SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.66 issue4Quality of fermented milks produced with Lactobacillus rhamnosus and Lactobacillus fermentum isolated from artisanal cheeses author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia

Print version ISSN 0102-0935

Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. vol.66 no.4 Belo Horizonte Aug. 2014

http://dx.doi.org/10.1590/1678-6736 

Comunicação

Precocidade sexual em bovinos Nelore avaliada por ultrassonografia testicular

Sexual precocity in Nelore bovines evaluated by testicular ultrasonography

D.J. Cardilli 1  

G.H. Toniollo 2  

A.A. Pastore 3  

J.C. Canola 2  

J.A. Oliveira 2  

M.E.Z. Mercadante 4  

1Pós-doutorando do Programa de Pós-Graduação em Saúde Animal na Amazônia- UFPA - Castanhal, PA

2FCAV-Unesp-Jaboticabal - Jaboticabal, SP

3Médico Veterinário CRV-Lagoa

4Estação Experimental de Zootecnia - Sertãozinho, SP

ABSTRACT

The present study aimed to evaluate if there are differences in testicular parenchyma echogenicity between pre-pubescent and pubescent animals at the same age. Ultrasound examinations were performed in longitudinal and transversal planes of the testicles of 111 healthy Nelore bovines, at the ages of nine, 13 and 15 months. The EIV software calculated the echogenicity of the testicular parenchyma, which ranged from 0 (anechoic) to 100% (hyperechoic). Animals that had reached puberty at 15 months of age presented higher testicular echogenicity than the animals that had not reached puberty at the same age. These results suggest that testicular ultrasonography can be used as a predictor of sexual precocity.

Key words: bull; male reproductive tract; ecography

Ao exame de ultrassom, o parênquima testicular de bovinos é homogêneo e tem ecogenicidade moderada (Pechman e Eilts, 1987; Cardilli et al., 2010), a qual aumenta com a idade do animal (Chandolia et al., 1997; Aravindakshan et al., 2000; Kastelic, 2001; Brito et al., 2004; Abdel-Razek e Ali, 2005; Cardilli et al., 2012).

A circunferência escrotal é o melhor indicador de puberdade em bovinos Nelore e pode ser utilizada na seleção de touros para precocidade sexual (Brito et al., 2004). Alguns autores tentaram estabelecer a importância da ultrassonografia testicular como indicador de precocidade sexual ou de potencial reprodutivo dentro de um rebanho, fundamentados em resultados nos quais animais púberes tiveram o parênquima testicular mais ecogênico que os pré-púberes na mesma idade (Aravindakshan et al., 2000; Brito et al., 2004).

Brito et al. (2004) informaram que bovinos Nelore criados em sistema extensivo dificilmente apresentam sêmen compatível com puberdade antes dos 16 meses de idade; a mesma observação foi feita por Cardilli et al. (2012). No presente estudo, buscaram-se animais com sêmen compatível com puberdade antes dos 16 meses, com o intuito de verificar se esses animais apresentavam maior ecogenicidade testicular que aqueles não púberes na mesma idade, a fim de demonstrar a importância da ultrassonografia como indicador de precocidade sexual ou potencial reprodutivo dentro de um rebanho. Este estudo se baseou nos resultados obtidos por Freneau et al. (2006), os quais relataram que a idade média de puberdade para bovinos Nelore criados em sistema extensivo foi de 15 meses, bem como no fato de que, neste caso, tratava-se de animais criados em sistema intensivo, já que a nutrição é um relevante fator que interfere na idade à puberdade.

Foram realizados exames ultrassonográficos em testículos de 111 bovinos da raça Nelore, os quais faziam parte de um mesmo rebanho, criado em sistema intensivo, na cidade de Sertãozinho-SP (latitude -21º 08' 16" e longitude 47º 59' 25"). Os animais foram mantidos durante todo o período de realização da pesquisa com uma dieta de 14% de proteína bruta e 63 % de energia.

Os exames ultrassonográficos foram realizados com aparelho Pie Medical Scanner 200C, ligado a um transdutor linear de 8MHz. Após contensão dos animais em tronco e aplicação de gel acústico diretamente sobre a bolsa testicular, foram realizadas varreduras em planos transversais e longitudinais nos testículos direito e esquerdo. Ao início de cada dia de trabalho, o aparelho de ultrassonografia foi calibrado sempre de uma mesma maneira quanto à intensidade de brilho e também quanto à posição do foco principal.

As imagens selecionadas foram transferidas diretamente ao computador por meio do software Eview-Echo Image Viewer, versão 1.00, Pie Medical Equipament B.V., copyright Pie Medical (EIV). Com o auxílio do software EIV, foram selecionadas duas regiões de interesse (RI) em cada plano de varredura nos testículos direito e esquerdo. Cada RI foi delimitada por um quadrado de 6,3mm de lado e estava localizada lateral e medialmente ao mediastino testicular no plano transversal e nas faces ventral e dorsal do testículo, excluindo-se o mediastino testicular, no plano longitudinal. As RI contiveram o máximo de parênquima testicular, sem englobar pele, túnicas, epidídimo e o mediastino testicular.

Automaticamente, o software EIV calculou a ecogenicidade do parênquima testicular nas RI, em uma escala que variou de zero a 100%, sendo 0% para uma imagem totalmente preta ao monitor (parênquima testicular menos ecogênico) e 100% para uma imagem totalmente branca (parênquima testicular mais ecogênico). Também por meio do software EIV foram feitas as aferições da espessura do mediastino testicular, sempre no plano longitudinal de varredura dos testículos.

Os exames andrológicos foram feitos segundo a metodologia descrita por Krause (1993).

A colheita do sêmen foi realizada por eletroejaculação aos 13 e 15 meses de idade, sempre após os exames ultrassonográficos. Os parâmetros avaliados e a metodologia de análise do sêmen foram as mesmas utilizadas por Brito et al. (2004).

O parâmetro estabelecido para a puberdade neste estudo foi: ejaculado com mínimo de 50x106 espermatozoides, pelo menos 10% de motilidade progressiva e 70% ou mais de células normais no ejaculado, semelhante ao utilizado por Brito et al. (2004).

A ecogenicidade do parênquima testicular foi analisada pelo método dos quadrados mínimos, por meio do procedimento General Linear Model (GLM) do programa SAS (SAS 9.1, SAS Institute, Cary, NC, USA), utilizando-se um modelo que incluiu os efeitos de touro (1-111), planos (longitudinal e transversal), testículos (direito e esquerdo), idade e interações entre esses efeitos. Quando o efeito ou a interação foi significativa pelo teste F, as médias foram comparadas pelo teste Tukey a 5% de probabilidade.

Entre os 111 animais, 4 apresentaram sêmen compatível com puberdade aos 15 meses de idade (Tab. 1), e a média da ecogenicidade do parênquima testicular dos nove aos 15 meses foi significativamente maior nos animais púberes quando comparados com os pré-púberes na mesma idade, respectivamente, 35,66% e 30,44%. A diferença de ecogenicidade entre animais púberes e pré-púberes passou a ser significativa a partir dos 13 meses (Tab. 2).

Tabela 1 Análise do sêmen dos animais púberes aos 15 meses de idade. Unesp - Jaboticabal, SP, 2013 

Touros Volume do ejaculado(mL) Motilidade(%) Vigor(0-5) Concentração (x106/mm3) Defeitos maiores(%) Defeitos menores(%) Defeitos totais(%)
2 5 50 3 1000 4 6 10
7 4 10 2 100 6 5 11
10 4 10 2 300 4 3 7
11 4 25 2 300 5 3 8

Tabela 2 Média da ecogenicidade do parênquima testicular para os animais púberes e pré-púberes em cada momento de avaliação. Unesp - Jaboticabal, SP, 2013 

Meses Púberes(%) Pré-púberes(%)
9 19,25a 19,02ª
13 43,16a 33,15b
15 44,57a 39,15b

Médias seguidas de letras diferentes entre as linhas diferem estatisticamente pelo teste Tukey (P<0,05).

Aravindakshan et al. (2000) e Brito et al. (2004), ao trabalharem com as raças Hereford e Canchim, respectivamente também encontraram resultados semelhantes ao do presente estudo e sugeriram que a ultrassonagrafia pode ser utilizada como um indicador de precocidade sexual. Brito et al. (2004) concluíram que a circunferência escrotal foi melhor indicador de precocidade sexual do que a medida da ecogenicidade do parênquima testicular, pois apresentou maiores valores em testes de sensibilidade e especificidade para essa característica.

Cardilli et al. (2012), em um estudo com bovinos Nelore criados em sistema extensivo, relataram resultados contraditórios àqueles apresentados acima, Esses autores não encontraram diferença significativa na ecogenicidade do parênquima testicular entre animais púberes e pré-púberes na mesma idade. Vale ressaltar, entretanto, que o presente estudo foi feito com um maior número de animais, criados em sistema intensivo, haja vista a grande importância da nutrição na reprodução.

Com base nos resultados encontrados no presente estudo, sugere-se que a ultrassonografia testicular pode ser utilizada como indicador de precocidade sexual, já que animais púberes apresentam maior ecogenicidade testicular que os pré-púberes na mesma idade.

REFERÊNCIAS

ABDEL-RAZEK, A.K.; ALI, A. Development changes of bull (Bos taurus) genitalia as evaluated by caliper and ultrasonography. Reprod. Dom. Anim., v.40, p.23-27, 2005. [ Links ]

ARAVINDAKSHAN, J.P.; HONARAMOOZ, A.; BARTLEWSKI, P.M. et al. Pattern of gonadotropin secretion and ultrasonographic evaluation of developmental changes in the testis of early and late maturing bull calves. Theriogenology, v.54, p.339-354, 2000. [ Links ]

BRITO, L.F.C.; SILVA, A.E.D.F.; UNANIAM, M.M. et al. Sexual development in early and late maturing Bos indicus and Bos indicus x Bos Taurus crossbred bulls in Brazil. Theriogenology, v.62, p.1198-1217, 2004. [ Links ]

CARDILLI, D.J.; TONIOLLO, G.H.; PASTORE, A.A. et al. Ultrassonografia testicular em bovinos jovens da raça Nelore criados em sistema extensivo. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.64, p.75 - 82, 2012. [ Links ]

CARDILLI, D.J.; TONIOLLO, G.H.; PASTORE, A.A. et al. Padrão ultrassonográfico do parênquima, mediastino e túnicas testiculares em bovinos jovens da raça nelore. Cienc. Anim. Bras., v.11, p.899 - 905, 2010. [ Links ]

CHANDOLIA, R.K.; HONARAMOOZ, A.; OMEKE, B.C. et al. Assessment of development of the testes and accessory glands by ultrasonography in bull calves and associated endocrine changes. Theriogenology, v.48, p.119-132, 1997. [ Links ]

FRENEAU, G.E.; VALE FILHO, V.R.; MARQUES JR, A.P. et al. Puberdade em touros Nelore criados em pasto no Brasil: características corporais, testiculares e seminais e de índice de capacidade andrológica por pontos. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.58, p.1107-1115, 2006. [ Links ]

KASTELIC, J.P.; COOK, R.B.; PIERSON, R.A. et al. Relationships among scrotal and testicular characteristics, sperm production, and seminal quality in 129 beef bulls. Can. J. Vet. Res., v.65, p.111-115, 2001. [ Links ]

KRAUSE, D. Sistema Reprodutor Masculino. In: DIRKSEN, G.; GRUNDER, U.; STORBER, M. Exame Clínico dos Bovinos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1993. p.242-268. [ Links ]

PECHMAN, R.D.; EILTS, B.E. B-mode ultrasonography of the bull testicle. Theriogenology, v.27, p.431-441, 1987. [ Links ]

Received: April 06, 2013; Accepted: February 19, 2014

Creative Commons License This is an Open Access article distributed under the terms of the Creative Commons Attribution Non-Commercial License, which permits unrestricted non-commercial use, distribution, and reproduction in any medium, provided the original work is properly cited.