SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.1 número2  suppl.1Sementes de Cássia tora L: estudo da germinação visando o controle em áreas cultivadasDuas espécies novas de Velloziaceae de Minas Gerais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Acta Botanica Brasilica

versão impressa ISSN 0102-3306

Acta Bot. Bras. vol.1 no.2 supl.1 Feira de Santana dez. 1987

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-33061987000300018 

Estudos em sempre-vivas: importância econômica do extrativismo em Minas Gerais, Brasil*

 

 

Nelson GiuliettiI; Ana Maria GiuliettiII; José Rubens PiraniII; Nanuza Luiza de MenezesII

IInstituto de Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo, CP 8114 - 01000 - São Paulo, SP, Brasil
IIInstituto de Biociências, Universidade de São Paulo, CP 11461 - 05499 - São Paulo, SP, Brasil

 

 


RESUMO

Neste trabalho foram estudadas as sempre-vivas como sendo um produto natural de importância para decoração de interiores. Como sempre-vivas são considerados escapos e inflorescencias que conservam a aparência de estruturas vivas, mesmo depois de destacados das plantas. O presente trabalho objetivou estudar as atividades econômicas relacionadas com esse grupo de plantas, mostrando sua importância como geradora de renda e de emprego, nos arredores de Diamantina (Minas Gerais) e de divisas para o País, pois a maior parte da produção é exportada para os Estados Unidos e Europa. Através do levantamento de quantidades comercializadas, preços pagos aos coletores e preços de atacado das principais espécies comercializadas na região (18 de Eriocaulaceae, 10 de Gramineae, 3 de Xyridaceae e 2 de Cyperaceae), calculou-se o valor da produção e da comercialização, tendo-se idéia da geração de renda e volume comercializado. Procurou-se mostrar também, através da exportação, a importância na geração de divisas. Infere-se, da análise dos dados, um decréscimo na exportação, que pode estar relacionado à queda da produção devido a fatores como sobresforço na coleta, dificultando a recuperação das populações, ou concorrência de outros países no mercado. Sugere-se pois incremento das pesquisas no sentido de tornar viável a cultura sistemática de espécies cultiváveis, como fator econômico importante para as regiões de campos rupestres.


ABSTRACT

The present work is a study of "everlasting flowers" as a natural product of importance for interior decoration. The term "everlasting flowers" is used for scapes and inflorescences which, even after being detached from the plant, still maintain the appearance of living structures. The economic activities related to this group of plants are considered; their importance is demonstrated, as a source of income and employment in the region of Diamantina (State of Minas Gerais, Brazil), and also as a source of revenue for the country: production is largely exported to Europe and the U.S.A. A survey was made of the quantity of such flowers marketed, of prices paid to collectors, and of the wholesale prices of the species most extensively commercialized in the region (18 Eriocaulaceae, 10 Gramineae, 3 Xyridaceae and 2 Cyperaceae); from these figures were calculated the values involved in production and commercialization, thus providing some idea of the income created and the quantity of plants concerned. The importance of exportation of everlasting flowers as a source of revenue was also considered. Analysis of data permits inference of a decline in export; this may be due to a fall in production as a result of over-collection and subsequent difficulty in recuperation of populations, or of market competition from other countries. It is suggested that research should be increased with a view to making viable the systematic cultivation of those species which can be cultivated, as an important contribution to the economy of regions of campo rupestre.

Key-words: "Everlasting flowers", Eriocaulaceae, Xyridaceae, Gramineae, Cyperaceae, economic botany.


 

 

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

 

 

Agradecimentos

Os autores expressam agradecimentos aos irmãos Sakurai, da firma Miraflor em Diamantina, e ao Sr. Gilmar Edison de Sousa, da firma Silva Flores, em Datas, pela prestimosa colaboração, fornecendo dados ligados aos montantes comercializados, e indicações de áreas com populações naturais de sempre-vivas. Agradecem também especialmente às pequisadoras Hilda Maria Longhi-Wagner pela identificação das espécies de Gramineae e Maria das Graças L. Wanderley pela identificação das Xyridaceae.

Este trabalho só pôde ser realizado graças à ajuda financeira recebida da FINEP (Financiadora de Projetos), através do "Projeto Sempre-vivas", e do WWF (World Wildlife Fund), através do projeto "Estudos botânicos nos campos rupestres".

 

Referencias Bibliográficas

FERREIRA, M.B & SATURNINO, H.M. 1977. Algumas considerações sobre os arranjos ornamentais confeccionados com plantas secas em Minas Gerais. In M.B. Ferreira, J.P. del Laca-Buendia & E.C. Tenório (eds.) Anais do XXVIII Congresso Nacional de Botânica. Belo Horizonte, p. 201-211.         [ Links ]

FORSTNER, W. 1972. Glixie [Syngonanthus elegans (Bong.) Ruhl., Eriocaulaceae.] Verh. zool.-bot. Ges. Wien. 112:89-91.         [ Links ]

GIULIETTI, A.M., WANDERLEY, M.G.L., LONGHI-WAGNER, H. & PIRANI, J.R. 1988. Estudos em sempre-vivas: aspectos taxonômicos. Bolm Botânica, Univ. S. Paulo 11 (no prelo).         [ Links ]

HYYPIO, P.A. 1974. A note on Syngonanthus elegans (Eriocaulaceae). Baileya 19: 116-117.         [ Links ]

MENEZES, N.L. & GIULIETTI, A.M. 1986. Campos rupestres. Paraíso botânico na Serra do Cipó. Ciênc. Hoje 5(25): 83-44.         [ Links ]

PEREIRA, H.A. 1987. Química dos capítulos de Syngonant brasiliana Giul., e suas possíveis implicações ecológicas. Resumo do XXXVIII Congresso Nacional de Botânica. São Paulo, p. 209.         [ Links ]

SALATINO, M.L.F.; PEREIRA, H.A.B.; SALATINO, A.; LOTTO, V.M. & GIULIETTI, A.M. 1987. Alcanos da cera epicuticular de capítulos de Eriocaulaceae. Resumos do XXXVIII Congresso Nacional de Botânica. São Paulo, p. 215.         [ Links ]

SATURNINO, H.M.; SATURNINO, M.A.C. & FERREIRA, M.B. 1977. Algumas considerações sobre exportação e importação de plantas ornamentais em Minas Gerais. In M.B. Ferreira, J.P. del Laca-Buendia & E.C. Tenório (eds.) Anais do XXVIII Congresso Nacional de Botânica. Belo Horizonte, p. 213-217.         [ Links ]

TEIXEIRA, M.A. 1987. Sempre-vivas: folclore e verdade. Ciênc. Hoje 5(29): 14-15.         [ Links ]

TEIXEIRA, M.A.; RIBEIRO, A. & GIULIETTI, A.M. 1985. Sempre-vivas das serras de Minas Gerais - mistura de dióis da cera de Leiothrix flavescens (Bong.) Ruhl. Ciênc. Cult. 37 (supl.) p. 498 (Resumos).         [ Links ]

TEIXEIRA, M.A.; RIBEIRO, A.; OLIVEIRA, J.R. & GIULIETTI, A.M. 1984. Sempre-vivas do cerrado mineiro - abordagem fitoquímica de duas espécies da família Eriocaulaceae. Ciênc. Cult. 36 (supl.): p. 549. (Resumos).         [ Links ]

 

 

* Parte do Projeto Sempre-Vivas, sob coordenação de N.L. Menezes.

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons