SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.59 número3Carcinoma espinocelular in situ (doença de Bowen) em três gatos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

versão impressa ISSN 0102-0935versão On-line ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. v.59 n.3 Belo Horizonte jun. 2007

https://doi.org/10.1590/S0102-09352007000300040 

COMUNICAÇÃO COMMUNICATION

 

Comparação sérica e sangüínea do cálcio ionizado, sódio, potássio e cloreto em felinos pelo método eletrodo íon seletivo

 

Serum and blood comparison of ionized calcium, sodium, potassium and chloride in cats, by ion-selective electrode method

 

 

L.H. GiovaninniI; M.M. KogikaII; M.D. LustozaI; K.K. KanayamaII; A. Reche JúniorII

IAluno de pós-graduação - FMVZ–USP – São Paulo, SP
IIFaculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - USP – São Paulo, SP

 

 


ABSTRACT

Values of sodium, ionized calcium, potassium and chloride obtained by ion-selective electrode method, from serum and blood samples of healthy cats, were compared. Serum ionized calcium value was lower (5.2mg/dl) than blood ionized calcium (5.4mg/dl), and serum potassium (4.47mmol/l) and serum chloride (117.2mmol/l) values were higher than blood potassium (3.94mmol/l) and blood chloride (115mmol/l).

Keywords: cat, calcium, chloride, sodium, potassium


 

 

Há estreita variação fisiológica dos valores eletrolíticos, e as mais variadas condições mórbidas podem acarretar alterações destes valores, desequilibrando o balanço dos eletrólitos (DiBartola et al., 1994; Kavanagh e Mills, 1997). O método eletrodo íon seletivo (MEIS) é indicado para a mesuração, sérica e sangüínea, dos eletrólitos e do cálcio ionizado (DiBartola et al., 1994); seu princípio consiste na existência de membranas específicas sensíveis aos diferentes íons que, em contato com uma solução de referência e com a amostra a ser analisada, mede a diferença de potencial elétrico e, conseqüentemente, a concentração do íon (Kavanagh e Mills, 1997; Burnett, et al., 2000). O MEIS utiliza amostras de pequeno volume, apresenta resultados rápidos, é de simples manuseio, mensurando apenas as partículas ionizadas dos eletrólitos, não apresentando interferências nos resultados em conseqüência de alterações da amostra, como lipemia, hemólise e icterícia (Christopher et al., 1996). Kavanagh e Mills (1997) recomendam que cada equipamento de eletrodo íon seletivo deve ter os valores de referência especificamente determinados.

O presente estudo teve por objetivo comparar os valores séricos e sangüíneos de sódio, cálcio ionizado, potássio e cloreto obtidos pelo MEIS.

Foram selecionados 55 gatos, com idades entre 8 e 136 meses, 18 machos e 37 fêmeas, de definições raciais variadas e sem raça definida, considerados hígidos segundo o histórico, exame físico e exames laboratoriais (hemograma e valores séricos de uréia e creatinina). De cada animal foi colhida uma amostra de 3ml de sangue venoso, no período matutino, após jejum alimentar de 12 horas, a qual foi acondicionada em frasco isento de íons e a vácuo (Vacutainer® siliconizado com gel), sendo centrifugada por 10 minutos em 1700G para a obtenção do soro, no qual mensuraram-se o sódio, o cálcio ionizado, o potássio e o cloreto pelo MEIS em analisador automático de eletrólitos marca AVL modelo OMNI-4. Neste mesmo momento de colheita obteve-se uma outra amostra de 0,5ml sangue venoso, em seringa plástica que continha heparina liofilizada com lítio (COMBI-sampler®, Vented syringe kits – AVL) na qual realizaram-se as mensurações sangüíneas de sódio, cálcio ionizado, potássio e cloreto pelo MEIS em analisador automático de eletrólitos marca AVL, modelo OMNI-4.

Para a avaliação estatística utilizou-se o programa estatístico SigmaStat, versão 3,1, empregando-se o teste Kolmogorov-Smirnov, segundo os preceitos de Sampaio (1998), com o intuído de verificar se os dados obtidos apresentavam distribuição gaussiana. De acordo com a distribuição gaussiana ou não, realizaram-se testes estatísticos paramétricos (t de "student") ou não paramétricos (Mann-Whitney), respectivamente. Assim, o teste paramétrico foi empregado para a análise dos valores de potássio, sódio e cloreto, e o teste não paramétrico, para os valores de cálcio ionizado. Independentemente do teste empregado considerou-se como diferença significante quando P<0,05.

Em relação ao valor do sódio, não houve diferença significativa (P=0,102) entre as determinações realizadas no soro (151,7±4,5mmol/l) e no sangue (152,5±5,8mmol/l). O sódio é o cátion de maior concentração no meio extracelular (Senior, 1992) e, provavelmente, devido a este fato, não houve variação das concentrações mensuradas nos diferentes tipos de amostra.

Os valores de cálcio ionizado apresentaram diferença (P=0,0132). O valor do cálcio ionizado sérico (5,2±0,34mg/dl) foi, em média, 3,7% menor que o do cálcio ionizado obtido no sangue (5,4±0,45mg/dl), o que pode ser justificado pelo fato de que, mesmo nas condições de anaerobiose em que o soro foi obtido, a sua manipulação no momento das dosagens pode ter permitido o contato com o ar atmosférico, o que possibilitaria a perda de dióxido de carbono e o conseqüente aumento do pH do soro, contribuindo para a diminuição das concentrações de cálcio ionizado das amostras séricas (Schenck, et al., 1995).

A diferença entre os valores de potássio obtidos no soro e no sangue foi altamente significativa (P<0,0001), isto é, em média, os valores séricos de potássio (4,47±1,08mmol/l) foram 11,9% maiores que os de potássio no sangue (3,94±1,01mmol/l). A maior média obtida no soro pode ser justificada pela presença de hemólise microscópica, geralmente esperada no processo de centrifugação da amostra para a obtenção do soro, pois o potássio tem sua maior concentração no meio intracelular (Meyer, 1995).

O cloreto (P=0,0045) foi o eletrólito estudado que, na média, apresentou a menor diferença, pois os valores obtidos no soro (117,2±6,06mmol/l) foram apenas 1,4% maiores que aqueles obtidos no sangue (115,6±5,56mmol/l).

De acordo com os dados obtidos no presente estudo, observou-se que os valores das concentrações séricas e sangüíneas de cálcio ionizado, potássio e cloreto, obtidos de felinos e mensurados pelo MEIS foram diferentes, Assim, recomenda-se que, para a avaliação desses íons pelo MEIS, proceda-se à prévia determinação de valores de referência de acordo com o tipo de amostra.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BURNETT, R.W.; COVINGTON, A.K.; FOGH-ANDERSEN, N. et al. Use of ion-selective electrodes for blood-electrolyte analysis. Recommendations for nomenclature, definitions and conventions. International Federation of Clinical Chemistry and Laboratory Medicine (IFCC). Scientific Division Working Group on Selective Electrodes. Clin. Chem. Lab. Med., v.38, p.363-370, 2000.        [ Links ]

CHRISTOPHER, M.M.; BELKNAP, B.E.; MEYER, D.J. et al. Comparison of methods for sodium and potassium determination in llama urine. Am. J. Vet. Res., v.57, p.25-30, 1996.        [ Links ]

DiBARTOLA, S.P.; GREEN, R.A.; MORAIS, H.S.A. Electrolytes and acid base. In: WILLARD, M.D.; TVEDTEN, H.; TURWALD, G.H. Small animal clinical diagnosis in laboratory methods. 2.ed. Philadelphia: W.B. Saunders, 1994. p.97-113.        [ Links ]

KAVANAGH, K.; MILLS, J.N. Measuring electrolytes: An evaluation of the IDEXX Vetlyte ion selective electrode method. Aust. Vet. Pract., v.27, p.97-102, 1997.        [ Links ]

MEYER, D.J.; COLES, E.H.; RICH, L.J. Medicina de laboratório veterinária: interpretação e diagnóstico. São Paulo: Editora Roca, 1995. p.83-90.        [ Links ]

OESCH, U.; AMMANN, D.; SIMON, W. Ion-selective membrane electrodes for clinical use. Clin. Chem., v.32, p.1448-1459, 1986.        [ Links ]

SAMPAIO, I.B.M. Estatística aplicada à experimentação animal. Belo Horizonte: Fundação de Ensino e Pesquisa em Medicina Veterinária e Zootecnia, 1998. 221 p.         [ Links ]

SCHENCK, P.A.; CEW, D.J.; BROOKS, C.L. Effects of storage on serum ionized calciumand pH values in clinically normal dogs. Am. J. Vet. Res., v.56, p.304-307, 1995.        [ Links ]

SENIOR, D.F. Fluidoterapia, controle dos eletrólitos e acidobásico. In: ETTINGER, S.J. Tratado de medicina interna veterinária. 3.ed. São Paulo: Editora Manole, 1992. v.1, p.450-471.        [ Links ]

 

 

Recebido em 22 de agosto de 2006
Aceito em 15 de abril de 2007

 

 

Endereço para correspondência (corresponding address)
02043-081 – São Paulo, SP
E-mail: ihgiovaninni@yahoo.com.br

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons