SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.57 número4Heteroses materna e individual para ganho de peso pré-desmama em bovinos Nelore × Hereford e Nelore × AngusAspectos genéticos do peso à desmama e de algumas características reprodutivas de fêmeas Nelore índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

versão impressa ISSN 0102-0935versão On-line ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. v.57 n.4 Belo Horizonte ago. 2005

https://doi.org/10.1590/S0102-09352005000400014 

ZOOTECNIA E TECNOLOGIA E INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL

 

Efeito da idade da vaca e da data juliana de nascimento sobre o ganho médio diário de bezerros de corte no período pré-desmame

 

Effects of age of the dam and julian birth date on average daily gain of beef calves from birth to wean

 

 

A.L. BocchiI; L.G. AlbuquerqueII, III, *

IAluna de Pós-Graduação em Zootecnia Faculdade de Ciências Agronômicas - UNESP - Caixa Postal 237 18610-307 – Botucatu, SP
II
Dep. de Zootecnia - FCAV - UNESP – Jaboticabal, SP
III
Pesquisadora do CNPq

 

 


RESUMO

Estudaram-se os efeitos da idade da vaca ao parto (IDV) e da data juliana de nascimento (DJN) sobre o ganho médio diário no período pré-desmame de bezerros de corte e determinaram-se os respectivos fatores de correção (FC), utilizando 463.971 e 39.220 dados das raças Nelore e Tabapuã, respectivamente. O modelo estatístico continha os efeitos de IDV, modelada por um polinômio segmentado quadrático-quadrático com um nó aos sete anos e de DJN do bezerro, modelada por um polinômio segmentado com três segmentos quadráticos e dois nós, aos 185 e 295 dias. Tanto a IDV como a DJN influenciaram significativamente o ganho médio diário dos bezerros no período pré-desmame. Para os dois efeitos foram encontradas diferenças entre as duas raças. Para a IDV, os melhores ganhos ocorreram aos seis anos para a raça Tabapuã e aos nove anos para a raça Nelore. Quanto ao efeito da DJN, os melhores ganhos ocorreram no inverno para ambas as raças. Os FC foram calculados por raça, sendo os da IDV calculados separadamente para machos e fêmeas e as do DJN por estação. A determinação de fatores de correção deverá possibilitar melhor precisão da seleção, reduzindo os efeitos não genéticos que concorrem para a variação dessa característica.

Palavras-chave: bovino, Zebu, fator de correção, polinômio segmentado, pré-desmame


ABSTRACT

The effects of age of dam (IDV) and julian birth date (DJN) on daily weight gain of beef calves from birth to wean were analyzed and correction factors were calculated. Data from 463,971 and 39,220 Nelore and Tabapuã animals were used in the analyses. The IDV, modeled by a polynomial segmented quadratic-quadratic with a knot at seven years and DJN modeled by a polynomial segmented with three quadratic segments and two knots at 185 and 295 days were included in the statistical model. The IDV and DJN had significant effects on daily weight gain of beef calves from birth to wean, and significant difference between breeds was observed for both effects. The best daily weight gain from birth to wean was observed for cows averaging 6 and 9 years for Tabapuã and Nelore breeds, respectively. The best daily weight gain from birth to wean was also observed in the winter for both breeds. Correction factors were calculated for breed, and those for IDV were calculated separately for males and females. The correction factors for DJN were calculated for each season. The calculated correction factors allowed higher precision in the selection of animals by reducing the non genetic effects on the variation of daily weight gain from birth to wean.

Keywords: beef cattle, Zebu, adjustment factor, segmented polynomial, wean


 

 

INTRODUÇÃO

Os estudos relacionados com o crescimento pré-desmame em gado de corte são numerosos devido à facilidade de obtenção de dados e à grande importância dessa fase, visando ao maior peso à desmama e à sobrevivência do bezerro. Vários fatores influenciam o crescimento do animal. Dentre eles, há os inerentes ao próprio indivíduo, como a raça, o sexo e a individualidade, e os relacionados ao ambiente e manejo, como os efeitos: habilidade materna, nível nutricional, ano e estação de nascimento, idade da mãe ao parto e idade do próprio bezerro (Peixoto, 1983).

O estudo dos efeitos ambientais é importante para a realização de uma seleção com maior acurácia. A estimação desses efeitos com a predição dos valores genéticos pode ser realizada concomitantemente, entretanto, isto só é possível se o produtor estiver trabalhando com um conjunto grande de dados. A utilização de fatores de correção (FC) predeterminados possibilita que as características de relevância econômica sejam corrigidas. O ganho médio diário no período pré-desmame e o peso ao desmame são características que podem ser pré-ajustadas para os efeitos de meio, como: idade da vaca ao parto (IDV), data juliana de nascimento (DJN) e idade do bezerro à desmama (IDB).

A DJN do bezerro é a data de nascimento do bezerro, considerando o calendário juliano que varia de 1 a 365 dias. A DJN tem sido considerada, na maioria das análises, mediante inclusão da estação ou mês de nascimento no grupo contemporâneo (GC). Entretanto, alguns trabalhos mais recentes mostraram que a simples inclusão da estação de nascimento no GC não elimina a influência da data de nascimento (Fries, 1984; Campos et al., 1989; Albuquerque e Fries, 1999; Paz et al., 1999). Esses autores recomendaram que, além de considerar a estação de nascimento no GC, é necessário que a data de nascimento seja incluída no modelo como covariável, pois a sua não inclusão poderia levar a diferenças importantes na avaliação genética dos animais.

O efeito da IDV e/ou ordem de parição está intimamente ligado ao desenvolvimento do bezerro no período pré-desmame. Isso é uma conseqüência, principalmente, da habilidade materna. Regra geral, as vacas de primeira cria desmamam bezerros mais leves do que as vacas adultas. O peso à desmama aumenta com a idade da mãe até alcançar um pico e, a partir daí, decresce. O efeito da IDV sobre o ganho médio diário do nascimento ao desmame foi observado por Cardellino e Castro (1987), Paz et al. (1999), Albuquerque e Fries (1999) e Teixeira et al. (2003).

Os objetivos deste trabalho foram estudar a influência da idade da vaca ao parto e da data juliana de nascimento sobre o ganho médio diário (GMD) até a desmama de bezerros das raças Nelore e Tabapuã e determinar seus respectivos fatores de correção.

 

MATERIAL E MÉTODOS

Foram utilizados dados de ganho médio diário de animais das raças Nelore (463.971 animais) e Tabapuã (39.220), provenientes do arquivo da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ). As pesagens foram realizadas a cada três meses desde o nascimento, e todas as informações disponíveis foram utilizadas para o cálculo do ganho médio diário do nascimento à desmama corrigido (GMD) para idade do bezerro (Fries, 1996). Do arquivo geral da ABCZ foi criado um segundo arquivo apenas com os dados de pesagens até a desmama.

Os GC foram definidos pelas seguintes variáveis: ano de nascimento, estação de nascimento, identificação do criador, identificação do proprietário, fazenda do proprietário, condição de criação, sexo e valor máximo do regime alimentar nas pesagens.

Os regimes alimentares foram: (1) pasto, (2) semi-confinamento e (3) confinamento. Foi considerado o valor máximo do regime alimentar pelo qual o animal passou para que o GC não ficasse por demais extenso, com número muito reduzido de animais em cada grupo. O GC foi estimado separadamente e utilizado no ajuste dos dados visando diminuir o tempo de processamento dos registros.

Os animais nascidos de mães com menos de três anos e mais de 18 anos foram retirados do arquivo por fornecerem pequeno número de observações. Também foram retirados os GC com apenas um animal. Depois da edição do arquivo, o número de dados e GC foram, respectivamente, 448.592 e 25.220 para a raça Nelore e 38.751 e 1.237 para a raça Tabapuã. Análises de regressão para estimar os efeitos da IDV e da DJN sobre o GMD foram feitas utilizando-se o procedimento REG do SAS (User's..., 1998).

O modelo fixo utilizado foi = Xb + e, em que:

= vetor GMD ajustado para idade do bezerro à desmama e GC;

b = vetor de efeitos fixos;

X = matriz de incidência dos efeitos fixos;

e = vetor de resíduos, com média zero e variância se2.

Os efeitos fixos foram a idade da vaca, como polinômio segmentado quadrático-quadrático, e a data juliana de nascimento, como polinômio segmentado com três segmentos quadráticos.

O fator de inflação de variâncias foi calculado por meio do procedimento PROC REG (User's..., 1998), com o objetivo de verificar a ocorrência de multicolinearidade.

O efeito da IDV foi modelado por um polinômio segmentado quadrático-quadrático com um nó aos sete anos, separadamente para machos e fêmeas.

O modelo matemático utilizado para se obter o ganho médio diário predito foi

1i = b1Xi1 + b2Xi2 + b3Xi3, em que:

1i = ganho médio diário do nascimento à desmama;

b1, b2, b3 = coeficientes de regressão;

Xi1 = idade da vaca ao parto do animal i;

Xi2 = (Xi1)2;

Xi3 = 0, se Xi1 < 7,0;

Xi3 = (Xi1 – 7,0)2, se Xi1 > 7,0.

A DJN foi modelada como polinômio segmentado com três segmentos quadráticos e dois nós, aos 185 e 295 dias.

O modelo matemático utilizado para se obter o ganho médio diário predito foi

2i = b1Zi1 + b2Zi2 + b3Zi3 + b4Zi4, em que:

2i = ganho médio diário do nascimento à desmama;

b1, b2, b3, b4 = coeficientes de regressão;

Zi1 = data juliana de nascimento do animal i;

Zi2 = (Zi1)2;

Zi3 = 0, se Zi1 < 185;

Zi3 = (Zi1 – 185)2, se Zi1 > 185;

Zi4 = 0, se Zi1 < 295;

Zi4 = (Zi1 – 295)2, se Zi1 > 295.

Neste estudo, foram adotados os fatores de correção multiplicativos (Miller, 1973). Para o cálculo dos fatores de correção, foram tomados como base os valores de sete anos para IDV e 45, 135, 225 e 315 dias para DJN. No caso da DJN, os dias escolhidos correspondem ao meio de cada estação do ano.

Os fatores de correção foram estimados para cada raça separadamente, de acordo com FCX = GMD base / GMDX, em que:

FC X = fator de correção para o ponto X em função da base;

GMD base = ganho médio diário de peso pré-desmame estimado na base;

GMD X = ganho médio diário de peso pré-desmame estimado no ponto X.

 

RESULTADOS E DISCUSSÃO

As médias de ganho médio diário observado para a raça Nelore e Tabapuã foram 0,675 e 0,691kg/dia para machos e 0,614 e 0,638kg/dia para fêmeas, respectivamente. A diferença entre as raças foi relativamente pequena, e os valores de GMD nas duas raças foram maiores para os machos.

A Tab. 1 apresenta os resumos das análises de variância resultante da aplicação do modelo matemático definido para o GMD, incluindo os efeitos da IDV e da DJN. Os efeitos da IDV para machos e fêmeas e da DJN sobre o GMD, em geral, foram significativos nas duas raças estudadas. A não significância de algumas fontes de variação sobre o GMD pode ter ocorrido devido ao efeito de multicolinearidade.

 

 

Segundo Freund e Wilson (1998), multicolinearidade é a presença de alta correlação entre as variáveis independentes em um modelo de regressão. Quando presente, inflaciona a variância dos coeficientes de regressão estimados em [1/(1 – R2j)], que é conhecido como fator de inflação de variância. Nesse caso, R2j é o coeficiente de determinação da regressão de determinada variável independente j sobre todos as outras variáveis independentes do modelo. De acordo com esses autores, não existe um teste de significância que indique para qual valor do fator de inflação da variância corresponderá uma alta correlação entre as variáveis regressoras. Adota-se, de forma arbitrária, um fator de inflação da variância igual a 10.

As equações de predição do efeito da idade da vaca ao parto sobre o GMD de machos e fêmeas para a raça Nelore foram:

YIDV(machos)= 0,612950456 + 0,014620789IDV - 0,000824024IDV2 - 0,0001493525(IDV – 7)2;
YIDV(fêmeas)= 0,565270456 + 0,011468691IDV - 0,000634964IDV2 - 0,0001814937 (IDV – 7)2.

Para a raça Tabapuã, foram:

YIDV(machos)= 0,643500058 + 0,014807987IDV - 0,001151802IDV2 + 0,0004473029 (IDV – 7)2;
YIDV(fêmeas)= 0,604620058 + 0,010966682IDV - 0,000888608IDV2 + 0,0003510780 (IDV – 7)2.

Vale lembrar que o terceiro parâmetro (apresentado em negrito) iguala-se a zero quando a IDV for menor ou igual a sete.

A Fig. 1 apresenta os valores preditos do GMD para machos e fêmeas em função da variação da IDV, para as raças Nelore e Tabapuã.

 

 

Os valores de GMD preditos para a raça Tabapuã aumentaram a partir dos três anos (0,678kg/dia para machos e 0,629kg/dia para fêmeas) até atingir o ganho máximo aos 6,4 anos para machos e 6,1 anos para fêmeas, decrescendo até os 18 anos, quando ocorreu o menor ganho de peso. O decréscimo foi maior para os machos e, embora os valores tenham sido próximos, as curvas não chegaram a se sobrepor, permanecendo, aos 18 anos, o ganho maior de 0,023kg/dia para os machos.

As vacas da raça Nelore mantiveram GMD preditos mais uniformes durante a vida produtiva, apresentando ganhos mais altos do que as vacas Tabapuã, a partir dos 10 anos para os machos e 12 anos para as fêmeas. Aos 18 anos, a curva manteve quase o dobro da diferença entre os dois sexos, sendo o GMD 0,043kg/dia a mais para os machos. Os valores de GMD aumentaram a partir dos três anos (0,649kg/dia para machos e 0,594kg/dia para fêmeas) até atingir o ganho máximo aos 8,8 anos para machos e 9,0 anos para fêmeas. Não foi observado um ponto máximo, mas um platô, que nos machos variou de 7,9 a 9,8 anos, e nas fêmeas de 7,8 a 10,3 anos. A partir do ganho máximo, os valores foram decrescendo até os 18 anos, quando ocorreu o menor ganho de peso.

As amplitudes de variação dos GMD para as duas raças estão na Tab. 2. Nas duas raças, o GMD médio das fêmeas e o pico de produção das vacas que desmamaram bezerras foram menores do que as que desmamaram machos. Observou-se, também, que a curva para as fêmeas não apresentou um pico tão evidente quanto para os machos, formando menor curvatura. Este resultado é semelhante ao descrito por Paz (1997). Provavelmente, isso é reflexo da diferença no potencial de crescimento de machos e fêmeas. Os machos, possivelmente, devem aproveitar melhor a produção de leite de suas mães, especialmente no pico da produção (Paz, 1997; Teixeira et al., 2003).

 

 

A diferença no GMD entre os sexos, favorecendo os machos, foi constatada por diversos autores. Cardellino et al. (1987) encontraram diferença de 0,067kg/dia a favor dos machos, na raça Nelore.

A partir de certa idade, as vacas começaram a apresentar bezerros mais leves do que as novilhas. Na raça Tabapuã isso ocorreu a partir de 11 anos, e na raça Nelore, em torno dos 15 anos. Estes resultados mostram que não compensa manter vacas no rebanho depois de uma determinada idade. Seu descarte resultará em sobras de pasto para as novilhas, irá favorecer a reprodução e, conseqüentemente, diminuir a idade à primeira cria.

A raça que apresentou pico de produção mais tardio foi a Nelore, tanto para machos (8,8 anos) como para fêmeas (9,0 anos). Paz (1997) encontrou pico de produção para essa raça aos seis anos de idade, com ganhos máximos de 0,725kg/dia para machos e 0,641kg/dia para fêmeas, utilizando dados pertencentes à Granja Rezende S.A. em Minas Gerais, onde se faz seleção com base no desempenho e fertilidade dos animais.

Estes resultados mostram que vacas da raça Nelore são longevas. Isso poderia ser atribuído ao maior descarte de fêmeas com base na habilidade materna. O decréscimo no GMD na raça Tabapuã pode ser atribuído ao pequeno número de observações após os 15 anos de idade da vaca.

Os FC para o efeito da IDV para ambas as raças são apresentadas, resumidamente, na Tab. 3. A amplitude dos FC variou de 0,99574 (8,8 anos de IDV) a 1,10798 (18 anos) para machos, e de 0,99576 (9 anos) a 1,08563 (18 anos) para fêmeas na raça Nelore. Paz (1997) descreveu valores bem próximos para a raça Nelore, cujas variações foram de 0,99246 a 1,10164 para machos, e de 0,99842 a 1,09928 para fêmeas. Na raça Tabapuã, os FC variaram de 0,99946 (6,45 anos) a 1,28659 (18 anos) para machos, e de 0,99905 (6,1 anos) a 1,24068 (18 anos) para fêmeas.

 

 

Fries (1996), ao trabalhar com os mesmos dados deste estudo, sem separar as raças, observou valores com menores amplitudes, variando de 1,000000 a 1,161966 para machos e de 1,000000 a 1,1816931 para fêmeas.

Considerando os altos valores dos FC para o GMD de bezerros filhos de vacas com mais de 15 anos, novos FC devem ser estimados quando houver maior número de informações para a raça Tabapuã. Recomenda-se que o GMD de bezerros filhos de vacas com idade de 15 anos ou mais sejam corrigidos utilizando-se os FC obtidos para 15 anos de idade.

As equações de predição para o efeito da data juliana de nascimento sobre o GMD para as raças Nelore e Tabupã foram, nessa ordem de citação:

DJN=0,6491404566-0,0008954112DJN+0,0000048782(DJN) 2-0,0000107172(DJN-185)2

+0,0000050386(DJN-295)2 e

DJN=0,6658600580-0,0010776137DJN+0,0000059686(DJN) 2-0,0000124293(DJN-185)2

-0,0000016108(DJN-295)2.

Vale lembrar que o terceiro parâmetro iguala-se a zero quando a DJN for menor ou igual a 185, e o quarto parâmetro iguala-se a zero quando a DJN for menor ou igual a 295.

Para estimar as equações de predição do GMD, usou-se a definição de GC sem a estação de nascimento. Isso foi feito para melhor determinar os fatores de correção. Entretanto, antes disso, o mesmo processo foi realizado utilizando-se grupos contemporâneos contendo a estação de nascimento e, mesmo assim, o efeito de DJN foi significativo. Este resultado mostra que a simples inclusão da estação de nascimento no GC não é suficiente para eliminar esse efeito, como observado por Paz (1997), Albuquerque e Fries (1999) e Teixeira et al. (2003)

A Fig. 2 mostra os valores preditos do GMD para machos e fêmeas em função da variação da DJN, para as raças Nelore e Tabapuã.

 

 

Na raça Nelore, o decréscimo da curva ocorreu até o 90º dia e aumentou rapidamente até o 255º dia, atingindo um pequeno patamar. O decréscimo, no final da curva, começou mais cedo, a partir do 271º dia, até o 365º dia, com comportamento similar ao linear. Na raça Tabapuã, os valores foram mais altos e a diferença entre os picos, mais extrema. Houve decréscimo até o 91º dia, aumento até o 275º dia e queda mais rápida até o 365º dia em relação à raça Nelore.

Os ganhos preditos de acordo com a DJN foram comparados dentro de cada estação de nascimento (Tab. 4). Cada estação foi formada por 90 dias, sendo de 1 a 90 dias o verão, de 91 a 180 dias o outono, de 181 a 270 dias o inverno e de 271 a 360 dias a primavera.

 

 

Nas duas raças, as médias de GMD predito ocorreram com os bezerros nascidos durante o inverno (julho a setembro). A menor média do GMD predito verificou-se no outono na raça Nelore e no verão, na Tabapuã, mas essa diferença foi pequena.

Estes resultados (Fig. 2 e Tab. 4) mostram a importância de se estabelecer uma estação de monta. Os maiores ganhos médios diários foram para bezerros nascidos entre os dias 240 e 300 (setembro e outubro). Portanto, a estação de monta planejada entre os dias 300 e 30 (novembro a janeiro) resultará em bezerros mais pesados à desmama e, conseqüentemente, mais quilos de carne por animal no abate, que será transformado em lucro para o produtor. Por exemplo, um bezerro da raça Tabapuã nascido no 91º dia do ano (2 de abril), com peso ao nascer de 30kg, terá à desmama (205 dias) peso de 156,53kg. Um bezerro da mesma raça, nas mesmas condições, nascido no 270º dia do ano (28 de setembro) terá peso de 177,64kg à desmama. A diferença de 21,11kg por bezerro desmamado revela o que o produtor deixa de ganhar ao não adotar manejo reprodutivo adequado.

Os fatores de correção para DJN foram estimados dentro de estação para que seu efeito fosse mantido, permitindo maior flexibilidade e correto planejamento para se adotar o melhor período da estação de monta.

Na Tab. 5 são apresentados, resumidamente, a cada 10 dias, os valores dos FC para DJN, para ambas as raças. Para a raça Nelore, os valores variaram de 0,95445 (dia 1) a 1,04730 (dia 181), e para a raça Tabapuã, de 0,94686 (dia 1) a 1,07739 (dia 365).

 

 

Paz (1997) encontrou variação maior para os fatores de correção em Nelore. Eles foram entre 0,7425 aos 230/239 dias no calendário juliano a 1,3907 aos 300/309 dias. Fries (1996) observou variação de 0,9408 a 1,0512, isto é, os fatores encontrados neste trabalho foram semelhantes aos desse autor.

Os produtores que não têm como ajustar os dados dos animais por meio de programas de seleção devem utilizar fatores de correção para os efeitos da idade da vaca ao parto e da data juliana de nascimento. Os fatores de ajuste para idade da vaca devem ser utilizados para machos e fêmeas, separadamente, considerando-se a diferença entre as duas raças. A determinação de fatores de correção por raça resulta em maior precisão da seleção para ganho médio diário, por reduzir os efeitos não genéticos sobre a variação dessa característica.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALBUQUERQUE, L.G.; FRIES, L.A. Possíveis causas e conseqüências da não-modelagem de alguns efeitos fixos sobre o ganho médio diário pré-desmama em bovinos de corte. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 36., 1999, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre, SBZ, 1999. p.137. (Resumo).        [ Links ]

CAMPOS, L.T.; SILVA, P.R.; FRIES, L.A. Fatores de correção para efeitos ambientais que afetam o ganho de peso do nascimento à desmama em bovinos da raça Nelore: coletânea de pesquisas inéditas sobre zebu. Uberaba: EPAMIG, 1989. 108p.        [ Links ]

CARDELLINO, R.A.; CASTRO, L.F.S. Efeitos ambientais e fatores de correção para peso ao nascer, peso à desmama e ganho de peso pré-desmama, em bovinos Nelore. Rev. Soc. Bras. Zootec., v.16, p.14 - 27, 1987.        [ Links ]

FREUND, R.J.; WILSON, W.J. Regression analysis: statistical modeling of a response variable. London: Academic, 1998. 444p.        [ Links ]

FRIES, L.A. A study of weaning weights in Hereford cattle in the state of Rio Grande do Sul Brazil. 1984. 317f. Thesis (Ph D) - Iowa State University, Ames, Iowa.        [ Links ]

FRIES, L.A. Efeito da data de nascimento sobre o peso à desmama em zebuínos. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE MELHORAMENTO ANIMAL, 1., 1996, Ribeirão Preto. Anais... Ribeirão Preto, 1996. p.255 - 256.        [ Links ]

MILLER, P. A recent study of age adjustment. J. Dairy Sci., v. 56, p. 953 -958, 1973.        [ Links ]

PAZ, C.C.P. Efeitos ambientais e genéticos que afetam o ganho de peso pré-desmame em bovinos da raça Nelore. 1997. 117f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento Animal) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista / UNESP, Jaboticabal, SP.        [ Links ]

PAZ, C.C.P.; ALBUQUERQUE, L.G.; FRIES, L.A. Efeitos ambientais sobre ganho de peso no período do nascimento ao desmame em bovinos da raça Nelore. Rev. Bras. Zootec., v.28, p.55-64, 1999.        [ Links ]

PEIXOTO, A.M. Fatores que interferem no crescimento do gado de corte até a desmama. In: SIMPÓSIO SOBRE PECUÁRIA DE CORTE, 3., 1983, Piracicaba. Anais... Piracicaba: Fundação Cargill, 1983. p.129-158.        [ Links ]

TEIXEIRA, R.A.; FRIES, L.A.; ALBUQUERQUE, L.G. Efeitos Ambientais que Afetam o Ganho de Peso Pré-Desmama em Animais Angus, Hereford, Nelore e Mestiços Angus-Nelore e Hereford-Nelore. Rev. Bras. Zootec., v.32, p.887-890, 2003.        [ Links ]

USER'S guide: statistics. Version 6.12, 4. Cary: SAS Institute, 1998. 842p.        [ Links ]

 

 

Recebido para publicação em 9 de dezembro de 2002
Recebido para publicação, após modificações, em 15 de setembro de 2004

 

 

* Autora para correspondência (corresponding author)
E-mail: bocchi@fca.unesp.br

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons