SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.61 número3Comportamento de componentes bioquímicos do sangue em equinos submetidos à ozonioterapiaAlterações histológicas da pars esophagea de suínos e sua relação com Helicobacter spp. índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

versão impressa ISSN 0102-0935versão On-line ISSN 1678-4162

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.61 no.3 Belo Horizonte jun. 2009

https://doi.org/10.1590/S0102-09352009000300004 

MEDICINA VETERINÁRIA

 

Taxa de filtração glomerular pelo EDTA marcado com 51cromo e com 113míndio em equinos

 

Glomerular fltration rate by 51chomium and 113mindium labeled EDTA in horses

 

 

C. MaliskaI; W.R. PinhoII; J.E.T. LimaIII; J. D´AlmeidaI, P.M. PellegriniI; T.S. SchimitI

IServiço de Medicina Nuclear - Hospital Central do Exército. Rua Francisco Manuel, 126. 20911-270 - Rio de Janeiro, RJ
IIFaculdade de Medicina Veterinária - Centro de Ensino Superior - Valença, RJ
IIIServiço de Medicina Nuclear - Instituto Nacional do Câncer - Rio de Janeiro, RJ

 

 


RESUMO

Determinou-se a taxa de filtração glomerular por meio do EDTA, marcado com 51Cr e com 113mIn, pela técnica de injeção única, em nove equinos, seis machos e três fêmeas com idades de dois a 12 anos. A taxa de filtração glomerular foi calculada a partir da curva de desaparecimento no plasma e do volume de distribuição do radiotraçador, 51Cr-EDTA ou 113mIn-EDTA. O resultado (média±desvio-padrão) foi de 148,80±26,42mL.min-1.100kg. Conclui-se que a medida da taxa de filtração glomerular pelo 51Cr-EDTA ou 113mIn-EDTA, pela técnica de injeção única, elimina o cateterismo vesical e, por sua simplicidade, comodidade, precisão e baixa dose de radiação, pode ser empregada em cavalos como método de escolha em rotina clínica.

Palavras-chave: cavalo, taxa de filtração glomerular, 51Cr, 113mIn, EDTA


ABSTRACT

The glomerular filtration rate was determined in nine healthy horses, six male and three female, aged two to 12-year-old, by means of 51Cr and 113mIn labeled EDTA single injection technique. The glomerular filtration rate was calculated from the plasma disappearance curve and the volume of distribution of the radiotracer, 51Cr-EDTA or 113mIn-EDTA. The result (mean±standard deviation) was 148.80±26.42mL.min-1.100kg. It is concluded that the measurement of glomerular filtration rate by 51Cr-EDTA or 113mIn-EDTA by single injection technique eliminates the bladder catheterization, and for its simplicity, convenience, accuracy, and low dose of radiation, can be used in horses as a method of choice in clinical routine. 

Keywords: horse, glomerular filtration rate, 51Cr, 113mIn, EDTA


 

 

INTRODUÇÃO

A identificação precoce das disfunções dos rins é de grande importância no diagnóstico e no tratamento das doenças renais. Segundo Kunze et al. (2006) e Nicolle et al. (2007), a azotemia não está presente enquanto o animal não tiver perdido aproximadamente 75% de sua função renal global e a creatinina sérica depende da massa muscular, que normalmente não se eleva, fora dos limites normais, antes que a filtração glomerular esteja reduzida, no mínimo, em 50% (Brochner-Mortensen e Rodbro, 1976). Shemesh et al. (1985) verificaram secreção de creatinina pelos túbulos, que aumenta progressivamente com o agravamento da doença renal, levando a um aumento dos valores da taxa de filtração glomerular de forma imprevisível. Estes fatos enfatizam a necessidade de ser utilizada uma medida mais efetiva da função renal para que o procedimento clínico seja baseado em informações seguras (Woolfson e Neild, 1997).

Segundo Krawiec et al. (1988), o método por excelência para a avaliação da função renal é a medida da taxa de filtração glomerular; sendo o indicador mais precoce de disfunções renais (Fein et al., 2006).

Shannon e Smith (1935) propuseram como substância ideal, para a medida da taxa de filtração glomerular, a inulina, um polissacarídeo de peso molecular de aproximadamente 5.000D. A inulina cumpre as especificações necessárias para uma substância traçadora da filtração glomerular, ou seja: 1 - ser filtrada pelos glomérulos; 2 - não ser nem sintetizada e nem destruída pelos túbulos; 3 - ser fisiologicamente inerte; e 4 - não ser nem reabsorvida e nem secretada pelos túbulos (Cohen, 1975). A depuração (clearance) da inulina passou a ser considerada o método padrão da medida da taxa de filtração glomerular tanto para animais como para o homem (Knutsen, 1959; Shuster e Seldin, 1985; Woolfson e Neild, 1997).

Knutsen (1959) determinou a taxa de filtração glomerular no cavalo pela técnica de depuração da inulina, 1,66 (1,00-2,32)mL.min-1.kg. Mesmo considerado o método mais preciso, a depuração da inulina não é o mais apropriado para uso em rotina clínica por se basear em técnica invasiva, trabalhosa, demorada e que exige concentração plasmática em equilíbrio dinâmico (steady state), por infusão contínua de inulina na veia, e múltiplas coleções urinárias por cateterismo vesical, o que torna sua realização quase impossível em equinos machos (Matthews et al., 1992). Durante anos, pesquisadores buscaram substitutos para o inquestionável teste da inulina, como a depuração da creatinina exógena, do iohexol e mesmo da inulina em dose única, com grau variável de precisão (Jung et al., 1992; Gonda et al., 2003; Finco, 2005; Hoek et al., 2007).

Sapirstein et al. (1955), ao desenvolveram um método para determinar o volume de distribuição e analisar a curva de desaparecimento plasmático da creatinina exógena, com o objetivo de determinar a depuração renal dessa substância em cães, verificaram que estão envolvidos dois compartimentos com taxas de depuração plasmática diferentes. O primeiro, muito rápido, corresponde à difusão do traçador para todo o espaço extracelular; o segundo, mais lento, corresponde à eliminação renal do traçador. Ham e Piepsz, (1991) verificaram que a curva que correspondente ao volume de distribuição de 2h, obtida por amostras de plasma de 2 e 4h, corresponde à taxa de depuração renal da substância no homem. O método apresenta precisão comparável à da depuração da inulina (Krawiec et al., 1988; Heiene e Moe, 1998).

Há algum tempo, investigações foram focadas nos radionuclídeos, que permitem substituir as complexas determinações químicas por técnica simples e precisa de quantificação das amostras em contador de cintilações (Cohen, 1975). Stacy e Thorburn (1966), ao usarem o quelante etilenodiaminotetraacetato, EDTA marcado com cromo radioativo, 51Cr (51Cr-EDTA), que era empregado, então, como traçador solúvel da fisiologia do rúmen de ovelhas (Downes e McDonald, 1964), determinaram, pela primeira vez, a taxa de filtração glomerular com 51Cr-EDTA, empregando o método da inulina. Encontraram, mediante determinações simultâneas, uma relação 51Cr-EDTA/inulina de 0,95±0,03, em 41 determinações em cinco ovelhas.

Por ser uma substância que tem depuração plasmática praticamente igual à da inulina, não necessitar de infusão contínua nem de cateterismo vesical e ter suas amostras analisadas em cintilador tipo poço, o 51Cr-EDTA é considerado o radiotraçador - radiofármaco - de escolha para a determinação da taxa de filtração glomerular por depuração plasmática em rotina clínica (Stacy e Thornburn, 1966; Blaufox et al., 1996).

Mólnár et al. (1971), além do EDTA, testaram o dietilenotriaminopentaacetato (DTPA), marcados com 51Cromo, 58Cobalto, 114Índio e 115mÍndio, e verificaram correlação significativa entre as diversas combinações de complexos de EDTA e DTPA com estes radionuclídios e em testes simultâneos com creatinina e inulina. Walsh e Royal (1992) e Matthews et al. (1992) verificaram correlação significativa entre a depuração do DTPA marcado com 99mTecnécio (99mTc-DTPA) e a da inulina em cavalos. O 99mTc-DTPA foi também empregado para estudar o efeito do exercício sobre a taxa de filtração glomerular em cavalos (Gleadhill et al., 2000; Pinho, 2003; Pinho et al., 2006) e, sob a forma de aerossol, para medir a taxa de depuração alveolocapilar em humanos (Carriel et al., 2007).

O método de injeção única não necessita mais que uma injeção intravenosa de 51Cr-EDTA e coleta de duas amostras de sangue, nas instalações onde o animal está estabulado, sendo as amostras de plasma analisadas, logo após, em laboratório de medicina nuclear.

O objetivo deste trabalho foi determinar a taxa filtração glomerular no cavalo, pela técnica de injeção única do EDTA marcado (51Cr-EDTA e 113mIn-EDTA).

 

MATERIAL E MÉTODOS

Foram estudados nove equinos, seis machos e três fêmeas, com idade entre 2 e 12 anos. Quatro animais eram Puro Sangue Inglês, oriundos do Jockey Club Brasileiro e cinco mestiços, com predominância da raça crioula, do Instituto de Biologia do Exército, Rio de Janeiro, RJ. Após exame físico, dosagens bioquímicas do sangue, de uréia e creatinina, com resultados dentro das variações normais para a espécie, os animais foram mantidos estabulados, à temperatura ambiente, com ração própria para a espécie e água ad libitum.

Os procedimentos com os animais foram realizados de acordo com a Declaração Universal dos Direitos dos Animais da UNESCO, Bruxelas, 1978, e das normas de ética brasileiras (Lei 6.638/79 de 08/05/1979 e Lei 9.605 de 12/02/1998).

O 51Cr-EDTA1 foi fornecido com atividade específica de 40mCi por mg de Cr. O 51Cr é um emissor gama de 320keV e meia vida física de 27,8 dias. O 113mIn foi obtido de gerador de Índio-113m (vaca de índio)1, com atividade de 25mCi, e o EDTA foi fornecido pelo fabricante2. O 113mIn é um emissor gama de 393keV e tem meia vida física de 1,66h. A marcação do EDTA com o 113mIn foi feita no setor de Radiofarmácia do Serviço de Medicina Nuclear do Hospital Central do Exército.

As doses de 51Cr-EDTA, de 5μCi por kg de peso, e as de 113mIn-EDTA, de 100μCi por kg de peso, foram administradas na veia jugular do animal. Amostras de sangue foram coletadas, da veia jugular contralateral, aos 10, 120 e 240min após a injeção para os estudos com 51Cr-EDTA e aos 10, 120 e 180min, após a injeção, para os estudos realizados com 113mIn-EDTA. Uma alíquota de 0,5mL da dose foi diluída em 500mL de água e separados 5mL para servir de amostra padrão para o cálculo do volume de distribuição.

As amostras de plasma e a amostra padrão foram contadas em cintilador tipo poço3 para determinar a atividade - radioativa - de cada uma. A atividade específica da amostra padrão (Ap) e a atividade específica (At) de cada amostra de plasma foram anotadas em contagens por minuto por mililitro (cpm.mL-1).

A determinação da taxa de filtração glomerular, descrita anteriormente (Maliska et al., 1977), foi baseada no cálculo da depuração plasmática do EDTA marcado e do seu volume de distribuição.

Uma vez em equilíbrio dentro de seu compartimento (espaço extracelular), a depuração plasmática do radiotraçador - como a da inulina - ocorre por filtração glomerular e corresponde a uma exponencial negativa, assim: At = Ao . e-kt ; em que: At é a atividade específica após ter transcorrido um determinado tempo t; Ao é a atividade específica inicial, quando t é igual a zero; e é a base dos logaritmos naturais e k, a constante de decaimento plasmático do radiotraçador.

O volume de distribuição (VD) foi calculado dividindo-se a atividade da dose administrada por Ao, obtida pela fórmula inversa da de depuração (Ao = At . ekt). A taxa de filtração glomerular (TFG), emmL.min-1 foi obtida pela fórmula da depuração: TFG = VD.k.

Os dados tiveram tratamento estatístico simples tais como média aritmética, desvio-padrão e coeficiente de variação.

 

RESULTADOS

Os valores da taxa de filtração glomerular dos nove animais, em mL.min-1 e mL.min-1.100kg de peso, foram (média±desvio-padrão) de: 581,62±170,49mL.min-1 e 148,80±26,42mL.min-1.100kg, respectivamente (Tab. 1), e o coeficiente de variação de 17,8%.

 

 

A média e o desvio-padrão dos valores da taxa de filtração glomerular, em mL.min-1.100kg, dos animais grupados por gênero foram: machos = 146,47±16,39 e fêmeas = 153,47±35,94; grupados por raça (e idade): PSI (até cinco anos) = 149,92±33,85 e mestiços (mais de cinco anos) = 147,91±14,09; e grupados pelo radiofármaco usado: 51Cr-EDTA = 149,57±30,28 e 113mIn-EDTA = 147,84±15,75.

 

DISCUSSÃO

A taxa de filtração glomerular, determinada pelo método de injeção única de EDTA marcado corresponde aos valores obtidos pelo laborioso método da inulina por Knutsen (1959), e por Walsh e Royal (1992), pela inulina e pelo 99mTc-DTPA.

Classicamente, a verificação de disfunções do sistema urinário no cavalo é limitada ao exame clínico e à avaliação laboratorial das concentrações plasmáticas da ureia e da creatinina, à eliminação urinária de eletrólitos, à atividade de enzimas urinárias, à ultrassonografia renal e à palpação do rim esquerdo por via retal (Matthews et al., 1992). Segundo Krawiec et al. (1988), estes métodos são imprecisos e indicadores pouco sensíveis de disfunções renais iniciais, em comparação com a medida da taxa de filtração glomerular. A taxa de filtração glomerular corresponde à soma da taxa de filtração de cada néfron funcionante e representa um índice da função de toda a massa renal; é um indicador sensível e específico de disfunções renais iniciais e fornece informações sobre a gravidade e o prognóstico da doença renal (Shuster e Selding, 1985; Krawiec et al., 1988; Fein et al., 2006). A inulina continua sendo o método padrão na determinação da taxa de filtração glomerular, mas é de execução demorada, requerendo infusão contínua e coletas de sangue e urina por cateterismo. Além de trabalhosa, é uma técnica altamente estressante para o animal, principalmente o cavalo (Matthews et al., 1992), o que reduz grandemente sua utilização. E, para dificultar ainda mais, a inulina está cada vez mais difícil de ser obtida (Blaufox et al., 1996).

Na prática clínica, o método de injeção única é de execução simples e preciso o bastante para cumprir as exigências diagnósticas da rotina clínica. O radiotraçador de escolha para a medida da taxa de filtração glomerular é o 51Cr-EDTA, cuja depuração plasmática é praticamente igual à da inulina (Stacy e Thornburn, 1966; Blaufox et al., 1996). As principais qualidades dos métodos que utilizam radioisótopos - radionuclídeos - são a simplicidade e a rapidez com que são realizados e a precisão dos resultados. E, ainda, empregam técnicas não invasivas, com desconforto mínimo para o animal e baixa dose de radiação para o paciente e para o operador (Chervu et al., 1975).

A média dos valores da taxa de filtração glomerular dos animais, agrupados por gênero, tanto machos como fêmeas, foi muito próxima dos valores publicados por Walsh e Royal (1992), 146,92±27,49mL.min-1.100kg, usando 99mTc-DTPA, em éguas. Praticamente não houve diferença entre os resultados dos exames feitos com 51Cr-EDTA e com 113mIn-EDTA, concordando com o trabalho de Mólnár et al. (1971), em que o valor da taxa de filtração glomerular, determinada pelo EDTA marcado com diversos radioisótopos - 51Cromo, 58Cobalto, 114mÍndio e 115mÍndio -, não foi afetado pelo isótopo marcador do EDTA.

O coeficiente de variação (CV) das medidas da taxa de filtração glomerular pelo método de injeção única do EDTA marcado foi de 17,8%, menor que o CV de 27,3% obtido por Walsh and Royal (1992), em 12 éguas, com mais de cinco anos de idade, pela depuração da inulina, e, comparável às medidas feitas pelo 99mTc-DTPA, CV de 18,7%, nos mesmos animais.

O exame de medicina nuclear, para medir a taxa de filtração glomerular em cavalos, foi rápido, não invasivo e aparentemente não introduziu estresse nos animais. Trata-se de exame de execução simples e rápida, com baixa dose de radiação, cuja fase de injeção e coleta das amostras de sangue foi realizada no local onde os animais estavam estabulados. Somente o preparo da dose do radiotraçador e a contagem da atividade radioativa das amostras de soro foram feitos no laboratório de medicina nuclear. Não houve necessidade de contenção, cateterismo ou deslocamento do animal.

Conclui-se que a medida da taxa de filtração glomerular pelo 51Cr-EDTA ou 113mIn-EDTA, pela técnica de injeção única, elimina a necessidade de cateterismo vesical e, por sua simplicidade, comodidade, precisão e baixa dose de radiação, pode ser empregada em cavalos como o método de escolha em rotina clínica.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BLAUFOX, M. D.; AURELL, M.; BUBECK, B. et al. Consensus report of the radionuclides in nephrourology. J. Nucl. Med., v.37, p.1883-1890, 1996.         [ Links ]

BROCHNER-MORTENSEN, J.; RODBRO, P. Selection of rutine method for determination of glomerular filtration rate in adult patients. Scand. J. Clin. Lab. Investig., v.36, p.35-43, 1976.         [ Links ]

CARRIEL, J.C.; MALISKA, C.; PILOTO, J.H. et al. Alveolus-capillary permeability on both normal and HIV seroreactive individuals. Braz. Arch. Biol. Technol., v.50, p.971-978, 2007.         [ Links ]

CHERVU, L.R.; FREEMAN, L.M.; BLAUFOX, M.D. Radiopharmaceuticals for renal studies. In: FREEMAN, L.M.; BLAUFOX, M.D. (Eds.). Radionuclide studies of the genitourinary system. New York: Grune & Stratton, 1975. p.3-22.         [ Links ]

COHEN, M.L. Radionuclide clearance techniques. In: FREEMAN, L.M.; BLAUFOX, M.D. (Eds). Radionuclide studies of the genitourinary system. New York: Grune & Stratton, 1975. p.23-38.         [ Links ]

DOWNES, A.M.; McDONALD, I.W. The chromium-51 complex of ethylenediamine tetra-acetic acid as a soluble rumen marker. Br. J. Nutr., v.18, p.153-162, 1964.         [ Links ]

FEIN, I.A.; MULLANY, L.; WALDERS, W. Measured and estimated glomerular filtration rate. New Engl. J. Med., v.355, p.1067-1070, 2006.         [ Links ]

FINCO, D.R. Measurement of glomerular filtration rate via urinary clearance of inulina and plasma clearance of technetium Tc99m pentetate and exogenous creatinine in dogs. Am. J. Vet. Res., v.66, p.1046-1055, 2005.         [ Links ]

GLEADHILL, A.; MARTIN, D.; HARRIS, P.A. et al. Reduction of renal function in exercising horses. Equine Vet. J., v.32, p.509-514, 2000.         [ Links ]

GONDA, K.C.; WILCKE, J.R.; CRISMAN, M.V. et al. Evaluation of iohexol clearance used to estimate glomerular filtration rate in clinically normal foals. Am. J. Vet. Res., v.64, p.1486-1490, 2003.         [ Links ]

HAM, H.R.; PIEPSZ A. Estimation of glomerular filtration rate in infants and in children using a single-plasma sample method. J. Nucl. Med., v.32, p.1294-1297, 1991.         [ Links ]

HEIENE, R.; MOE, L. Pharmacokinetic aspects of measurement of glomerular filtration rate in the dog: a review. J. Vet. Intern. Med., v.12, p.401-414, 1998.         [ Links ]

HOEK, I. van; VANDERMEULEN, E.; DUCHATEAU, L. et al. Comparison and reproducibility of plasma clearance of exogenous creatinine, exo-iohexol, endo-iohexol and 51Cr-EDTA in young adult and aged healthy cats. J. Vet. Intern. Med., v.21, p.950-958, 2007.         [ Links ]

JUNG, K.; HENKE, W.; SCHULZE, B.D. et al. Practical approach for determining glomerular filtration rate by single-injection inulin clearance. Clin. Chem., v.38, p.403-407, 1992.         [ Links ]

KNUTSEN, E. Renal Clearance Studies on the horse. I. Inulin, endogenous creatinine and ureia. Acta Vet. Scand., v.1, p.56-66, 1959.         [ Links ]

KRAWIEC, D.R.; TWARDOCK, A.R.; BADERTSCHER, R.R. et al. Use of 99mTc-Dietylenetriaminepentaacetic acid for assessment of renal function in dogs with suspected renal disease. J. Am. Vet. Med. Assoc., v.192, p.1077-1080, 1988.         [ Links ]

KUNZE, C.; BAHR, A.; LEES, G.E. Evaluation of Tc99m-Diethylene-tetramine-pentaacetica-acid renal scintigram curves in normal dogs after induction of diuresis. Vet. Radiol. Ultrasound, v.47, p.103-109, 2006.         [ Links ]

MALISKA, C.; MACIEL, O.S.; SARAIVA-GONÇALVES, J.C. Medida da filtração glomerular no cão pelo 51Cr-EDTA e 113mIn-DTPA. Rev. Fac. Med. Vet. Zootec. Univ. S. Paulo, v.14, p.231-240, 1977.         [ Links ]

MATTHEWS, H.; ANDREWS, F.M.; DANIEL, G.B. et al. Comparison of standard and radionuclide methods for measurement of glomerular filtration rate and effective renal blood flow in female horses. Am. J. Vet. Res., v.53, p.1612-1616, 1992.         [ Links ]

MÓLNÁR, G.; PALL, I.; STUTZEI, M. et al. Determination of glomerular filtration rate with 51Cr,58Co,114mIn,115mIn and 169Yb labeled EDTA and DTPA complexes. In: Dynamic studies with radioisotopes in medicine, Vienna: IAEA, 1971. p.359-368.         [ Links ]

NICOLLE, A.P.; CHETBOUL, V.; ALLERHEILIGEN, T. et al. Azotemia and glomerular filtration rate in dogs with chronic valvular disease. J. Vet. Intern. Med., v.21, p.943-949, 2007.         [ Links ]

PINHO, W.R. Avaliação radioisotópica da função renal em cavalos atletas de concurso completo de equitação. 2003. 77f. Tese (Doutorado) - Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ,         [ Links ]

PINHO, W.P.; MALISKA, C.; LIMA, J.E.T. et al. Renal function evaluation by Tc99m-DTPA in athletic hoses. Radiol. Bras., v.39, supl.2, p.81, 2006.         [ Links ]

SAPIRSTEIN, L.A.; VIPT, D.G.; MANDEL, M.J. et al. Volumes of distribution and clearances of intravenously injected creatinine in the dog. Am. J. Physiol., v.181, p.330-336, 1955.         [ Links ]

SHANNON, J.A.; SMITH, H.W. The excretion of inulin, xylose and urea by normal and phlorizinized man. J. Clin. Invest., v.14, p.93-96, 1935.         [ Links ]

SHEMESH, O.; GOLBETZ, H.; KRISS, J.P. et al. Limitations of creatinine as a filtration marker in glomerulopathic patients. Kidney Int., v.28, p.830-838, 1985.         [ Links ]

SCHUSTER, V.L.; SELDIN, D.W. Renal clearance. In: SELDIN D.W.; GIEBISCH G. (Eds). The kidney, physiology and pathophysiology. New York: Raven Press, 1985. p.365-395.         [ Links ]

STACY, B.D.; THORBURN, G.D. Chromium-51 EDTA estimation of glomerular filtration rate. Science, v.152, p.1076-1077, 1966.         [ Links ]

WALSH, D.M.; ROYAL, H.D. Evaluation of a single injection of 99mTc-labeled diethylenetriaminepentaacetic acid for measuring glomerular filtration rate in horses. Am. J. Vet. Res., v.53, p.776-780, 1992.         [ Links ]

WOOLFSON, R.G.; NEILD, G.H. The true clinical significance of renography in nephro-urology. Eur. J. Nucl. Med., v.24, p.557-570, 1997.         [ Links ]

 

 

Recebido em 14 de agosto de 2008
Aceito em 8 de abril de 2009

 

 

E-mail: cmaliska@hucff.ufrj.br
1 Farbweke Hoecht, Alemanha.
2 Merck - Darmstadt, Alemanha.
3 Siemens - Alemanha.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons