SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número1Ocorrência de flebotomíneos (Diptera, Psychodidae) em focos de leishmanioses, em área de ecoturismo do entorno do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, BrasilMissão prevenir e proteger: condições de vida, trabalho e saúde dos policiais militares do Rio de Janeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

  • Português (pdf)
  • Artigo em XML
  • Referências do artigo
  • Como citar este artigo
  • SciELO Analytics
  • Curriculum ScienTI
  • Tradução automática

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Cadernos de Saúde Pública

versão impressa ISSN 0102-311X

Cad. Saúde Pública vol.26 no.1 Rio de Janeiro jan. 2010

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2010000100021 

NOTA RESEARCH NOTE

 

Adaptação cultural do Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ) para população brasileira

 

Cross-cultural adaptation of the Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ) to the Brazilian population

 

 

Samantha MucciI; Vanessa de Albuquerque CiteroI; Adriano Miziara GonzalezII; Mario Alfredo De MarcoI; Luiz Antonio Nogueira-MartinsI

IDepartamento de Psiquiatria, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil
IIDepartamento de Gastroenterologia Cirúrgica, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, Brasil

Correspondência

 

 


RESUMO

Nesse estudo realizaram-se a tradução para o português e a adaptação cultural do instrumento Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ) para uso no Brasil. O instrumento foi traduzido da versão original (inglês) para a língua portuguesa pelos autores e, posteriormente, revisado e avaliado quanto ao grau de dificuldade das traduções e equivalência por tradutores bilíngües. O instrumento foi, então, aplicado em 20 pacientes com hepatopatia crônica selecionados aleatoriamente. Não houve dificuldade na compreensão do instrumento, todas as questões foram consideradas aplicáveis pelos pacientes, e a equivalência cultural do CLDQ foi demonstrada sem que mudanças na tradução original precisassem ser feitas. A tradução e a adaptação cultural do CLDQ para o português, no Brasil, foram realizadas, tendo sido cumprida esta importante etapa para sua validação e utilização em nosso meio.

Hepatopatias; Questionários; Comparação Transcultural


ABSTRACT

The aims of this study were the English-to-Portuguese translation and cross-cultural adaptation of the Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ) for use in Brazil. The instrument was translated from the original language, English, to Portuguese by the authors, and was subsequently reviewed and evaluated as to the degree of difficulty of the translation and equivalence, by bilingual translators. The questionnaire was then applied to 20 randomly selected patients with chronic liver disease. Patients had no difficulty understanding the questionnaire and considered all the questions applicable. The cultural equivalence of the CLDQ was demonstrated, without requiring changes in the original translation. The translation into Portuguese and cross-cultural adaptation of the CLDQ successfully completed this important stage for its validation and use in Brazil.

Liver Diseases; Questionnaires; Cross-Cultural Comparison


 

 

Introdução

A doença hepática crônica é a 9ª causa de morte no mundo e é responsável pela incapacitação de uma parcela economicamente ativa da população 1. Segundo Organização Mundial da Saúde (OMS) 2, existem atualmente 350 milhões de pessoas portadoras de doença hepática crônica pelo vírus da hepatite (B e C). Diante deste contingente torna-se fundamental cuidar da qualidade de vida destes pacientes 1.

O conceito de qualidade de vida definido pela OMS é "a percepção do indivíduo de sua posição na vida, no contexto da cultura e sistema de valores nos quais ele vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações" 3 (p. 179).

Qualidade de vida relacionada à saúde é um conceito subjetivo e multidimensional, influenciado por fatores sócio-econômicos, idade, sexo, presença de doença e tratamento, medindo o impacto de uma doença na vida de um indivíduo 4.

A qualidade de vida dos pacientes com doença hepática crônica varia de acordo com as mudanças em seu estado clínico 5, visto que, com a piora da hepatopatia, muitos pacientes perdem sua autonomia, sentem-se cansados, com desconfortos abdominais, insônia e mudanças de humor.

Houve, na última década, uma proliferação de instrumentos de mensuração de qualidade de vida 6, tanto genéricos (uso na população geral, podem comparar doenças crônicas diferentes) quanto específicos (uso em populações caracterizadas por uma determinada doença, identificam as particularidades da situação) 5.

São três os instrumentos específicos utilizados na avaliação de qualidade de vida de pacientes portadores de hepatopatia crônica:

• Hepatitis Quality of Life Questionnaire (HQOLQ): não é aplicável em pacientes em estágio de cirrose avançado. Foi validado somente para uso em pacientes com hepatite tipo C 7.

• Liver Disease Quality of Life Instrument (LDQOL 1.0): instrumento muito longo utilizado apenas em pacientes em estágio avançado de cirrose 8. Foi traduzido e validado para população brasileira 9.

• Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ): único instrumento desenvolvido e validado para todas as etiologias e graus de gravidade da doença hepática 5.

O presente estudo realizou a tradução para a língua portuguesa e a adaptação transcultural no Brasil do CLDQ, para posteriormente ser realizada a validação do instrumento.

 

Métodos

A autorização para a tradução foi concedida pelos autores do instrumento e o projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), onde foi realizado. A UNIFESP, localizada na capital, presta assistência à saúde a pacientes da capital e de outros estados.

Pacientes

A maioria dos estudos de tradução e adaptação transcultural utiliza amostra de 10 pacientes, porém alguns estudos utilizam amostra de 20 pacientes, abrangendo diversidade maior de pessoas, aumentando a possibilidade de compreensão do instrumento 9,10.

Nesse estudo, a amostra foi composta de 20 pacientes portadores de doença hepática crônica do Serviço de Transplante de Fígado do Hospital São Paulo (UNIFESP), selecionados de acordo com o agendamento de consultas do ambulatório, no período de janeiro a fevereiro de 2005. Os pacientes eram todos maiores de 18 anos, com doença diagnosticada por exames clínicos e laboratoriais.

Os critérios de exclusão foram incapacidade cognitiva e estar em tratamento anti-retroviral. Nenhum paciente foi excluído e todos foram informados sobre os objetivos da pesquisa, assinando termo de consentimento.

Instrumentos

Foi aplicado um questionário sócio-demográfico e clínico e utilizada a escala Child-Turcotte-Pugh 11 para avaliação da gravidade da doença.

O CLDQ 5 é um instrumento curto e auto-aplicável. Constituído por 29 questões distribuídas em seis domínios, cada questão apresenta sete níveis de resposta: de 0 (todo tempo) a 6 (nunca). O CLDQ apresenta um escore por domínio e um total, com caráter multidimensional, avaliando a percepção geral da qualidade de vida e enfatizando os sintomas da doença hepática. O escore em cada domínio é obtido pela soma das respostas e dividido pelo número de questões compreendidas. O escore total é obtido pela soma dos domínios e dividido por 6. Os seis domínios (sintomas abdominais, fadiga, sintomas sistêmicos, atividade, função emocional e preocupação) foram identificados pela análise de principais componentes, com proporção de variação de 0,056 a 0,224 5.

Procedimentos

A tradução e adaptação transcultural foi realizada de forma padronizada 9,10,12, de acordo com a seqüência:

1) Tradução inicial: os itens da versão em inglês do CLDQ (Tabela 1) foram traduzidos para a língua portuguesa por dois profissionais da saúde bilíngües, independentes e cientes do objetivo desta pesquisa. Estes realizaram tradução conceitual e não estritamente literária. As traduções foram comparadas pelos tradutores e por um dos autores, sendo constituída uma tradução consensual;

2) Avaliação da tradução por retro-tradução: a tradução consensual foi vertida para o inglês por dois tradutores bilíngües, independentes, cientes do objetivo da pesquisa e diferentes dos dois anteriores. Posteriormente, foi realizada a comparação dessas versões com o instrumento original em inglês e as avaliações da tradução indicaram equivalência e reconciliação dos itens, com equivalência semântica entre as traduções. Para a realização da equivalência idiomática e equivalência conceitual, o comitê de especialistas (dois gastrocirurgiões, uma enfermeira e uma psicóloga) sugeriu a inclusão de explicação em um item (colocada entre parênteses) para melhor compreensão. O comitê, também, discutiu as questões em relação a sua validade de face e de conteúdo 12;

3) Avaliação da equivalência cultural (piloto/pré-teste): com finalidade de identificar as questões não compreendidas por nossa população, foi colocada ao lado de cada questão a opção "não aplicável" (Tabela 2). A aplicação foi realizada por dois entrevistadores treinados, os dados obtidos foram submetidos à análise exploratória com descrição das freqüências de resposta.

 

Resultados

Os pacientes entrevistados eram predominantemente do sexo feminino (65%), viviam com companheiro/a (45%), idade média de 48 anos (DP = 11 anos, variação de 18 a 65 anos), e escolaridade média de 8 anos (DP = 4, variação de 1 a 15 anos de estudo), 25% estavam desempregados e 35% eram aposentados pela doença. A distribuição por diagnóstico e sintomatologia hepática é apresentada na Tabela 3.

 

 

Nenhuma das 29 questões foi considerada "não aplicável" pelos pacientes, sendo a equivalência cultural do CLDQ realizada sem a necessidade de uma segunda etapa de aplicação do instrumento.

A maior parte dos pacientes (80%) necessitou de auxílio do entrevistador para ler as perguntas, porém, não foi observada dificuldade dos pacientes em escolher as respostas. O tempo médio de aplicação do CLDQ foi de 15 minutos (± 5).

 

Discussão

No presente estudo, pudemos verificar que as etapas de tradução e retro-tradução não apresentaram dificuldades e a equivalência semântica e conceitual foram facilmente obtidas. O comitê de especialistas colaborou para a obtenção da equivalência cultural sugerindo a inserção da explicação entre parênteses pelo fato de os itens originais não se enquadrarem no linguajar habitual da população brasileira. Na primeira questão "abdominal bloating", foi na versão final do CLDQ traduzido como empachamento abdominal e o comitê sugeriu a inserção ao lado: (estufamento). Assim como, discutiram sobre o instrumento e o que se propõe medir e concluíram que o CLDQ contempla e é capaz de medir a qualidade de vida geral e por domínios do paciente portador de doença hepática crônica.

Podemos considerar como limitação de nosso estudo, a necessidade da presença de entrevistador pela maioria dos pacientes. Tentamos minimizar os possíveis vieses do entrevistador, oferecendo treinamento rigoroso que acarretou um aumento de custo e talvez de tempo durante aplicação do instrumento.

O CLDQ foi traduzido e validado em outros países (Alemanha 13, Tailândia 14, Espanha 15, Itália 16) e apresentou boas propriedades psicométricas em todas as versões. Estes dados corroboram a possibilidade de o instrumento ser adequado para validação na população brasileira.

 

Conclusão

A tradução e adaptação transcultural do CLDQ para a população brasileira foram concluídas de acordo com a metodologia adequada. As etapas de validação de constructo (convergente e divergente), de critério e confiabilidade do CLDQ no Brasil estão sendo concluídas.

 

Colaboradores

S. Mucci participou do delineamento do estudo, da revisão da literatura, da elaboração da pesquisa, da tradução do questionário do inglês para o português, da análise e discussão dos resultados e da redação do artigo. V. A. Citero e L. A. Nogueira-Martins contribuíram com a elaboração da pesquisa, análise dos resultados, discussão dos resultados e na redação do artigo. A. M. Gonzalez e M. A. De Marco participaram da discussão dos resultados e da composição do artigo.

 

Referências

1. Younossi ZM. Epidemiology of alcoholic liver disease. Clin Liver Dis 1998; 2:661-71.         [ Links ]

2. World Health Organization. Hepatitis B. http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs204/en/index.html (acessado em Set/2009).         [ Links ]

3. Fleck MPA, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, et al. Aplicação da versão em português do instrumento WHOQOL-bref. Rev Saúde Pública 2000; 34:178-83.         [ Links ]

4. Glise H, Wilklund I Health-related quality of life and gastrointestinal disease. J Gastroenterol Hepatol 2002; 17 Suppl:S72-S84.         [ Links ]

5. Younossi ZM, Guyatt G, Kiwi M, Boparai N, King D. Development of a disease specific questionnaire to measure health related quality of life in patients with chronic liver disease. Gut 1999; 45:295-300.         [ Links ]

6. Seidl EMF, Zannon CMLC. Qualidade de vida e saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Cad Saúde Pública 2004; 20:580-8.         [ Links ]

7. Ware JE, Bayliss MS, Mannocchia M, Davis GL; The International Hepatitis Interventional Therapy Group. Health-related quality of life in chronic hepatitis C: impact of disease and treatment response. Hepatology 1999; 30:550-5.         [ Links ]

8. Gralnek IM, Hays RD, Kilbourne A, Rosen HR, Keefe EB, Artinian L, et al. Development and evaluation of the Liver Disease Quality of Life Instrument in persons with advanced, chronic liver disease - the LDQOL 1.0. Am J Gastroenterol 2000; 95:3552-65.         [ Links ]

9. Teixeira MCD, Ribeiro MFS, Strauss E. A new insight into differences among non-cirrhotic patients using the Liver Disease Quality of Life Instrument (LDQOL). Ann Hepatol 2005; 4:264-71.         [ Links ]

10. Guillemin F, Bombardier C, Bearton D. Cross-cultural adaptation of health-related quality of life measures: literature review and proposed guidelines. J Clin Epidemiol 1993; 46:1417-32.         [ Links ]

11. Child CG, Turcotte JG. Surgery and portal hypertension: major problems. Clin Surg 1964; 1:1-85.         [ Links ]

12. Viana HB, Madruga VA. Diretrizes para adaptação cultural de escalas psicométricas. Lecturas, Educación Física y Deportes 2008; 116:1-8.         [ Links ]

13. Häuser W, Schnur M, Steder-Neukamm U, Muthny FA, Grandt D. Validation of the German version of the Chronic Liver Disease Questionnaire. Eur J Gastroenterol Hepatol 2004; 16:599-606.         [ Links ]

14. Sobhonslidsuk A, Silpatik C, Kongsakon R, Satipornkul P, Sripetch C. Chronic Liver Disease Questionnaire: translation and validation in Thais. World J Gastroenterol 2004; 10:1954-7.         [ Links ]

15. Ferrer M, Córdoba J, Garin O, Olivé G, Flavià M, Vargas V, et al. Validity of the Spanish version of the Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ) as a standard outcome for quality of life assessment. Liver Transpl 2006; 12:22-3.         [ Links ]

16. Rucci P, Taliani G, Cirrincione L, Alberti A, Bartolozzi D, Caporaso N, et al. Validity and reliability of the Italian version of the Chronic Liver Disease Questionnaire (CLDQ-I) for the assessment of health-related quality of life. Dig Liver Dis 2005; 37:850-60.         [ Links ]

 

 

Correspondência:
S. Mucci
Departamento de Psiquiatria
Universidade Federal de São Paulo.
Rua Borges Lagoa 570, 9º andar, São Paulo, SP
04038-020, Brasil.
sammucci@gmail.com

Recebido em 15/Mar/2009
Versão final reapresentada em 17/Set/2009
Aprovado em 30/Set/2009

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons