SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.62 issue6Antibodies to Neospora caninum in dairy cattle in Southwest of Paraná StateEquine coital exanthema in a stallion author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.62 no.6 Belo Horizonte Dec. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-09352010000600034 

COMUNICAÇÃO

 

Parâmetros hematológicos de jumentas gestantes em diferentes períodos

 

Hematological parameters of pregnant donkeys in different periods

 

 

K. GravenaI; R.C.L. SampaioI; C.B. MartinsII; D.P.M. DiasI; C.A.G. OrozcoI; J.V. OliveiraIII; J.C. Lacerda-NetoI,*

IFaculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane, s/n 14870-000 - Jaboticabal, SP
IICentro de Ciências Agrárias - UFES - Alegre, ES
IIIHaras Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico de Agronegócios da Alta Mogiana - Colina, SP

 

 


Palavras-chaves: jumenta, gestação, hemograma, leucograma


ABSTRACT

The hematological parameters and total protein concentration in healthy donkeys during pregnancy, under grass handling conditions in tropical weather, were evaluated. Fifth-two Marchador Brasileiro breed healthy donkeys, ranging from 8 to 16 years old, were evaluated, 36 of which were pregnant. The animals were separated in four groups: non pregnant (control), pregnancy from 25 to 110 days (first phase), from 111 to 210 days (second phase), and from 211 to 340 days (third phase). Total protein, erythrocyte, and leukocytes counts; packed cell volume; hemoglobin concentration; hematimetric absolute rates of mean corpuscular volume (MCV); mean corpuscular hemoglobin (MCH); and mean corpuscular hemoglobin concentration (MCHC) were evaluated. Total protein and eosinophils count decreased in the first phase. Red blood cells, hemoglobin concentration, and MCHC increased in the third phase of pregnancy. However, MCV and MCH decreased in the same phase.

Keywords: donkey, pregnancy, hemogram, leukogram


 

 

A criação de equídeos no Brasil tem evoluído consideravelmente nos últimos anos. Durante o período de gestação, nos equídeos ocorrem mudanças fisiológicas que geram maior demanda corporal para sua própria manutenção e do concepto, aumentando as exigências nutricionais e ocasionando alterações de suas constantes fisiológicas, inclusive hematológicas. Portanto, o conhecimento dessas modificações pode ser de grande utilidade no acompanhamento e manejo dessas fêmeas.

São poucos os estudos realizados em condições tropicais com jumentos. O trabalho realizado por Perdigão de Oliveira et al. (1974) encontrou as seguintes variações no hemograma: hemácias (He) 6,62±1,02x106/µL; hemoglobina (Hb) 12,24±1,54g/dL; volume globular (VG) 33,82±4.57%; volume globular médio (VGM) 52,82±,48fL; hemoglobina globular média (HGM) 8,7±2,19pg; e concentração de hemoglobina globular média (CHGM) 35,85±2,43g/dL.

Mori et al. (2004) estabeleceram os seguintes valores hematológicos de referência para jumentos saudáveis da raça Brasileiro: 6,82±0,67x106He/µL; 12,87±0,98g de Hb/dL; VG de 37,63±2,76%; VGM de 55,45±4,06fL; HGM de 18,85±1,14pg; CHCM de 34,20±1,24g/dL; 8,22±1,49x103 leucócitos/µL; 3,39±0,81x103 neutrófilos segmentados/µL; 4,15±0,84x103 linfócitos/µL; 0,13±0,11x103 monócitos/µL; 0,03±0,04x103 basófilos/µL.

O presente estudo teve como objetivo avaliar os parâmetros eritrométricos, leucométricos e a concentração plasmática de proteína total de jumentas sadias, da raça Marchador Brasileiro, sob condições de pasto, em clima tropical.

Foram utilizadas 52 jumentas sadias, entre oito e 16 anos de idade, das quais 36 estavam prenhes, e 16 não prenhes. Os grupos de coletas foram distribuídos em jumentas não prenhes (controle), prenhes entre 25 a 110 dias (primeira fase), entre 111 a 210 dias (segunda fase) e entre 211 a 340 dias (terceira fase) de gestação. Após a coleta de sangue, as amostras foram mantidas a 4ºC até a análise. Realizaram-se as contagens globais de He, concentração de Hb, determinação do VG, e calcularam-se os índices hematimétricos, VGM, HGM e CHGM. Também foram realizadas contagens global e diferencial de leucócitos (Le) e a concentração plasmática de proteína total (PT). Os valores obtidos foram submetidos à análise estatística pelo programa computacional SAS, utilizando-se análise de variância. As comparações entre médias foram feitas pelo teste Tukey.

Observou-se aumento no número de He e nas concentrações de Hb e CHGM na terceira fase de gestação (211 - 340 dias), a qual diferiu das outras fases e do grupo-controle (Tab. 1). Porém, houve diminuição no VGM e no HGM nessa mesma fase, que diferiu de todas as outras fases e do controle.

Já o teor plasmático de PT apresentou queda significativa na primeira fase da gestação.

No leucograma, pode ser observada diminuição no número de eosinófilos na primeira fase da gestação, a qual difere dos resultados do grupo-controle e da segunda fase gestacional (Tab. 2).

No segundo período de gestação, é maior o crescimento fetal, com subsequente aumento da taxa metabólica e maior demanda de oxigênio, o que estimula a liberação de eritropoetina pelo tecido renal, com consequente aumento no número de hemácias circulantes (Souza et al., 2002). Entretanto, neste estudo, o aumento no número de He foi identificado apenas na fase final da gestação, o qual não ultrapassou os valores de referência estabelecidos para jumentos (Mori et al., 2004). Os valores de VGM e HGM diminuíram na fase final da gestação, ao contrário do observado por Lurie (1993), em mulheres grávidas, e aos valores encontrados por Morris (1998), que atribuiu o aumento à possível presença de eritrócitos imaturos no sangue periférico. Os resultados obtidos neste estudo para VGM e HGM podem estar relacionados ao aumento de Hb ocorrido no terço final da gestação. Infere-se, pelos resultados deste trabalho, que, em jumentos, ocorre no terço final aumento da taxa metabólica, necessária para suprir o rápido crescimento fetal e a preparação para o parto. Concomitantemente ao aumento do metabolismo, há maior demanda de oxigênio, que estimula uma resposta adaptativa na qual ocorre aumento da concentração de Hb, elevando, dessa forma, a quantidade de oxigênio transportado. O valor de CHGM foi maior na última fase de gestação, porém estes parâmetros não apresentaram nenhuma relevância clínica e estão dentro dos valores de referência para jumentos (Mori et al., 2004).

Relativamente ao leucograma, os valores obtidos para leucócitos não diferiram entre as fases. Os valores de eosinófilos foram elevados no grupo-controle e na segunda fase gestacional. Considerando-se que os eosinófilos refletem uma resposta imunomediada do organismo a processos parasitários e alérgicos, é lícito inferir que, neste caso, o maior número de eosinófilos indicaria maior resistência para suportar cargas parasitárias às quais estes animais, especialmente por estarem em pasto, estão sujeitos no final da gestação (Kaneko et al., 1997).

A diminuição obtida para a concentração plasmática de PT na primeira fase gestacional não apresentou relevância clínica e está dentro dos intervalos de referência estabelecidos para jumentos (Mori et al., 2004). Morris (1993) destacou que inúmeros fatores podem influenciar na concentração plasmática de PT, como a demanda metabólica, o equilíbrio hormonal, o estado nutricional, o equilíbrio ácido-base, entre outros.

Os resultados obtidos neste trabalho indicam parâmetros normais para jumentas da raça Marchador Brasileiro. Estes dados podem ser utilizados pelos médicos veterinários na avaliação da higidez de jumentas tanto desta raça como de outras, durante exames pré-natais.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

KANEKO, J.J.; HARVEY, J.W.; BRUSS, M.L. (Eds). Clinical biochemistry of domesticanimals. 5.ed. San Diego: Academic, 1997.         [ Links ]

LURIE, S. Changes in age distribution of erythrocytes during pregnancy: a longitudinal study. Gynecol. Obst. Invest., v.36, p.141-144, 1993.         [ Links ]

MORI, E.; MIRANDOLA, R.M.S.; FERREIRA, R.R. et al. Reference values on hematologic parameters of the Brazilian Donkey (Equus asinus) breed. J. Equine Vet. Sci., v.24, p.271-276, 2004.         [ Links ]

MORRIS, D.D. Enfermedades del sistema hemolinfático, In: COLAHAN, P.T.; MAYHEW, I.G.; MERRITT, A.M. et al. (Eds). Medicina y Cirugia Equina. Buenos Aires: Inter-Médica. p.1619-1678, 1998.         [ Links ]

PERDIGÃO DE OLIVEIRA, F.R.A.; AUGUSTO, C.; GRASSO, P.L. et al. Eritrograma normal de jumentos Equus Asinus das raças puro-sangue Italiana e Brasileira de 1 a 2 anos de idade. Bol. Industr. Anim., v.31, p.325-329, 1974.         [ Links ]

SOUZA, A.I.; FILHO, M.B.; FERREIRA, L.O. Alterações hematológicas e gravidez. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., v.24, p.29-36, 2002.         [ Links ]

 

 

Recebido em 6 de maio de 2010
Aceito em 29 de novembro de 2010

 

 

* Autor para correspondência (corresponding author): E-mail: jlacerda@fcav.unesp.br

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License