia da punção aspirativa por agulha fina (PAAF) no diagnóstico de mastocitomas em cães.

Todos os cães portadores de neoformações cutâneas atendidos no Hospital Veterinário da Escola de Veterinária da UFMG, no período de um ano, foram submetidos à colheita de material para citologia por meio da técnica da PAAF, visando definir o diagnóstico e estabelecer o tratamento. Os linfonodos regionais suspeitos de metástases também foram submetidos à mesma técnica de colheita. As amostras foram colhidas utilizando-se uma seringa de 10ml e lâminas para histologia. Os esfregaços foram submetidos a coloração pelo Giemsa e posterior análise.

Quarenta cães foram diagnosticados como portadores de mastocitomas com diferentes graus de diferenciação. Após a colheita e diagnóstico inicial, os animais foram submetidos ao tratamento cirúrgico para exérese dos tumores e dos linfonodos citologicamente positivos para mastocitomas. Fragmentos dos processos extirpados e dos linfonodos foram enviados para análise histológica, para confirmação do diagnóstico citológico e gradação da doença.

Os tumores apresentaram-se de tamanho variado, o que confirma as descrições feitas por Lemarié et al. (1995) e Fox (1998). A apresentação macroscópica foi bastante diversificada, com apresentação de espécimes bem delimitados, até tumores bem infiltrados, de difícil delimitação, de consistência macia a firme. Essa variação confirma a necessidade de exames complementares para se definir o diagnóstico dos tumores cutâneos, como foi sugerido por Pulley e Stannard, (1990) e Dobson e Gorman (1992).

Os objetivos propostos por Rogers (1996) no momento da realização do diagnóstico inicial foram alcançados pela PAAF, tais como o conhecimento da morfologia celular e detecção de metástases dos linfonodos suspeitos.

Os tumores classificados no grau I apresentavam células redondas isomórficas, com granulações citoplasmáticas evidentes, conforme descrito por Duncan e Prasse (1979). Os processos de grau II de diferenciação celular apresentavam-se com granulações menos intensas e evidentes, enquanto que nos de grau III a granulação era escassa ou mesmo ausente com população maior de células. O resultado da PAAF nos linfonodos regionais mostrou a presença de mastócitos com granulações típicas, conforme sugerido por Oliveira e Mota (1999) (Fig. 1).

 

 

O exame citológico preconizado por Duncan e Prasse (1979) e Baker e Lumsden (1999), foi satisfatório para o diagnóstico inicial. Observou-se total concordância entre a citologia e a histologia. A PAAF pode ser indicada para definir a diferenciação celular dos processos aspirados, sendo mais difícil apenas nos mastocitomas de grau III de diferenciação celular, devido à maior ocorrência de anaplasia, para a qual o exame histológico foi definitivo, conforme sugerido por Ogilve e Moore (1996) e Withrow (1998).

A histologia posterior dos linfonodos citologicamente positivos para a pesquisa de metástases reforçou o conceito de que o método de citologia é eficaz para a detecção de metástases nos linfonodos, conforme proposto por O'Keefe (1990), Rogers (1996) e Fox (1998).

A técnica de colheita de material realizada desse trabalho, seguindo recomendações de Peleteiro e Rodrigues (1991) e Oliveira e Mota (1999), foi eficaz para a obtenção de material para análise, bem como o método de fixação ao ar como a coloração pelo Giemsa.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BAKER, R.; LUMSDEN, J. H. The skin. In: BAKER, R.; LUMSDEN, J. H. (Eds.). Color atlas cytology of the dog and cat. 1.ed. Ontario: Mosby, 1999. Cap.4, p.39-70.        [ Links ]

DOBSON, J. M.; GORMAN, N. T. Skin tumors in dog: Treatment and prognosis. Vet. Annual, v.32, p.119-127, 1992.        [ Links ]

DUNCAN, J. R.; PRASSE, K. W. Cytology of canine cutaneous round cell tumors. Vet. Pathol., v.16, p.673-679, 1979.        [ Links ]

FOX, L. E. Mast cell tumors. In: MORRISON, W.B. (Ed.). Cancer in dogs and cats medical and surgical management. 1.ed. Philadelphia: Linppincott Williams & Wilkins, 1998. Cap.30, p.479-488.        [ Links ]

LEMARIÉ, R. J.; LEMARIÉ, S. L.; HEDLUND, C. S. Mast cell tumours: Clinical management. Small Anim. Oncol., v.17, p.1085-1099, 1995.        [ Links ]

O'KEEFE, D. A Canine mast cell tumors. Vet.Clin. North Am.: Small Anim. Pract., v.20, p.1105-1114, 1990.        [ Links ]

OGILVIE, G.K.; MOORE, A.S. Mast cell tumors. In: OGILVIE,G.; K., MOORE, A.S. (Eds.). Managing the veterinary cancer patient. 2.ed. Trenton: Veterinary learning systems, 1996. Section V, p.503-510.        [ Links ]

OLIVEIRA, S.R.; MOTA, E.F.F. Diagnóstico citológico em medicina veterinária. Cad. Tec. Vet. Zootec., n.30, p.29-47, 1999.        [ Links ]

PELETEIRO, M.C.; RODRIGUES, A.I.P. O exame citológico em medicina veterinária. punção aspirativa com agulha fina. Vet. Tec., n.2, p.30-36, 1991.        [ Links ]

PULLEY, L. T.; STANNARD, A. A tumor of the skin and soft tissue. In: MOULTON, J.E. (Ed.). Tumors in domestic animals. 3.ed. London: University of California Press Ltd, 1990. Cap.2 p. 38-43.        [ Links ]

ROGERS, K. S. Mast cell tumors. Vet. Clin. North Am.: Small Anim. Pract., v.26, p.87-101, 1996.        [ Links ]

WITHROW, S. J. Soft tissue sarcomas. Vet. Q., v.20, suppl. 1, p. s16-s21, 1998.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 22 de outubro de 2002
Recebido para publicação, após modificações, em 24 de abril de 2003

 

 

* Autor para correspondência: E-mail: baracat@vet.ufmg.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License